10 rolês gratuitos ou bem baratinhos para curtir nas periferias

26º Anima Mundi exibe 576 filmes e aposta em realidade virtual

Filme "A Ganha Pão" é um dos longas mais aguardados do Anima Mundi e tem produção executiva de Angelina Jolie
Até
05
de agosto 2018
Domingo - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado
Diversos horários

Cidade

Festival ocupa cinco espaços em São Paulo com longas e curtas-metragens de mais de 40 países

Se você é daqueles que não perde uma animação no cinema, está chegando um dos momentos mais esperados do ano: o Anima Mundi. Maior festival de animação da América Latina, o evento chega a 26ª edição com 576 filmes de mais de 40 países e uma novidade: haverá um espaço para exibição de obras em realidade virtual de estúdios como o National Film Board of Canada, o Penrose, Baoba, o Fable, o Aardman, o Google Spothlight e o brasileiro Arvore.

Foto do filme
Crédito: ReproduçãoFilme "A Ganha Pão" é um dos longas mais aguardados do Anima Mundi e tem produção executiva de Angelina Jolie
Foto da animação
Crédito: ReproduçãoFilme "Muro" é um documentário sobre o muro que separa Israel e Palestina
Foto da animação “As Aventuras de Fujiwara Manchester”, com o protagonista cara a cara com um monstro verde
Crédito: ReproduçãoLonga “As Aventuras de Fujiwara Manchester” é a novidade do cineasta Alê Camargo

Em São Paulo, o evento acontece entre 1º e 5 de agosto, com exibições no Memorial da América Latina, no Caixa Belas Artes (Rua da Consolação, 2423 – Consolação) no CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro) no CCSP – Centro Cultural Vergueiro (Rua Vergueiro, 1000 – Liberdade) e no CINUSP (Rua do Anfiteatro, 181 – Butantã). Os ingressos custam entre R$ 2 e R$ 16.

Além dos filmes, o festival realiza oficinas, debates, exposições, games e exibições de videoclipes e séries. Com curadoria dos animadores Aída Queiroz, Cesar Coelho, Léa Zagury e Marcos Magalhães, diretores e fundadores do festival, esta edição do Anima Mundi teve recorde de inscrições: .805 filmes, 45% a mais do que em 2017.

Nessa seleção, o público poderá conferir produções que exploram diversos temas e técnicas. Há dramas, fábulas, comédias, terror, romances, documentários… títulos para todos os gostos.

Os longas-metragens

Um dos longas mais aguardados do Anima Mundi é a novidade do brasileiro Alê Camargo, “As Aventuras de Fujiwara Manchester”. A história acontece no século 27, quando o aventureiro espacial Fujiwara Manchester e seus amigos Lydia e Kawi contam com a impetuosa nave Cara de Cavalo para lutar contra um terrível inimigo e, ao mesmo tempo, enfrentar uma esquadra de naves do governo afim de recuperar uma antiga joia e impedir a destruição da galáxia. Para quem quiser assisti-lo, a sessão será no dia 2 de agosto, às 21h, no Caixa Belas Artes.

O documentário canadense  “Muro” (Wall), do diretor Cam Christiansen, é outro destaque. O cineasta mostra a realidade do muro que separa Israel e Palestina, escrita e estrelada por David Hare. Com recursos de animação inovadores, o filme mostra a jornada de Hare, seu coração e sua mente abalados pelas incongruências e contradições da vida à sombra do muro. O filme será exibido no dia 3, às 21h, no Caixa Belas Artes.

O indicado ao Oscar e vencedor do Annecy, “A Ganha Pão” (The Breadwinner), também está gerando ansiedade. Com direção de Nora Twomey, o filme tem a produção executiva assinada por Angelina Jolie e a roteirista Anita Doron é uma das convidadas do festival. Na trama, Parvana, de onze anos, mora com sua família em um pequeno prédio de apartamentos em Cabul, no Afeganistão, devastado pela guerra e sob o domínio talibã. Um dia, o pai dela é preso. Para ajudar sua família e poder trabalhar, Parvana decide cortar o cabelo e se disfarçar de menino. O filme será exibido no dia 1º de agosto, no Caixa Belas Artes, às 21h.

Confira outros títulos e a programação completa no site.

Atividades paralelas

O Festival programou uma série de atividades paralelas para quem é realmente aficionado por animações. Confira algumas delas:

Anima Forum: neste ano, serão abordadas três grandes áreas de interesse para os profissionais de animação. O mercado, com reflexões sobre a realidade atual da Animação, além de desafios e oportunidades dentro do cenário mundial. O profissional, exploramdo conhecimentos técnicos e artísticos, inovações inspiradoras e experiências compartilhadas por profissionais experientes para aprimorar equipes e estúdios brasileiros; e a obra, tratando de aspectos técnicos e artísticos que tornam o conteúdo animado mais relevante (e emocionante) para seus públicos.

Para as tradicionais masterclasses, os convidados serão Wesley Rodrigues, que mostrará seu processo de trabalho e criação de filmes em animação; Anita Doron, autora do roteiro do longa The Breadwinner, que dará sua contribuição na área de criação de roteiros; e Jean-Louis Padis que demonstrará a intersecção entre live-action e animação em sua aula sobre fotografia para stopmotion.

Série de TV: Pedro Eboli, Antonio Linhares, Beto Gomes e Joel Vieira, criadores da série nacional “Oswaldo”, farão uma apresentação no Memorial da América Latina no dia 5. Sucesso no Cartoon Network e na TV Cultura, a série é sobre um pinguim que vive em uma família humana. Será montada também uma exposição e um game temático de Oswaldo, no Memorial da América Latina.

Espaço Animador: no foyer do Memorial da América Latina vai funcionar o Espaço Animador, local para o lançamento de livros e exposições de trabalhos autônomos, para profissionais da área se conhecerem. Haverá o lançamento do livro “Animação Brasileira – 100 Filmes Essenciais”, do Canal Brasil, Abraccine e ABCA. Também será lançado o “Imaginário Coletivo”, de Wesley Rodrigues, e haverá a venda do livro “Aparecida, a Menina com Cabelo de Brasil!”, de Alexandre Bersot.

Anima Educa: espaço reservado para abrigar e divulgar ações educativas e sociais de instituições, universidades, escolas, estúdios, produtoras e outros agentes ligados ao desenvolvimento da linguagem de animação. Nos estandes do Anima Educa, o público do Festival poderá se conectar a diversas atividades pelas quais a animação pode contribuir com a formação social e educativa das pessoas.

Conheça a Barra Funda: dicas de passeios para aproveitar a região

Compartilhe:

Autor: Por: Redação