Últimas notícias:

Loading...

3ª Arte, Cultura e Costura conta com grandes nomes da moda no encerramento do projeto

Iniciativa do Instituto Tomie Ohtake incentivou a formação em costura para cerca de 70 mulheres em situação de vulnerabilidade social

Por: Publi

Até 08 de junho de 2021

Segunda - Terça

19h às 21h

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

A moda pode e deve gerar transformações na sociedade e isso ficou mais do que provado com a terceira edição do projeto Arte, Cultura e Costura, realizado pelo Instituto Tomie Ohtake, com patrocínio da Pernambucanas.

A iniciativa colocou em prática uma série de ações para debater a ideia de que moda é uma expressão estética cotidiana, mas não apenas isso. Já que é por meio dela que mudanças reais podem acontecer, seja no trabalho, na valorização da criatividade, ou até mesmo na preocupação com a diversidade de matrizes culturais e de corpos do nosso país.

Uma das atividades mais importantes neste sentido contou com a participação de 70 mulheres em situação de vulnerabilidade social, abrigadas em 4 centros especiais de acolhida em São Paulo.

Elas participaram de um curso com aulas on-line e duração de 3 meses, além de receberem kits individuais com materiais de costura e bordados para cada técnica apresentada durante as aulas, que deram base para que elas continuassem os estudos após os encontros.

Além disso, elas participaram de atividades culturais remotas em instituições parceiras, como Japan House, Museu do Futebol, Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, Museu da Imigração e SESC Pinheiros, além do próprio Instituto Tomie Ohtake, que ajudaram a ampliar o repertório cultural das participantes.

São ações como estas que mostram como a moda pode gerar impacto sociocultural positivo na vida das pessoas, o que levou ao Arte, Cultura e Costura a ser contemplado com o Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade 2020, que enfatiza o desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e incentivo ao empreendedorismo das participantes através de experiências culturais.

Ainda em sua programação, o evento realizou ações abertas ao público ao disponibilizar, nas mídias sociais e no site do Instituto Tomie Ohtake os vídeos Faça em Casa! A série com 4 vídeos produzidos por especialistas no contexto DIY (do it yourself – faça você mesma) teve seus primeiros episódios lançados em maio  e mostrou o passo a passo de produções de peças em moda, estamparia e customização.

Seminário com grandes nomes da moda

Para mostrar que além de ações o 3º Arte, Cultura e Costura também quer promover a importância de ampliar as discussões sobre o tema, o evento realiza em seu encerramento um seminário virtual gratuito e aberto ao público. Os encontros acontecem nos dias 7 e 8 de junho, das 19h às 21h, e para participar basta se inscrever aqui.

Batizado com a temática “Arte e Educação”, o seminário no dia 7 de junho busca trazer reflexões com a participação da designer e antropóloga Helena Kussik, o jovem estilista baiano Isaac Silva, o estilista e designer Jum Nakao e a estilista mineira Raquell Guimarães. Além da participação especial do professor especialista em história da arte Lorenzo Merlino.

Já no dia 8 de junho, o debate navega pela temática “Cultura e Empreendedorismo” e conta com a participação da designer de moda Vívian Ramos; a especialista em negócios da moda e criadora do Concurso Internacional de Moda Inclusiva, Daniela Auler; o estilista paulistano Emerson Brandão Figueiredo; a consultora e mentora sobre inclusão Maite Schneider; e a participação especial da designer de moda e consultora de imagem e estilo Michelle Simões, também criadora do projeto “Meu Corpo é Real”.

“Empreender sempre esteve relacionado com sobrevivência em minha vida. Mas hoje, quando vejo o caminho construído e outros em construção, percebo que é mais do que isso”, reflete Maite Schneider, cofundadora da TransEmpregos e que foi uma das convidadas do projeto. “Empreender para mim, seja no que for, é ser água para que as pessoas possam brotar suas melhores sementes.”

Ao término do seminário ocorre o lançamento de um minidocumentário com reflexões socioculturais sobre arte, moda e populações em vulnerabilidades, além de imagens e ilustrações dos processos de criação e registros de produção ao longo das ações do projeto.

E no dia 15 de junho é a vez do lançamento do último vídeo da série Faça em Casa, junto com uma publicação com textos das professoras e convidadas do projeto.


 

Compartilhe: