Bienal Sesc de Dança: assista espetáculos super potentes

A pluralidade dá o tom das apresentações virtuais, que discutem racismo, intolerância à comunidade LGBTQIA+, ameaça aos povos indígenas e outros temas

Até 10 de outubro de 2021

Todos os dias

Diversos horários (confira a programação)

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

Mergulhe no universo da dança contemporânea em mais uma edição da Bienal Sesc de Dança! De maneira online e gratuita, é possível conferir mais de 20 espetáculos produzidos no Brasil e em países como Burkina Faso, Coreia do Sul e Itália – tudo entre os dias 2 e 10 de outubro.

“Matéria Escura” é um dos destaques do evento
Créditos: Cristiano Prim/ Assessoria de Imprensa Bienal Sesc de Dança
“Matéria Escura” é um dos destaques do evento

O evento acontece pela 12ª vez e é pautado pela diversidade. Questões como racismo estrutural, intolerância à comunidade LGBTQIA+, ameaça à população indígena e às florestas e estigma sobre a sexualidade de pessoas com deficiência são abordadas nas potentes produções. Além disso, Ismael Ivo (1955-2021) e Lia Rodrigues ganham homenagens ao longo da programação.

Todos esses temas são atravessados pela pandemia e a iminência do desconfinamento. Assim, os artistas foram convidados a criar levando em conta a relação dos corpos com a arquitetura presente no Sesc Campinas, no Sesc Pompeia, no Sesc Vila Mariana, no Sesc Guarulhos e no Sesc 24 de Maio.

O resultado pode ser visto em espetáculos gravados e ao vivo – confira a agenda completa aqui. Mais de 300 intérpretes de sete países se envolveram na Bienal Sesc de Dança. As transmissões acontecem pelo Instagram do Sesc Ao Vivo, pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo e pela Plataforma Sesc Digital.

Quem abre o festival é a Cena 11, uma companhia de Santa Catarina. O grupo estrearia “Matéria Escura” na Alemanha, em abril de 2020. Mas, em decorrência da pandemia, precisou reinventar seus processos e reconstruir a coreografia. Agora, o trabalho é exibido ao vivo digitalmente, com edições feitas em tempo real.

A alteridade é o que norteia “Multiple-s”, de Salia Sanou, coreógrafo de Burkina Faso radicado na França. Ele usa a figura “cara a cara” para expressar confronto e complementaridade, contando com a ajuda da coreógrafa franco-senegalesa Germaine Acogny, da escritora canadense Nancy Huston e do músico francês David Babian, o Babx.

Outro destaque da Bienal Sesc de Dança é “IKU”, do Núcleo Ajeum, de São Paulo. Trata-se de uma reflexão a partir das culturas africana e afro-brasileira sobre as mortes em tempos de pandemia e das vidas negras.

“IKU” é um dos trabalhos brasileiros da Bienal Sesc de Dança
Créditos: Erico Santos/ Assessoria de Imprensa da Bienal Sesc de Dança
“IKU” é um dos trabalhos brasileiros da Bienal Sesc de Dança

João Paulo Lima, de Fortaleza, investiga o corpo e a pessoa com deficiência em duas produções – ele mesmo é amputado de um membro inferior. Em “Devotees”, o artista aborda o fetiche por pessoas amputadas.

Diretamente da Coreia do Sul, a Ninety9 Art Company escolheu representar o ressentimento e a tristeza no espetáculo “Abismo”. Jang Hye-rim revisita as tradições locais e, por meio de sutilezas, usa a dança como um envio de eco à alma.

“Abismo” é uma produção sul coreana
Créditos: Sang Hoom Ok/ Assessoria de Imprensa da Bienal Sesc de Dança
“Abismo” é uma produção sul coreana

Demais, não? E essa é só uma pequena amostra de tudo o que rola no evento. O público ainda confere uma mostra de videodança com trabalhos produzidos para as mídias “da palma da mão”. Isso significa que as apresentações envolvem ferramentas de videochamada, videoclipe e até de mídias sociais como o TikTok. E os criadores são jovens artistas!

Sem contar que a bienal ainda conta com uma mostra de cinema, mesas de conversas, aulas abertas, aulas magistrais, espetáculos para os pequenos e workshops. Ufa! São dias bem intensos. Não esqueça de se programar para não perder nada!

Para quem quiser rever tudo, a partir do dia 25 de outubro, os conteúdos ficam disponíveis no site oficial do evento.

Veja outras dicas de eventos online: