Imagem do Topo

Cinemateca tem Mostra de Cinema Grego e festa com comidas típicas

Terceira edição do festival apresenta 11 filmes de diferentes épocas para você conhecer esse universo cinematográfico

Por: Redação Comunicar erro
Até
11
de novembro 2018
Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
em diversos horários. Ingressos são distribuídos uma hora antes de cada sessão.

Se você é cinéfila(o) de verdade, segura este presentão! A Cinemateca Brasileira, na zona sul de SP, é palco da terceira edição da Mostra de Cinema Grego, que projeta 11 filmes clássicos e contemporâneos em sessões GRÁTIS, que acontecem entre os dias 1º e 11 de novembro. Além disso, no encerramento do festival o público aproveita um festão de cultura e gastronomia gregas. Gostou? ;)

Cinemateca Brasileira recebe III Mostra de Cinema Grego
Crédito: Didão Barros - Wikimedia Commons - Creative CommonsMostra de Cinema Grego projeta 11 filmes clássicos e contemporâneos desse país na Cinemateca Brasileira

Um dos destaques é “Domingo Nublado” (2015), dirigido por Manousos Manousakis. Inspirado no livro “Ouzeri Tsitsanis”, de Giorgos Sakmpardonis, o filme narra o amor entre uma jovem judia e um cristão durante a 2ª Guerra Mundial, quando de Tessalônica, a segunda maior cidade grega, estava ocupada pelos nazistas.

Cena do filme Domingo Nublado
Crédito: reprodução“Domingo Nublado” (2015) é exibido na abertura da mostra, no dia 1º, às 20h, e no dia 9, às 19h

Outra atração da mostra é o clássico “Nunca aos Domingos” (1960), de Jules Dassin, que será exibido em uma tela externa no dia 11, às 20h. O filme conta a história de um americano que viaja à Grécia e se encanta com a forte personalidade de uma prostituta, interpretada por Melina Mercuri, diva do cinema grego nos anos de 1960. Esse homem tenta ensiná-la fundamentos para uma vida mais civilizada, no entanto, é ela quem ensina para ele as coisas mais importantes.

O filme “Kinetta” (2005), de Yorgos Lanthimos, é um suspense sobre uma série de assassinatos ocorridos em Kineta durante o verão, quando a região – que é refúgio de trabalhadores estrangeiros no inverno – recebe turistas de alto poder aquisitivo.

Já o clássico “O Preço do Amor” (1984), de Tonia Marketaki, apresenta o drama de uma jovem de origem humilde que foi abandonada pelo seu amante burguês, que não quer casar com uma mulher sem dote. Apesar de marginalizada pela sociedade por ser mãe solteira, ela consegue um emprego de operária em uma fábrica e trabalha duro para manter sua dignidade.

cena do filme O Preço do Amor
Crédito: reproduçãoClássico “O Preço do Amor” (1984) é exibido no dia 4, às 18h, e no dia 10, às 17h

Na festa de encerramento do festival, que acontece no dia 11, a partir das 14h, há uma celebração da cultura e da gastronomia gregas, com venda souvenires e comidas típicas, como mussaká, churrasquinho grego, doces e bebidas. Na ocasião, o público também confere a apresentações de danças folclóricas, às 17h e 19h.

Confira aqui a programação completa da III Mostra de Cinema Grego.