Imagem do Topo

Clássico ‘Duro de Matar’ volta ao cinema restaurado em 4K

O filme tem exibição única no cinema de rua Cinesala, localizado em Pinheiros

Por: Redação | Comunicar erro
13
de dezembro 2018
19h: início do evento com música, lojinha e drinks

21h15: abertura da sala e início do filme

Criado para trazer filmes clássicos de todos os gêneros e épocas de volta aos telões, a 10ª edição do projeto Replicante celebra os 30 anos do lançamento de “Duro de Matar” (1988), produção icônica estrelada por Bruce Willis.

Em formato totalmente restaurado (4K), a trama une personagens memoráveis — além do policial John McClane, personagem responsável por consolidar a carreira de Willis, o inesquecível vilão Hans Gruber, vivido por Alan Rickman em sua estreia no cinema.

Filme "Duro de Matar"
Crédito: Divulgação“Duro de Matar” (Die Hard) é dirigido por John McTiernan e tem 132 minutos de duração

“Duro de Matar” rendeu quatro continuações e inúmeras cópias, porém poucos blockbusters conseguiram alcançar o sucesso do filme dirigido por John McTiernan e roteirizado por Steven E. de Souza.

Fica a dica: os ingressos são vendidos apenas online, com direito a reembolso até sete dias antes da sessão – compre por aqui.

O filme

“Yippee-ki-yay, motherf****r!”

Na véspera de Natal, o policial novaiorquino John McClane (Bruce Willis) chega a Los Angeles com a intenção de se reconciliar com sua esposa Holly (Bonny Bedelia) na festa de fim de ano da Nakatomi Corporation, onde ela trabalha. Quando a comemoração é interrompida por um bando fortemente armado liderado pelo terrorista Hans Gruber (Alan Rickman), McClane escapa de ser capturado e inicia uma cruzada de um homem só para parar os criminosos e salvar os reféns.

Um clássico de Natal?

“Now I have a machine gun. Ho-ho-ho.”

“Duro de Matar” é um filme de Natal? Uma escolha não muito usual para o cânone natalino, com todos seus palavrões e metralhadoras, a trama do filme se desenrola durante um festa de fim de ano de uma empresa. Todos os indicativos estão lá: a árvore de Natal, as músicas típicas, os gorrinhos de Papai Noel, os presentes, o protagonista tentando reencontrar sua família. Mesmo o filme tendo sido lançado originalmente em julho (no meio do verão americano) e contando com explosões e tiroteio, acabou conquistando o seu lugar no panteão de clássicos de Natal.