Comédia ‘Amigas, Pero no Mucho’ narra DR épica entre 4 mulheres

Elias Andreato, Nilton Bicudo, Leandro Luna e Raphael Gama interpretam amigas que se amam e se odeiam ao mesmo tempo
Até
27
de março 2019
Terça - Quarta
Terças e quartas-feiras, às 21h. Classificação: 14 anos. Duração: 80 minutos

site: www.conteudoteatral.com.br

telefone: (11) 3823-2323 / 3823-2423 / 3823-2737

Com Elias Andreato, Leandro Luna, Raphael Gama e Nilton Bicudo no elenco, espetáculo retorna em cartaz no Teatro Folha em janeiro de 2019

A hilária peça “Amigas, Pero no Mucho”, que está em cartaz há 12 anos e já foi assistida por mais de 170 mil pessoas, retorna aos palcos do Teatro Folha no dia 8 de janeiro de 2019. A comédia de Célia Forte narra o encontro entre quatro mulheres aparentemente bem-sucedidas, interpretadas por Elias Andreato, Leandro Luna, Rafael Gama e Nilton Bicudo.

Nilton Bicudo e Elias Andreato em "Amigas, Pero no Mucho"
Crédito: João Caldas Fº - divulgaçãoElias Andreato, Nilton Bicudo, Leandro Luna e Raphael Gama interpretam amigas que se amam e se odeiam ao mesmo tempo

A temporada acontece até 27 de março, com sessões às terças e quartas-feiras, às 21h. Os ingressos custam entre R$40 (setor 2) e R$50 (setor 1). A classificação etária é 14 anos e a duração, 80 minutos.

Com direção de José Possi Neto, a peça usa humor ácido e ironia para mostrar a épica lavação de roupa suja entre essas quatro amigas, que se amam e se odeiam ao mesmo tempo.

Aos 50 anos, Fram, a mais velha do grupo, é divorciada e tem dois filhos que moram com o pai. Ela pratica meditação, mas fala muito palavrão quando está sozinha e tem tiques nervosos quando está fora de si. A executiva solteira Sara tem 35 anos e é a mais reservada, fria e desconfiada do grupo. Ela fuma descontroladamente e não se importa com as opiniões dos outros.

Elias Andreato, Nilton Bicudo e Leandro Lunaem "Amigas, Pero no Mucho"
Crédito: João Cadas Fº - divulgaçãoPeça de Célia Forte está em cartaz há 12 anos

Com 40 anos, Debora é divorciada e não tem filhos. Ela é inteligente, irônica e perspicaz e quer ser a dona da verdade o tempo todo. Já Olívia, também com essa idade, é casada, tem filhos e já foi rica. Atualmente, ela precisa dirigir uma van para levar as crianças para a escola. Ela tem síndrome de perseguição e gosta de exibir o marido para as amigas.

A comédia extrai o humor de situações cotidianas e inusitadas presentes no universo feminino – interpretadas por atores homens –, relacionadas ao trabalho, à família, à amizade, ao corpo e à mente.

Compartilhe:

Autor: Por: Redação