Desenhos de meninas judias que viveram em campo de concentração nazista são expostos no MuBE

Por: Redação
Crédito: FSB Comunicações
Erika Stranska, uma das meninas judias que viveram no Quarto 28

Há mais de meio século, entre os anos de 1942 e 1944, crianças de 12 a 14 anos moravam juntas no Quarto 28, no campo de concentração de Theresinstadt, na Segunda Guerra Mundial durante a ocupação da Checoslováquia pelos nazistas.

Apesar da situação miserável, do racionamento de comida e do onipresente medo de ir para o “Leste” (Auschwitz-Birkenau), essas meninas tiveram contato com professores, compositores e artistas – todos também judeus prisioneiros do campo – que tentavam minimizar seu sofrimento com aulas de arte, técnicas de desenho e pintura. Esses desenhos feitos pelas meninas ficam agora em cartaz no MuBE, na exposição “As meninas do Quarto 28”, entre os dias 23 de maio e 29 de junho. A entrada é Catraca Livre.

A exposição relata o dia a dia de cerca de 50 crianças que viveram no campo de concentração de Theresinstadt. Com mais de 35 desenhos e uma réplica de 18m² em escala real do quarto em que elas ficavam aprisionadas, além de painéis com detalhes históricos, a exposição foi escolhida pela União Europeia, em 2013, para a tradicional homenagem realizada no Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Em 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) também selecionou a exposição para lembrar as vítimas do genocídio cometido pelos nazistas.

Em paralelo à exposição, acontece uma programação de debates. Confira as datas abaixo:

23/05, às 15h – Visita guiada seguida de palestra pela exposição com a curadora Roberta Sundfeld, a jornalista alemã Hannelore Brenner, autora do livro que deu origem à exposição, e Vera Kreiner, uma das sobreviventes do Quarto 28.

04/06, às 16h – Visita guiada com as arteterapeutas Selma Ciornai e Gladys Ajzenberg e com o coordenador de projetos educativos do MuBE , Murilo Kammer.

04/06, às 19h – Mesa-redonda coordenada por Selma Ciornai com profissionais de quatro instituições brasileiras especializadas em arteterapia: Claudia Vidigal, do Instituto Fazendo História (SP); Fabiana Geraldi, do projeto social Eu Sou (RJ); SirleyTanure, do Hospital oncológico GPAEAV/UFPB (PB); Michelle Barros e Bruna Domenico, do CNRVV/Butantã (SP).

Veja um pouco da exposição na galeria abaixo:

*Desenhos de Erika Stranska.

1
Sorvete de pão de queijo: a sobremesa mais gostosa e inusitada de BH
Que Minas Gerais tem os pães de queijo mais gostosos, todo mundo já sabe! Mas já experimentou um sorvete de pão …
2
Espaço Ovni: cerveja gelada, beijo na boca e música boa no Recife
Se você tá a fim de curtir um som louco, dar uns beijos na boca e tomar aquela gelada durante …
3
Feira Tom Jobim é o melhor lugar pra comer no sábado de manhã em BH
Imagine um sábado suave na nave, sob a sombra de uma árvore, apreciando o sabor de comidas típicas nacionais e …
4
3 lugares para apreciar a paisagem de Curitiba do alto
Curitiba é uma cidade linda, disso já sabemos! Mas ver ela do alto deixa tudo ainda melhor! Colaí pra ver essas …
5
Onde curtir um show de música independente delicinha em São Paulo
Pagar dois salários mínimos pra ver show não dá, né? Ainda mais quando São Paulo é a cidade onde você encontra …
6
RJ: Um mergulho literário no Real Gabinete Português de Leitura
O Rio de Janeiro é a Cidade Maravilhosa não apenas por suas paisagens e praias! Ali no centro fica um dos …
7
Casa Preta: lar da cultura alternativa de Salvador
Um Casarão no Dois de Julho tem cultura saindo pelas janelas! Com eventos do subsolo ao terraço, a Casa Preta …
8
SP: Maior festival de inovação e arte digital do Brasil
Unhide Conference, um festival de inovação e arte digital está em sua segunda edição. Fomos conferir esse encontro de arte, criatividade …