Informar

‘Ex África’ apresenta riqueza da arte contemporânea africana

Por: Redação | Comunicar erro

A África de hoje, pungente e permeada por uma intensa produção artística, e de forte cunho sociocultural, é o fio condutor da inédita exposição “Ex África”, que tem estreia nacional no dia 11 de outubro, no Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte, onde fica em cartaz até o dia 30 de dezembro. A visitação da mostra é aberta ao público de quarta a segunda, das 9h às 21h, e tem entrada totalmente Catraca Livre.

Em
Em "Ex África", 18 artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade afrodescendente
Em
Em "Ex África", 18 artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade afrodescendente
Em
Em "Ex África", 18 artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade afrodescendente

Em “Ex África”, dezenas de artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, diversos nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade através de diferentes recortes: performances, música, instalações, fotografias, videoarte, pinturas, palestras. A eles se juntam dois artistas afro-brasileiros, Arjan Martins e Dalton Paula, que montaram uma exposição no Brazilian Quarter de Lagos (Nigéria), bairro construído por antigos escravos retornados à África.

Em
Em "Ex África", 18 artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade afrodescendente
Em
Em "Ex África", 18 artistas nigerianos, sul africanos e angolanos, nomes da cena contemporânea africana, revelam a riqueza da arte e diversidade afrodescendente

Em sua maioria, os dezoito artistas apresentam trabalhos inéditos no Brasil, e até mesmo criados para a exposição, como a instalação a ser desenvolvida por Ibrahim Mahama. Ade Bantu, músico e ativista, assina a curadoria da sala/instalação Clube Lagos, que oferece um painel sobre os novos sons da Nigéria.

Outros destaques ficam para o cantor, compositor e multimídia Nástio Mosquito, o artista visual e performer Julili Atiku, os premiados fotógrafos Leonce Raphael Agbodjelou e Kudzanai Chiurai, os pintores afro brasileiros Arjan Martins e Dalton Paula.


  • Mais exposições na cidade para você curtir

https://catracalivre.com.br/bh/agenda/gratis/exposicao-ceu-aberto-apresenta-obras-feitas-de-baloes-inflaveis/

Compartilhe: