‘Experiências Negras’: mulheres debatem arte e cultura no Tomie Ohtake

Convidadas poderosas discutem "Novas Curadorias Femininas: possibilidades e transgressões"

Por: Redação Comunicar erro

Um evento imperdível te aguarda no Instituto Tomie Ohtake: dia 10 de outubro, das 19h às 21h, quatro mulheres pretas e poderosas dão vida ao projeto “Experiências Negras“, que tem a missão de debater “Novas Curadorias Femininas: possibilidades e transgressões“.

A segunda edição recebe importantes atuantes nas áreas de arte e cultura de instituições como Sesc, Ateliê397, MASP e Mercado Negra: Carollina Lauriano, Horrana Santoz e Ketty Valencio, com mediação de Ana Paula Lopes. Vai perder?

O Instituto Tomie Ohtake, inaugurado em novembro de 2001, destaca-se por ser um dos raros espaços da cidade especialmente projetado, arquitetônica e conceitualmente, para realizar mostras nacionais e internacionais de artes plásticas, arquitetura e design
Crédito: Oliveira ProperO Instituto Tomie Ohtake, inaugurado em novembro de 2001, destaca-se por ser um dos raros espaços da cidade especialmente projetado, arquitetônica e conceitualmente, para realizar mostras nacionais e internacionais de artes plásticas, arquitetura e design

CULTURA EM SP: Museu Afro Brasil celebra história e arte afro-brasileira

“Experiências Negras” é um projeto multiplataforma, composto por uma websérie para IGTV, publicações digitais e mesas de debates.

Realizado pelo Núcleo de Cultura e Participação do Instituto Tomie Ohtake, por meio da equipe de Ação e Pesquisa Educativa, o evento visa apresentar debates protagonizados por pessoas negras.

Conheça as participantes da vez:

  • Carollina Lauriano
Carollina Lauriano
Crédito: Murilo JoséCarollina Lauriano

É formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo. Tem extensão em Pesquisa e Análise de Tendências (em arte, design e moda) pela Central Saint Martins. Atua como curadora independente desde 2017 e em 2018 passou a integrar o time de curadoria e gestão do Ateliê397. Pesquisa inserção, desafios e conquista de jovens mulheres artistas no mercado da arte. Realizou as exposições “Corpo além do corpo”, “Céus Cruzados” e “A noite não adormecerá jamais nos olhos nossos”.

  • Horrana de Kássia Santoz
Horrana de Kássia Santoz
Crédito: Daniel CabrelHorrana de Kássia Santoz

Possui graduação em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011). Atua desde 2007 no desenvolvimento de novas práticas educativas em museus, espaços culturais, como arte-educadora, mediadora, pesquisadora, assistente de produção e curadoria. Atualmente, trabalha na equipe de Mediação e Programas Públicos, além de curar a sala de vídeos do MASP.

  • Ketty Valencio
Ketty Valencio
Crédito: Luiza SaadKetty Valencio

É livreira, bibliotecária e pesquisadora. Mulher preta, periférica, filha de Marta e de Jonas e proprietária da Livraria Africanidades. Conjuntamente com Do Morro Produções gere a Kasa Ajeji, que fomenta produções culturais pretas. Fez parte do projeto “Mulheres de Palavra: um retrato das mulheres do rap de São Paulo”. Foi uma das fundadoras do ‘Mercado Negra’ e atualmente está participando do projeto “Inki Dùdù: Pretas de rua – Graffitti, gênero e etnicidades”.

  • Ana Paula Lopes – mediadora
Ana Paula Lopes
Crédito: DivulgaçãoAna Paula Lopes

É pesquisadora, graduada em Arte: História, Crítica e Curadoria pela PUC-SP e atualmente pesquisa o espaço geopolítico na curadoria. Já publicou na Terremoto Magazine, México, e na AEANFDC, na Tijuana de 2018. Trabalhou nas galerias White Cube São Paulo, Mendes Wood DM e Jaqueline Martins. Foi educadora, supervisora e coordenadora de educativo em diversas exposições. Atualmente é curadora educativa – supervisão do Educativo PretAtitude no SESC Santos.

Incrível, né? Então acesse o site oficial para conferir todas as novidades do projeto Experiências Negras!

Já conhece o Expresso Acesso? Criada pelo Instituto Tomie Ohtake, a iniciativa tem a missão de tornar os espaços culturais de SP mais acessíveis! Embarque nessa viagem: