Últimas notícias:

Loading...
EM ALTA

Exposição cria releitura da Semana de Arte Moderna no Theatro Municipal

Mostra “Contramemória” exalta a diversidade da arte contemporânea ao reunir trabalhos plurais de artistas incríveis!

Por: Redação

Até 05 de junho de 2022

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

De terça a sexta, das 11h às 17h; e aos sábados e domingos, das 10h às 15h

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

Há 100 anos, o Theatro Municipal de São Paulo recebia um evento que mudou os rumos da nossa cultura: a Semana de Arte Moderna de 1922. E, para comemorar essa data importante, a exposição “Contramemória” cria uma releitura bem crítica dessa mostra icônica, destacando toda a pluralidade e a diversidade da arte contemporânea.

Crédito: @theatromunicipalsp/Facebook - reproduçãoA mostra “Contramemória” provoca choque entre a arte modernista e a contemporânea

Para isso, os curadores Jaime Lauriano, Lilia Moritz Schwarcz e Pedro Meira convidaram vários artistas contemporâneos para expor seus trabalhos ao lado de obras do Acervo Modernista do CCSP – Centro Cultural São Paulo.

O choque entre esses dois momentos da nossa arte pode ser conferido até 5 de junho, de terça a sexta, das 11h às 17h; e aos sábados e domingos, das 10h às 15h. Os ingressos são gratuitos e podem ser agendados aqui.

Crédito: Glauco Rodrigues, foto de Ding Musa, cortesia da Gomide & CO - @theatromunicipalsp/Facebook Exposição questiona a romantização da figura dos bandeirantes

Você vai poder contemplar obras de Ailton Krenak, Denilson Baniwa, Daiara Tukano, O Bastardo, Adriana Varejão, Raphael Escobar, Bertone Balduino, Ana Elisa Egreja, Lídia Lisbôa, Mídia Ninja e Val Souza.

E ainda vai aproveitar a oportunidade para ver de pertinho trabalhos de Anita Malfatti, Alfredo Volpi, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti e Flávio de Carvalho, entre outros modernistas.

Crédito: Marlon Amaro - @theatromunicipalsp/FacebookA mostra cria uma reflexão sobre como a arte contemporânea tornou-se mais diversa e plural

A proposta de “Contramemória” é explorar o choque produzido entre as duas vertentes da arte, expondo os silêncios e as ambiguidades da Semana de Arte Moderna de 22 e apresentando os novos olhares, histórias e protagonismos da nossa cultura.

Ao lado dos quadros modernistas, que ainda reverberam uma visão de mundo majoritariamente branca, masculina e elitista, o público vai conferir narrativas femininas, negras, indígenas e trans.

A mostra “Contramemória” ainda faz questionamentos sobre o consumo de arte em nossa sociedade; e à figura bastante romantizada do bandeirante e de sua imagem como o primeiro “empreendedor” da cidade.

Partiu Theatro Municipal?

SP tem vários outros rolês incríveis. Dá uma olhada: