Exposição 0800 exibe obra inédita de Bispo do Rosário

Arthur Bispo do Rosário Paes foi um artista plástico brasileiro, conhecido por promover o debate sobre temas como preconceito e os limites entre a insanidade e a arte
Até
03
de março 2019
Terça - Quarta - Quinta - Sexta
Das 10h às 17h (a mostra abre excepcionalmente no último sábado de cada mês)

Museu

'Quilombo do Rosário' aborda a ancestralidade africana da produção do artista e conta ainda com trabalhos de contemporâneos

No território onde viveu Bispo do Rosário durante anos de internação psiquiátrica, na zona oeste do Rio, está hoje o Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea. E é lá, numa região cheia de história, onde ainda se vê ruínas, que uma obra do artista é apresentada ao público pela primeira vez, na exposição “Quilombo do Rosário”, que tem entrada gratuita.

Evidência da ancestralidade negra de Bispo, “África de Bispo” ficou no Museu Nacional de Belas Artes desde 1997, foi restaurada e agora divide espaço com outros de seus trabalhos, além de criações de Stela do Patrocínio e Antonio Bragança, que também foram internos da Colônia Juliano Moreira, um dos maiores manicômios do país.

Obra 'África de Bispo', de Bispo do Rosário
Crédito: DivulgaçãoObra 'África de Bispo' é apresentada pela primeira vez ao público na exposição 'Quilombo do Rosário'
Obra de Bispo do Rosário
Crédito: DivulgaçãoAcervo inclui outros trabalhos de Bispo do Rosário e obras de internos da antiga colônia psiquiátrica, que dialogam com artistas contemporâneos
Obra de Bispo do Rosário
Crédito: Divulgação'Quilombo do Rosário' aborda a ancestralidade africana presente na produção do artista

Guiado pelo inédito mapa da África de Bispo, a mostra, que tem curadoria de Roberto Conduru, constrói uma cartografia entre os mecanismos de opressão impostos pelo paradigma colonizador ao arrancar sujeitos de seus territórios — sejam eles físicos ou mentais — bem como as formas de resistência e reinvenção que fazem frente a essas forças.

As obras dialogam ainda com a produção de artistas contemporâneos, como Rosana Paulino, Sonia Gomes, Mulheres de Pedra, Ton Bezerra, Atelier Gaia, Dona Tuca, Jayme Lauriano e Jorge dos Anjos.

“Quilombo do Rosário” pode ser vista de terça à sexta e no último sábado de cada mês, das 10h às 17h. A programação conta ainda com visitas mediadas à exposição e ao circuito histórico, seminários, formações, encontros com educadores, ciclos de debates, atrações culturais e residências artísticas.

Compartilhe:

Autor: Por: Redação