Exposição 0800 exibe fotos misteriosas do britânico Mac Adams

Mostra tem obras inspiradas nos romances de Arthur Conan Doyole e no cinema de Alfred Hitchcock. Vai encarar?

Até 22 de dezembro de 2019

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

das 10h às 21h

Grátis

Desvende as histórias e os mistérios escondidos nas fotografias de Mac Adams na exposição Mens Rea: A Cartografia do Mistério, que leva à Caixa Cultural Rio de Janeiro 40 obras do artista britânico – incluindo três esculturas e uma instalação.

Obra de Mac Adams. Sombra de aranha em fotografia P&B
Crédito: Mac Adams - divulgaçãoObras de Mac Adams têm como inspiração os filmes de Alfred Hitchcock

Com curadoria de Luiz Gustavo Carvalho, a exposição reúne 15 dípticos fotográficos da série “Mistérios” e uma seleção de obras da série “Tragédias Pós-Modernas”, que foi criada nos anos de 1980 a partir de uma reflexão sobre as políticas econômicas neoliberais desenvolvidas pela primeira-ministra britânica Margaret Thatcher e pelo presidente norte-americano Ronald Regan.

A instalação, criada exclusivamente para a mostra no Rio, promove uma reflexão sobre a memória e o esquecimento por meio de uma relação passional objetiva. Na obra, ele constrói um diálogo entre as suas imagens e fotografias trazidas diretamente do acervo do Museu Nicéphore Niépce, na França.

Obra de Mac Adams. Bule cromado com reflexo de cena violenta
Crédito: Mac Adams - divulgaçãoMac Adams fotografa cenas de violência refletidas em objetos de design cromados

Já as três esculturas com formas abstratas exibidas na mostra são iluminadas a partir de determinados ângulos e criam sombras figurativas.

As obras de Mac Adams provocam colisões entre tragédias sociais e objetos, em uma estreita relação semiótica. Os utensílios de design cromados fotografados pelo artista, por exemplo, refletem nas suas superfícies situações violentas e inquietantes, contradizendo as formas perfeitas desses objetos.

Considerado um dos fundadores da chamada Arte Narrativa (Narrative Art), Adams encontra inspiração para as suas histórias fotográficas na rica tradição oral e escrita do País de Gales, nos romances de Arthur Conan Doyle (pai do famoso detetive Sherlock Holmes) e nos filmes do mestre do suspense Alfred Hitchcock.

Esta exposição irada pode ser visitada na Galeria 4, da Caixa Cultural, até 22 de dezembro, de terça a domingo, das 10h às 21h, com entrada grátis. Não perca!

Quer mais dica? Se liga nesta outra exposição:

Em parceria com Agência Fática

A Fática é uma agência de comunicação especializada em produzir conteúdos sobre cultura em suas diferentes linguagens.