Festival de bandas independentes celebra diversos estilos de rock

Seis grupos apresentam uma nova roupagem do que um dia foi conhecido como cena urderground

Por: Redação
Até
14
de julho 2018
Sexta - Sábado
Das 18h às 23h

Nos dias 13 e 14 de julho, das 18h às 23h, no estúdio Espaço Som, em Pinheiros, acontece a segunda edição do festival O Dia que o Rock Mudou. Com entrada a R$ 20 mais 1 kg de alimento ou um agasalho (R$ 25 o passaporte para os dois dias), o evento apresenta uma nova roupagem daquilo que se convencionou chamar de cena underground. Quem quiser comprar o ingresso antecipado precisa enviar um e-mail com nome e opção de compra para odiaqueorockmudou.lista@gmail.com.

Livre se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julho
Livre se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julhoAlana Palli
Forte Norte se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julho
Forte Norte se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julhoFilipe Nevares
Trampa se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julho
Trampa se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 13 de julhoThaís Mallon
Venna se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julho
Venna se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julhoCaique Monzillo | Altera Films
Altera se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julho
Altera se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julhoGui Caielli
Banda Toro se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julho
Banda Toro se apresenta no festival O Dia que o Rock Mudou no dia 14 de julhoThaís Mallon

Organizado por Luan e Pablo Palli, o festival oferece três shows por dia, além de uma intensa programação cultural. Também haverá um espaço para comércio independente, com food trucks e lojas independentes.

No dia 13, o som fica por conta das bandas Livre, que usa suas letras para questionar as relações humanas e a exploração feita pelos poderosos contra a cidadania; a Forte Norte, que estimula a autorreflexão do ‘eu‘ e tudo que o envolve; e a Trampa, que tem experimentado uma grande ascensão no cenário do rock independente brasiliense.

Já no dia 14, quem se apresenta é a banda paulistana Venna, que traz um repertório com muitas guitarras, batucadas e melodias fortes e marcantes; a Altera, com seu Rock’n’Roll moderno e pitadas do country norte-americano; e a Toro, comguitarras graves, barulhentas e cheias de atitude, trazendo fortes influências de Stoner Rock, sem se prender ao rótulo.

Os visitantes também poderão aproveitar os mixes do DJ Bruno Café Sforcin, uma exposição assinada pela GRAVA, estamparia com xilogravura, jogos multimídias; live painting com Oel e massoterapia com Thiago pereira e Eloisa Fernandes.

A primeira edição do festival aconteceu em julho de 2017 com a missão de dar mais visibilidade ao cenário artístico independente. O grande diferencial entre as duas edições é  que a quantidade de interações voltadas ao público aumentou.

Todas as arrecadações com o evento serão destinadas à ONGs. Os idealizadores querem ajudar cada vez mais o próximo.

Compartilhe:

1
Pista Cláudio Coutinho: natureza fora da mesmice no RJ
Ideal para caminhadas, a Pista Claudio Coutinho te leva para um passeio cercado de natureza: de um lado o mar …
2
As melhores sorveterias para refrescar o calor de Salvador
Calor, sol escaldante, praia… em Salvador é verão o ano todo, minha gente! E pra refrescar esse calorão todo, bora …
3
Rapel na Ponte do Sumaré em SP: vai encarar?
Já pensou em pular da ponte com os amiguinhos? Sim? Colaí, que hoje vamos saltar da Ponte do Sumaré!
4
Almoço perfeito em BH no Mercado Novo
Que a comida mineira é uma delícia, todo mundo já sabe, mas almoço perfeito mesmo, é no Mercado Novo de …
5
Bar da Laje: a melhor vista do Rio de Janeiro
Colaí que hoje o passeio é lá no alto! Vamos subir o Morro do Vidigal para conferir tudo sobre o …
6
Ópera do Arame: símbolo emblemático de Curitiba
Entre lagos, vegetação típica e cascatas, numa paisagem singular, está a Ópera do Arame. Colaí que eu vou te contar porque …
7
Cisne Branco: Espaço cultural flutuante em Porto Alegre
Verdadeiro ícone de Porto Alegre, o barco Cisne Branco é referência quando se fala de rolê flutuante! Colaí pra navegar nessas …
8
As obras de Niemeyer espalhadas por BH
Você sabia que há várias obras de Niemeyer espalhadas por BH? Colaí que eu vou mostrar pra você!