Últimas notícias:

Loading...

FLI 2020: festival literário virtual tem programação riquíssima!

A 8ª edição do Festival Literário de Iguape tem participação de Amara Moira, Emicida, Preta Rara, Gilberto Gil e muitos outros nomes

Ouça este conteúdo

Até 20 de setembro de 2020

Todos os dias

Diversos horários (conferir a programação)

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados

A 8ª edição do FLI – Festival Literário de Iguape acontece 100% online e com uma programação super especial de encontros, performances artísticas e experiências ao longo do mês de setembro.

Festival Literário de Iguape
Crédito: Guito Moreto | @EmicidaOficial/ Facebook | José de Holanda | @pretararaoficial/ FacebookGilberto Gil, Emicida, Siba e Preta Rara são alguns dos convidados do FLI 2020

O evento promove o trabalho dos coletivos culturais do Vale do Ribeira e cria diálogos entre pensadores, líderes de comunidades indígenas e quilombolas e agentes culturais, artísticos e sociais. Este ano, o tema que norteia todas as atrações é “Pausa para o agora”.

Nomes como Amara Moira, Ailton Krenak, Emicida, Preta Rara, Jerá Guarani, Siba, Tiganá Santana, Marcelo D’Salete e Raull Santiago estão entre os convidados do festival. E a apresentação fica por conta da atriz e poeta Roberta Estrela D’Alva e da escritora Mel Duarte. No encerramento, está programado um show com Gilberto Gil.

O evento faz parte do Programa Oficinas Culturais e você pode acompanhar tudo via Instagram, Facebook e YouTube do programa até 20 de setembro, com acessibilidade em Libras em 13 e 20 de setembro. Veja a programação completa aqui.

  • O que assistir no FLI – Festival Literário de Iguape

Nos dias 9, 11, 13, 15, 17 e 19 de setembro, ao meio-dia, o público pode acompanhar as intervenções do Slam do Corpo, primeiro grupo de slam de surdos e ouvintes do Brasil. As performances ficam disponíveis na IGTV das Oficinas Culturais.

No dia 13, às 17h, acontece o debate “Literatura, curadoria e liberdade “, com os curadores do evento Bianca Santana, escritora e jornalista; Reynaldo Damazio, crítico literário, autor e coordenador do Centro de Apoio ao Escritor do museu Casa das Rosas, e Antonio de Lara Mendes, compositor e produtor cultural de Iguape.

O trio conversa sobre a importância da literatura e da curadoria feitas de formas coletiva, simultânea ao repertório de cada agente, à releitura crítica de tradições e à criação de narrativas menos excludentes.

Para os amantes de história em quadrinhos, tem debate imperdível no dia 15, às 21h. O artista plástico e morador do Vale do Ribeira Deco Miracatu se junta ao ilustrador e quadrinista Marcelo D’Salete – de obras como “Encruzilhada” (Veneta, 2016), “Cumbe” (Veneta, 2014) e “Angola Janga – uma história de Palmares” (Veneta, 2017)-, para falar sobre as transformações atuais da cultura e como o formato das HQs colabora na formação educacional.

Festival Literário de Iguape
“Angola Janga” ganhou o prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs

O dia 20 de setembro será marcado por diversas atrações imperdíveis! Às 16h, às 19h25 e às 21h35 acontece a intervenção “Alquimia de quem somos: terra, cultivo e colheita”. Lideranças indígenas e quilombolas apresentam singularidades das comunidades como um caminho de troca de saberes, reflexões e retratos poéticos do dia a dia desses territórios.

A partir das 16h20, tem o debate “Principia” entre Ailton Krenak, ativista socioambiental, dos direitos indígenas e escritor, e o Emicida, rapper, pensador, escritor e um dos criadores da Laboratório Fantasma. Eles falam sobre Terra, memória, tempo e energia vital. O bate-papo é mediado por Mariana Belmont, da Rede de Jornalistas das Periferias.

Durante a conversa “De onde se é”, às 17h, o pedagogo, poeta e ator surdo Edinho Santos, a professora da Faculdade de Arquitetura da UFBA e integrante da Coletiva Terra Preta Gabriela Gaia e o professor de Filosofia Paulo Cesar Franco dialogam sobre os atravessamentos dos territórios nos corpos e nos discursos. A mediação é da rapper, historiadora e escritora Preta Rara.

“Memória e presente” é o tema do encontro entre a escritora Ana Maria Gonçalves, do livro “Um defeito de cor” (Editora Record), com o compositor Siba, um dos principais mestres da nova geração do maracatu e dos cirandeiros, e o compositor, instrumentista, poeta e pesquisador Tiganá Santana. A mediação fica com Esmeralda Ribeiro, jornalista, escritora e integrante da Geração Quilombhoje. A atividade é às 18h30.

Gilberto Gil encerra o Festival Literário de Iguape 2020 a partir das 21h45. Para sua live show, o mestre das temporalidades canta grandes sucessos e compartilha pensamentos com os espectadores.

Essa foi apenas uma pequena seleção de atividades para você sentir um gostinho do que o FLI reserva neste mês de setembro. Lembre-se de conferir a programação completa e se programar para não perder nenhuma atividade!

Quer mais dicas de programas culturais para aproveitar em casa?

 

Agência Fática

Em parceria com Agência Fática

A Fática é uma agência de comunicação especializada em produzir conteúdos sobre cultura em suas diferentes linguagens.