Últimas notícias:

Loading...

Festival Todo Canto é Palco reúne peças de grupos periféricos de SP

Você confere tudinho online ao longo de cinco semanas! Saiba mais:

Ouça este conteúdo

Até 14 de março de 2021

Todos os dias

Exibição dos espetáculos: disponíveis de segunda a sexta-feira, em qualquer horário
Lives com os grupos: sábados e domingos, às 15h

Amantes de teatro, vejam só esse evento online e gratuito que acontece entre os dias 8 de fevereiro e 14 de março: é a segunda edição do Festival Todo Canto é Palco, que reúne espetáculos, debates, documentários e oficinas.

(IN)JUSTIÇA, Festival Todo Canto é Palco
Crédito: Rick Barneschi/ divulgaçãoEspetáculo “(IN)JUSTIÇA” é uma das atrações do evento online

Idealizado pelo Coletivo dos Anjos, grupo sediado em Jandira (SP), o festival enaltece a produção periférica. Dez grupos apresentam seus trabalhos pelo YouTube da companhia (clique aqui para acessar).

A programação varia semanalmente. Funciona assim: de segunda a sexta-feira, sempre ficam disponíveis duas peças e, como nenhuma é transmitida ao vivo, você pode assistir no horário em que achar melhor. Já aos sábados e domingos, às 15h, acontecem os debates com os grupos.

O Festival Todo Canto é Palco começa na próxima segunda, dia 08/02, com uma programação cheia de espetáculos, debates,…

Posted by Festival Todo Canto é Palco on Friday, February 5, 2021

Saiba tudo o que está em cartaz!

Na primeira semana, os espectadores têm acesso a peça “(IN)JUSTIÇA”, da Companhia de Teatro Heliópolis. O grupo reflete sobre o sistema jurídico brasileiro por meio da história do jovem Cerol, que pratica um crime involuntariamente. A narrativa é guiada pela pergunta: o que os veredictos não revelam?

Também tem espaço para tramas juvenis no Festival Todo Canto é Palco. “Os Livros de Jonas”, do Teatro da Conspiração, fica em cartaz entre os dias 8 e 12 de fevereiro.

Os Livros de Jonas
Crédito: Alexandre Krug/ divulgação“Os Livros de Jonas” integra a programação juvenil do evento

Na história, o jovem Jonas monta uma Biblioteca Comunitária no puxadinho da oficina mecânica do pai. Entretanto, quando surge a necessidade de ampliar essa oficina, ele precisa encontrar outras formas de continuar seu projeto.

O Grupo Rosas Periféricas apresenta “Ladeira das Crianças – Teatro Funk”, entre os dias 15 e 19 de fevereiro. Embalada pelo ritmo do funk, a montagem apresenta alguns sonhos das crianças da periferia, como ser DJ.

Outra atração da segunda semana é “O Tarô dos Loucos”, primeiro trabalho da Casa Realejo de Teatro. Trata-se de um solo com um palhaço que presta homenagem a quatro pacientes que viveram no Hospital do Juquehy.

Na história, o público conhece Fiapo, o ajudante da famosa cartomante Madame. Enquanto Madame não chega, Fiapo recebe os espectadores e revela os segredos de um misterioso lugar.

A trupe também disponibiliza o documentário “Os Arcanos da Loucura”, que traz relatos de pessoas que conviveram com os quatro pacientes homenageados no espetáculo, Bira, Biriba, Carol e Carlito. É uma maneira de ampliar poeticamente o imaginário acerca dessas pessoas cujas histórias são soterradas pela institucionalização. Confira tudo entre os dias 15 e 19 de fevereiro.

“Vocifera”, do Teatro do Kaos, integra a programação da terceira semana de Festival Todo Canto é Palco. A trama traz à tona os (des)caminhos da conjuntura política atual, que nega direitos básicos aos cidadãos.

Vocifera, Festival Nem Todo Canto é Palco
Crédito: Luiz Guilherme/ divulgação“Vocifera” é uma das atrações do evento

Após 30 anos de construção não concluída do teatro municipal da cidade de Cubatão (SP), um hospital tomará seu lugar. Por que devemos decidir entre cultura e saúde? Por que não exigimos o cumprimento de ambos?

Para quem curte o universo circense, uma boa pedida é o espetáculo “Pepé, O Pequeno Palhaço”, da Paideia Associação Cultural, também em cartaz de 22 a 26 de fevereiro.

Na narrativa, Pepé, o pequeno palhaço, fez do cruzamento de uma grande cidade seu picadeiro. Ele ensaia seus números em um terreno baldio próximo dali quando, surpreendentemente, um menino curioso invade seu camarim propondo ser um ajudante de palhaço.

Na penúltima semana, entre os dias 1º e 5 de março, a Trupe Lona Preta apresenta “O Circo Fubanguinho”. O trabalho é inspirado nas charangas, farsas e bufonarias. As músicas pontuam e costuram o enredo. Nele, dois palhaços, demitidos e expulsos do picadeiro, tentam se inserir a qualquer custo.

O premiado “Buraquinhos ou o Vento é Inimigo do Picumã”, da Cia. Carcaça de Poéticas Negras, também é exibido no início de março. O espetáculo aborda a violência policial ao contar a história de um menino negro, morador do bairro Guaianases, na zona leste de São Paulo, que é enquadrado por um policial ao ir na padaria.

A partir daí, ele começa a correr pelo mundo, passando por países da América Latina e África. Ao longo do caminho ele é atingido por 111 tiros de arma de fogo desse policial.

Entre os dias 8 e 14 de março, última semana do Festival Todo Canto é Palco, o Grupo Pombas Urbanas apresenta “Cidade Desterrada”. O espetáculo tem início com a chegada dos Encantados, seres cósmicos que representam a força ancestral da comunidade que vai existir ali.

Um grande bairro popular cresce nesse lugar repleto de lutas por trabalho, comida, saúde, transporte. Quando uma trupe de teatro se encarrega de contar as histórias dessa, todos descobrem que, para criar o futuro, é preciso cultivar a memória e celebrar a vida.

Por fim, a Rosa dos Ventos faz um mergulho profundo no universo do circo no espetáculo “Super Tosco”. Prepare-se para ver espantosas acrobacias, número de equilíbrio, músicas cantadas e tocadas ao vivo com naipe de sopros e uma banda completa de um homem só, o Maestro Nicochina.

Oficinas no Festival Todo Canto é Palco

Quer ampliar seus conhecimentos na área teatral? O festival realiza duas oficinas imperdíveis entre os dias 22 e 26 de fevereiro.

Saloma Salomão ministra o curso “Música e Cena Numa Linha Escura – Limites e possibilidades de pensar e fazer música para teatro, a partir de referências do teatro negro paulista”, das 10h às 12h. Podem participar até 30 pessoas, com idade mínima de 13 anos.

Mais tarde, das 14h às 17h, Luiz Carlos Laranjeiras ministra a oficina “Teatro da Roda, Dança/Palco e Rua”. A proposta é introduzir o estudo, a prática e a dramaturgia do teatro musical popular brasileiro. A quantidade de participantes está em aberto, e a idade mínima para participar é 16 anos.

Para outras informações, acesse o Instagram @coletivodosanjos, o Facebook @todocantoepalco e o Facebook @coletivodosanjos1.

Legal, né? Que tal aproveitar outras atrações online?

Agência Fática

Em parceria com Agência Fática

A Fática é uma agência de comunicação especializada em produzir conteúdos sobre cultura em suas diferentes linguagens.