Últimas notícias:

Loading...

Grupo Corpo faz minitemporada poderosa no Teatro Sérgio Cardoso

Confira duas coreografias impactantes desta que é considerada uma das companhias de dança contemporânea mais importantes do país. Saiba tudo:

Por: Redação

Até 01 de maio de 2022

Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

De quarta a sábado, às 20h30 e, no domingo, às 17h

Assistir a uma coreografia do Grupo Corpo, companhia mineira em atuação desde 1975, é certamente uma experiência marcante. Imagine, então, contemplar duas apresentações dentro de um mesmo espetáculo?

Grupo Corpo, 21, Teatro Sérgio Cardoso
Crédito: José Luiz Pederneiras - divulgação/ Paula Catunda Assessoria de Imprensa “21” é uma das obras do Grupo Corpo que podem ser vistas no Teatro Sérgio Cardoso

O Teatro Sérgio Cardoso recebe, entre os dias 27 de abril e 1º de maio, de quarta a sábado, às 20h30 e, no domingo, às 17h, uma minitemporada que envolve coreografias criadas com 25 anos de diferença. Cada uma representou um tipo de evolução na linguagem do grupo.

Enquanto “21” (1992) simbolizou o momento em que a trilha sonora passou a ser encomendada para servir de base para a construção de cada trabalho, “Gira” (2017) ampliou o vocabulário gestual do Grupo Corpo, pois conta com músicas da banda Metá Metá e incorpora movimentos da umbanda à dança.

Contemplar essas duas obras em um mesmo dia, uma seguida da outra, é um privilégio. Por isso, corra para garantir os seus ingressos, que custam entre R$25 (meia-entrada) e R$150 (inteira), dependendo do setor. As entradas estão esgotando e podem ser adquiridas por meio deste link aqui.

Grupo Corpo, Gira
Crédito: José Luiz Pederneiras - divulgação/ Paula Catunda Assessoria de Imprensa “Gira” faz um mergulho nas religiões afro-brasileiras

Quer saber mais sobre cada uma das coreografias? Vem que a gente te conta tudo!

“21” levou seis meses para ser criada e é dividida em três momentos. Primeiro, os espectadores sentem a força contida na tensão entre as cores vermelha, da luz chapada de fundo, e amarela, das malhas utilizadas pelos bailarinos – tudo com um toque minimalista. Os dançarinos fazem múltiplas combinações rítmicas e timbrísticas em escala decrescente do 21 até o 1.

Depois, em uma segunda parte, oito pequenas peças musicais extraídas das combinações entre os números 6, 5, 4, 3, 2, 1 (que, somados, dão 21), alternam elementos das músicas erudita, popular, oriental, cigana e jazzística dão vida aos chamados hai-kais do miolo do espetáculo. Trata-se de uma alusão aos poemas japoneses estruturados em cima de três versos curtos.

Por fim, a coreografia pensada por Rodrigo Pederneiras remete às festas populares e aos regionalismos. Por meio de estampas, coloridos vibrantes tipicamente interioranos e figuras geométricas que remetem a primitivas pinturas africanas, os bailarinos relacionam-se com as canções compostas por Marco Antônio Guimarães, fundador do grupo instrumental UAKTI.

Já “Gira” é um mergulho no universo das religiões afro-brasileiras. A dança, assinada por Rodrigo Pederneiras, é inteiramente dedicada a a Exu, o orixá responsável pela comunicação entre os mundos espiritual e material.

As canções da banda Metá Metá, formada por Juçara Marçal (voz), Thiago França (sax) e Kiko Dinucci (guitarra) – com reforço de Sérgio Machado (bateria, sampler e percussão) e Marcelo Cabral (baixo elétrico e acústico), ficaram ainda mais potentes com uma letra composta pelo artista plástico Nuno Ramos e duas criadas pela saudosa Elza Soares (1937-2022).

Concebido por Paulo Pederneiras, o cenário representa simbolicamente um terreiro, a grande nave da liturgia afro-brasileira. O espaço também não tem coxia, portanto, a lateral e o fundo do palco são ocupados por 21 cadeiras, que acomodam os dançarinos. Sobre cada cadeira, uma luz tênue sinaliza uma presença.


#VivaACidadeNaResponsa: ao comparecer aos eventos, não se esqueça de levar o seu passaporte de vacinação. Sempre lembre de usar a máscara de proteção, andar com álcool em gel e sair de casa somente se necessário! Caso pertença ao grupo de risco ou conviva com alguém que precise de maiores cuidados, evite passeios presenciais. A situação é séria! Vamos nos cuidar para sair desta pandemia o mais rápido possível. Combinado? 💚


Quer curtir outros programinhas em SP? 

?>