Hábito de ranger os dentes tem solução, mas nem sempre é só no dentista

O hábito de apertar e ranger os dentes durante a noite pode provocar desgaste e amolecimento dos dentes e, nos casos mais graves, desencadear problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula. Mas nem sempre o tratamento está apenas no consultório odontológico.

Os principais sintomas do bruxismo são zumbidos, estalos ou dor perto do ouvido, da nuca e dos ombros; dificuldade para mastigar, bocejar e abrir a boca; além de dores de cabeça e mandibulares, relata a dra. Aline Dias de Moraes, ortodontista do Instituto Bibancos de Odontologia.

O tratamento do bruxismo inclui o uso de placas _ de silicone ou acrílico _, “para proteger os dentes, aliviar o sistema mastigatório e reduzir a atividade elétrica muscular causadora da tensão”. Para reduzir o estresse e melhorar a qualidade de vida do paciente, pode ser complementado com sessões com um fisioterapeuta especialista em ATM (Articulação Temporo Mandibular).

Mas, segundo a dra. Aline, muitas vezes, o bruxismo é disparado por problemas de ordem emocional. “Situações estressantes, como separações ou até a perda de um familiar ou de um emprego, podem desencadear o problema.” Não raramente, vem acompanhado de depressão e ansiedade, podendo haver necessidade de tratamento com psicólogo ou psiquiatra.

Em parceria com Instituto Bibancos

O Instituto Bibancos de Odontologia, com sedes em São Paulo e no Rio de Janeiro, é uma clínica que há 30 anos oferece serviço transdisciplinar em odontologia. Foi fundado por Fabio Bibancos, cirurgião-dentista graduado pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), especialista em Odontopediatria e Ortodontia, mestre e doutor em Saúde Coletiva, coordenador da Escola do Pensamento em Saúde e presidente voluntário da OSCIP Turma do Bem, hoje a maior rede de voluntariado especializado do mundo, que já beneficiou 56 mil crianças e jovens carentes com graves problemas bucais.