Não deixe o teatro morrer: curta a segunda live ‘#FicaFaroeste’

Apresentada por Pascoal da Conceição e Mariana Melgaço, live tem shows de Juçara Marçal e Tika e aula de culinária com o diretor Paulo Faria

Ouça este conteúdo

04 de outubro de 2020

Das 16h às 18h

Desde agosto, a Companhia Pessoal do Faroeste e grandes artistas de diversas linguagens juntam forças em uma campanha de financiamento coletivo para evitar o despejo do teatro, localizado na região da Luz. Dando continuidade a esse esforço, o grupo promove neste domingo, dia 4 de outubro, a partir das 16h, a segunda edição da live solidária “#FicaFaroeste“.

#FicaFaroeste
Crédito: Luan Cardoso | Alice Vergueiro | Fernando Lima | Alice VergueiroJuçara Marçal, Tika, Pascoal da Conceição e Paulo Faria participam da segunda live solidária “#FicaFaroeste”

O coletivo teatral realiza um importante trabalho cultural e social na cidade de São Paulo há 22 anos. Faça a sua parte e contribua para a continuidade dessas ações! Basta assistir a live da forma que preferir: pelo YouTube, pelo Facebook e pelo Instagram da companhia. E, para quem puder doar, está no ar até o dia 30 de outubro uma campanha de financiamento coletivo.

Saca só essa programação linda!

Com duas horas de duração, a segunda live “#FicaFaroeste” é apresentada pelos atores Pascoal da Conceição e Mariana Melgaço e tem como atrações principais os shows das cantoras Juçara Marçal e Tika.

Outras atrações são o artista plástico Renoir, que pintará um quadro ao vivo, e o diretor paraense Paulo Faria, que dá uma aulinha básica de gastronomia e te ensina a preparar um delicioso caruru, uma receita típica das regiões norte e nordeste.

Essa comida será distribuída às pessoas em situação de vulnerabilidade social no entorno do teatro. Além disso, para comemorar a festa de Cosme e Damião, as crianças da chamada “Favelinha da Cracolândia” ganham doces.

Quer conhecer a iniciativa?

Para fortalecer ainda mais o movimento, entre cada uma das atrações acontecem manifestações de apoio de autoridades e artistas. Muitos já estão se mobilizando por meio de suas redes sociais.

SÉRGIO MAMBERTI ❤️❤️❤️❤️Junto na luta contra o despejo!!!NÃO MEXE COM A FORMIGA SE NÃO PODE COM O FORMIGUEIRO!!!!! #FICAFAROESTE #DESPEJOZERO SEGUE LINK DA NOSSA VAQUINHA VIRTUAL, COLABOREM!!!! https://abacashi.com/p/ficafaroeste-despejozero

Posted by Pessoal do Faroeste on Sunday, September 6, 2020

O coletivo tem uma dívida acumulada com aluguéis atrasados, agravada com a paralisação das atividades em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Esse valor chega a R$ 200 mil e, em agosto, o diretor Paulo Faria recebeu um aviso de despejo com o prazo de 15 dias.

Assim, nos dias 2 e 3 de setembro, teve início a ação de desocupação do imóvel. Mas graças a uma petição intermediada pelo gabinete de Eduardo Suplicy, o grupo ganhou mais 17 dias para levantar o dinheiro.

Até agora, a campanha já arrecadou R$12 mil, que foram utilizados para um depósito em juízo, comprovando o interesse da companhia em negociar o pagamento dos aluguéis atrasados de sua sede. Mas ainda falta muito!

Faria, que também foi despejado de seu apartamento e passou a morar no teatro, relata que a companhia vive exclusivamente da Lei de Fomento ao Teatro e que está há um ano sem patrocínio. Para democratizar o acesso à cultura, seus espetáculos fazem bilheteria no esquema “pague quanto puder”.

É a segunda vez que o grupo enfrenta uma ação de despejo. A primeira aconteceu em 2019, quando a sociedade se engajou na campanha #FicaFaroeste e eles conseguiram negociar com o proprietário do imóvel o pagamento da dívida com os recursos do Fomento. Entretanto, a consequência disso foi a inexistência de renda suficiente para pagar os novos aluguéis.

Conheça a Companhia Pessoal do Faroeste

Desde 1998, o grupo produz trabalhos que investigam a vida social e política do povo brasileiro por meio de seu imaginário popular e de sua cultura. E tudo dedicando um olhar especial à cidade de São Paulo, sobretudo à região central.

live #FicaFaroeste
Crédito: @CiaPessoaldoFaroeste/ FacebookCompanhia faz um importante trabalho social na região da Luz

A ação do coletivo vai além das manifestações artísticas. O Pessoal do Faroeste também desenvolve um trabalho social bem importante no entorno no teatro. Por meio do projeto “Cultive”, organiza mutirões de atendimento médico e acolhimento. Este ano, com a pandemia de Covid-19, criou a campanha “FomeZeroLuz”, garantindo cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade extrema.

Em 2014, ganhou o Prêmio Shell na categoria Inovação pelo trabalho de ocupação e intervenção social e artística que contribui para transformação urbana da região da Luz. E em 2019, o diretor Paulo Faria recebeu da ALESP 23o Prêmio Santo Dias em Direitos Humanos.

Quer outras dicas de programas culturais?

Agência Fática

Em parceria com Agência Fática

A Fática é uma agência de comunicação especializada em produzir conteúdos sobre cultura em suas diferentes linguagens.