Mansão no centro de SP abriga peça baseada em Tennessee Williams

'Hotel Tennessee' reúne trechos e personagens de 12 obras do autor americano, em cenas que ocorrem ao mesmo tempo nos vários cômodos desse casarão

Por: Redação Comunicar erro
Até
17
de março 2019
Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
Às quintas, às 20h; às sextas, às 21h; aos sábados, às 19h e às 21h30; e aos domingos, às 17h30 e às 19h30. Classificação: 12 anos. Duração: 70 minutos.

Conhecido por criar personagens derrotados e marginalizados, o dramaturgo norte-americano Tennessee Williams (1911-1983) tem 12 de suas peças curtas lembradas no espetáculo “Hotel Tennessee”, em cartaz até 17 de março, na Casa da Don’Anna, um casarão antigo reformado nos Campos Elíseos, zona central de São Paulo.

As sessões ocorrem às quintas-feiras, às 20h; às sextas, às 21h; aos sábados, às 19h e às 21h30; e aos domingos, às 17h30 e às 19h30, com ingressos vendidos por até R$40.

Cena de Hotel Tennessee
Espetáculo reúne trechos de 12 peças curtas de Tennessee WilliamsRonaldo Gutierrez - divulgação
Cena de Hotel Tennessee
"Hotel Tennesee" é encenado pelos atores que participam de um núcleo de estudos sobre a obra do autor norte-americano, mantido pelo Grupo TAPARonaldo Gutierrez - divulgação
Cena de Hotel Tennessee
"Hotel Tennesse" tem cenas que ocorrem simultaneamente em diferentes cômodos da mansãoRonaldo Gutierrez - divulgação
Cena de Hotel Tennessee
Montagem de peças de Tennesse Williams acontece na Casa da Don'Anna, um casarão que foi recentemente restauradoRonaldo Gutierrez - divulgação

Com direção de Ana Lys e Brian Penido Ross, a peça interativa se passa na década de 1940 em um hotel decadente em Nova Orleans, nos Estados Unidos. Apesar de sua decoração retrógrada e de estar sem manutenção há muitos anos, esse lugar já foi charmoso e bem frequentado.

Tudo começa no lobby, em uma recepção-bar, onde acontece uma cena inicial com todos personagens da peça. Em seguida, os espectadores são convidados pelos personagens a escolher uma das várias histórias do espetáculo, que ocorrem simultaneamente nos outros cômodos do casarão. A ideia é que o público volte em outras apresentações para acompanhar o desfecho das demais narrativas. Por esse motivo, quem apresentar o primeiro ingresso tem direito a meia-entrada na segunda sessão.

A plateia tem a oportunidade de conhecer as histórias de importantes personagens de Williams, como as icônicas Blanche Dubois, de “Um Bonde Chamado Desejo”, e Maggie, de “Gata em Telhado de Zinco Quente”. O que essas figuras têm em comum é que são seres humanos incompreendidos e renegados, que, na maioria das vezes, sofrem preconceitos por não se enquadrar aos padrões sociais.

As demais peças do americano que inspiraram à encenação são “No Bar do Tokio Hotel”, “O Quarto Rosa”, “Essas São as Escadas Que Você Tem Que Vigiar”, “Por Que Você Fuma Tanto, Lily”, “Essa Propriedade Está Condenada”, “Adão e Eva em uma Balsa”, “27 Carros de Algodão “A Dama da Loção Anti Piolho”, “Mr Paradise” e “Doce Pássaro da Juventude”.

A montagem é resultado de uma pesquisa de dois anos do núcleo de estudos aprofundados de Tennessee Williams, organizado pelo Grupo TAPA. Além dos diretores, que também atuam, o elenco é formado por Augusto dos Santos, Suzana Muniz, Fernando Medeiros, Marcelo Schmidt, Alessandra Lia, Klever Ravanelli, Jéssica Monte, Suel Silva, Felipe Souza, Gabriela Westphal, Thiago Merlini, Laura Ishikawa e Jean Le Guévellou.