Visite o MASP sem sair de casa e aproveite uma super programação

Dá pra matar a saudade do MASP por meio de tours online, lives com curadores e convidados e muitas outras programações especiais!

Um dos museus mais queridinhos de São Paulo preparou uma programação diferentona para driblar o tédio do isolamento social. O MASP desenvolveu uma série de atividades online interessantes para quem quer dar um tempo do sofá – e dos streamings.

Masp is the most famous museum in São Paulo, Brazil. It's located on Avenida Paulista, the most famous street in the city. The color red on the pilars is its trademark, and on the weekend it's a popular destination with tourists, and locals alike.

Crédito: IStock/@Solange_ZCriado por Lina Bo Bardi, o MASP é o cartão postal de SP com seu vão gigantesco – um dos maiores do mundo!

É a chance perfeita de explorar o museu de forma mais afetiva. Todas as segundas, às 18h, acontece uma live no Instagram do MASP com conversas entre curadores da instituição e convidados.

Para começar com tudo, a primeira é no dia 6 de abril e envolve o diretor artístico Adriano Pedrosa e a curadora-adjunta de histórias Lilia Schwarcz. O bate-papo aborda a noção plural e polifônica que guia a programação do museu anualmente desde 2016. O conceito abrange tanto a ficção como a não ficção, as narrativas pessoais, políticas, econômicas, culturais e mitológicas. Acompanhe as redes sociais para se programar para as próximas 😉.

Além disso, a série masp [curadoria] em casa abastece as páginas do do Twitter, Facebook e Instagram com um monte de conteúdos interessantes sobre o acervo e o cotidiano desse cartão portal paulistano!

São comentários de curadoras e curadores sobre alguma imagem relacionada ao museu, mas de um ponto de vista super pessoal. E esse time incrível não fala apenas das obras. Detalhes de arquitetura e relatos de outras atividades, como seminários, também estão inclusos.

View this post on Instagram

[curadoria] em casa Trabalhar num museu é estar perto de um acervo, o que permite olhar com atenção para as obras de arte. No MASP, a mostra da coleção no segundo andar, o ‘Acervo em transformação’, está sempre mudando, e um dia fui surpreendida por três pinturas que eu já conhecia, mas que nunca tinha visto lado a lado: uma de Rubem Valentim, outra de Alfredo Volpi e uma terceira de Abdias do Nascimento. Vistos juntos, os três falam sobre a ideia de modernismos plurais, algo que se tem discutido muito recentemente, e sobre quem eram e são os artistas que ocupam os principais espaços nos museus e na história da arte. Volpi foi um artista branco, nascido na Itália, um dos grandes nomes da arte brasileira e do colecionismo do século 20, e pela primeira vez, ali no MASP, ele está cercado por esses dois artistas brasileiros negros geniais, pouco vistos, o Valentim e o Nascimento, que não por acaso só entraram muito recentemente no acervo, no contexto de ‘Histórias afro-atlânticas’, um marco na história da exposições. É interessante ver como a linguagem construtiva pode ser reapropriada e ressignificada, seja para representar fachadas e bandeiras ou símbolos afro-brasileiros. O trabalho curatorial reside nisso também, em provocar nosso olhar através desses encontros e associações. Para mim, como curadora negra, ou para qualquer pessoa independente do pertencimento racial, essa pluralidade é fundamental. E você, quer compartilhar quais outras interpretações esse trio pode gerar? @amanda.carneiroo é curadora assistente @masp 1. Repost @julia.mullie Três geométricos no ‘Acervo em transformação’ do MASP 2. Rubem Valentim, 'Composição 12', 1962, doação Ana Dale, Antonio Almeida e Carlos Dale Junior, 2017 3. Alfredo Volpi, 'Fachada com bandeiras', 1959, doação Ernest Wolf, 1990 4. Abdias do Nascimento, 'Okê Oxóssi', 1970, doação Elisa Larkin Nascimento | Ipeafro, 2018 Nesta nova série do masp [curadoria] em casa, pedimos aos colegas da curadoria para escrever sobre uma imagem ou lembrança de algum modo relacionada ao museu a partir de uma perspectiva pessoal. #maspemcasa #maspcuradoriaemcasa #rubemvalentim #alfredovolpi #abdiasdonascimento #históriasafroatlânticas

A post shared by Museu de Arte de São Paulo (@masp) on

Para quem quer conhecer mais profundamente as obras icônicas do museu, é só baixar o app MASP Áudios. Lá estão cerca de 170 comentários feitos por curadores, artistas, professores, pesquisadores e crianças sobre quadros de Renoir, Van Gogh, Almeida Júnior, Monet, Portinari e mais.

MASP online: quadro Retirantes, de Cândido Portinari

Crédito: Acervo MASPSaiba mais detalhes sobre o quadro “Retirantes”, de Cândido Portinari, com o app MASP Áudios

O canal do YouTube também está movimentado para a programação do MASP online. É possível assistir diversos vídeos de seminários e palestras, entrevistas com os artistas e outros detalhes sobre algumas exposições.

Mas se você quiser  percorrer os corredores do museu para observar as obras mais de perto, no Google Arts & Culture é possível fazer um tour virtual e explorar a exposição permanente do MASP, o “Acervo em Transformação”. E ainda contemplar os belos cavaletes de vidro, concreto e madeira projetados por Lina Bo Bardi! Só amor <3

Outros museus estão investindo em uma programação interessante online! Veja só: