Últimas notícias:

Loading...

Mês da mulher impulsiona programação do Sesc Itaquera

Por: Redação

Durante todo o mês de março, a programação do Sesc Itaquera recebe shows, oficinas, ações de cidadania e bate-papos, tudo voltado às comemorações do Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 deste mês. A programação tem entrada Catraca Livre e convida o público a pensar nas diversas formas possíveis de retratar e viver a feminilidade.

Entre os destaques, estão os shows das cantoras Maria Rita, Negra LiMC Soffia, Desa Pauline, Quarteto Afrodite; e também intervenções literárias com #KD Mulheres, Blogueiras Negras, Lívia Lima, Tati Matos, Juliana Gaia e Grazi Pizani; além das ações artísticas com o Coletivo Ágata, da mostra de filmes, das oficinas e dos bate-papos.

Confira a programação completa abaixo:

[tab:Música]

MC Soffia

Soffia Gomes Rocha Gregório Correa conhecida nacionalmente como MC Soffia, é rapper mirim que mistura Rap com poesia. Com apenas 11 anos de idade canta músicas contestadoras sobre os paradigmas sociais impostos a população pobre e negra. Para ela, nascida e criada na periferia de São Paulo, o rap significa “música de força e resistência”. Começou sua carreira aos 6 anos de idade após ter participado de uma oficina de MC em um projeto chamado “O Futuro do Hip Hop” e hoje já é reconhecida no movimento nacional, já sendo considerada por muitos como uma referência.

Participou de diversos programas da TV e fez diversas participações especiais dentro e fora de São Paulo, em eventos de grande importância como comemoração do Dia da África, VI Encontro Paulista de Hip Hop, Festival Afrolatinidades em Brasília, XI Igbá – Seminário Afro Alagoano, Aniversario da Casa de Hip Hop de Diadema, Evento Hip Hop Mulher, inauguração da Casa de Hip Hop de São Bernardo do Campo na qual foi premiada com um troféu de artista revelação, entre outros eventos.

Local: Praça de Eventos.

Livre

Grátis

06/03. Domingo, às 15h

Maria Rita – Samba da Maria

Neste show, que estreou no Rio de Janeiro, Maria Rita interpreta os clássicos do samba que mais a emocionam, passeando também por homenagens a artistas que admira e que influenciaram sua carreira, como Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz. Outro ponto de destaque do show é a homenagem à voz feminina do samba, com canções de Adriana Calcanhotto, Beth Carvalho, Elis Regina e Alcione. O repertório inclui ainda músicas inéditas e grandes sucessos da carreira. No palco, acompanhando a cantora, estão Davi Moraes na guitarra, Fred Camacho no banjo e cavaco e Marcelinho Moreira e André Siqueira na percussão.

Local: Palco da Orquestra Mágica.

Livre

Grátis

13/03. Domingo, às 15h

Negra Li

A cantora e atriz paulistana Negra Li apresenta canções de seu mais recente trabalho “Tudo de Novo”, ao lado de um repertório que mistura gêneros como o samba, a MPB, o soul e o hip hop. O show conta ainda com sucessos da carreira, como “Guerreiro Guerreira”, “Você Vai Estar Na Minha” e “Um Minuto” (D’Black), e homenagens a grandes nomes da música como Jovelina Pérola Negra, Elis Regina, Sandra de Sá, Tim Maia e Jorge Ben Jor, entre outros. Local: Praça de Eventos.

Livre

Grátis

20/03. Domingo, às 15h

Desa Pauline – Desanuviar

Desa viveu a infância cantando e dançando o folclore em Feira Grande – sua cidade de origem, no agreste de Alagoas. Adolescente, foi desabrochar seu canto em teatros e casas de shows de Maceió, onde viveu e, inspirada, compôs algumas canções. Sempre movida pela música, mudou-se para São Paulo, sendo acolhida pelo bairro da Bela Vista no centro, lugar que inspirou parte das composições do seu primeiro álbum “Desanuviar”, trazendo o frescor e psicodelismo dos riffs de Marcelo Sanches (produção musical e guitarra), Juliano Julius (bateria e percussão), Davi Indio (baixo elétrico e acústico) e Felipe Faraco (teclado). O álbum Desanuviar revela influências de um cotidiano rico em melodias, timbres e texturas sonoras, trazendo na composição a transformação do que ouve em canções, instigada pelas sensações vindas da sua relação com o movimento da cidade e o meio que a rodeia. Esse é o segundo trabalho em estúdio da cantora que teve um EP “Desa” produzido em Maceió por Alvinho Cabral, lançado em 2012 pelo Sesc Alagoas. Dona de uma voz suave e ao mesmo tempo forte, Desa realizou uma campanha de financiamento coletivo no Catarse, sendo desta forma possível a finalização do CD.

Local: Praça de Eventos.

Livre

Grátis

27/03. Domingo, às 15h

Concerto

Quarteto Afrodite – Manhãs Clássicas

O Quarteto Afrodite é constituído por instrumentistas da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. São musicistas de formação erudita, que se dedicam também a estudo da música popular. O quarteto foi criado com o objetivo de aprimorar o conhecimento e a prática da música em conjunto, e, ao mesmo, tempo divulgar o repertório para esta formação. O repertório apresenta obras compostas apenas por mulheres, em uma pesquisa que mostra obras contemporâneas ao lado de clássicos como “Lua Branca”, de Chiquinha Gonzaga e “Happy Birthday to You”, de Mildred Hill. Local: Área de Convivência Com Cíntia Zanco no violino, Silvia Velludo no violino, Bel Rebello na viola e Marisa Silveira no violoncello. Cíntia Zanco

Iniciou seus estudos na Schola Cantorum do Palácio das Artes BH/MG. Foi assistente de direção musical do espetáculo teatral “Os Lusíadas”. Foi Spalla da montagem brasileira do musical Les Misérables. Foi indicada a concorrer pela APETESP ao prêmio de melhor trilha sonora pelo espetáculo “Eleonora e Elenice” de Tácito Rocha. Vem desenvolvendo extenso trabalho como compositora, orquestradora e arranjadora. Atualmente é membro da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Silvia Velludo

Iniciou seus estudos no Conservatório de Música de Rio Claro e de violino na Escola Livre de Música de Rio Claro. Foi spalla e solista da Orquestra Sinfônica de Rio Claro e da Orquestra de Câmara da USP. É Bacharel em violino pela ECA-USP. Participou de peças teatrais como violinista e atriz. Atualmente, é violinista da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, da Orquestra Jazz Sinfônica e do Quarteto Nobilis. Participa como violinista do quinteto de tango da Cia Tango & Paixão ao lado do bandoneonista uruguaio Pocho Cáceres desde 2009.

Bel Rebello

Iniciou seus estudos musicais aos cinco anos de idade em Jundiaí. É bacharel em viola pela Faculdade Santa Marcelina e Mestre em Musicologia pela USP. Foi selecionada para representar o Brasil como componente da Orquestra Sinfônica Juvenil das Américas, em Porto Rico, e da Orquestra Mundial (Jeunesses Musicales – UNESCO) no Canadá, Alemanha e Bélgica. Fez diversos cursos e festivais no Brasil e no exterior. Foi integrante de várias orquestras. Atualmente é membro da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Marisa Silveira

Iniciou seus estudos de violoncelo em Tatuí, com os professores Hélio Magalhães e Greetchen L. Muller. Participou de diversos Festivais de Inverno em Campos de Jordão. Participou do curso de Violoncelo “Aldo Parisot”. Foi integrante das Orquestras Sinfônica Estadual, Sinfônica Jovem Estadual, Sinfônica Jovem e Sinfônica Municipal de São Paulo. Tem se apresentado com inúmeros artistas da música popular e erudita. Atualmente é integrante da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Livre

Grátis

27/03. Domingo, às 11h30

[tab:Tecnologia e Artes]

Intervenções

Projeto VER-SE – Com o Coletivo Ágata

O projeto VER-SE consiste em um conjunto de ações artísticas criadas para serem vivenciadas, especialmente, pelas mulheres, com o objetivo de problematizar a representação e a autorrepresentação da mulher na sociedade contemporânea, valorizando suas histórias e provocando formas de empoderamento. O projeto se divide em duas etapas: uma residência artística e ateliers abertos em que as participantes irão trabalhar com o tema da fotografia e o autoretrato. Acompanhe e participe das etapas:

Dias 19 e 20/03 – Café com Elas

Ocupação em que o público é convidado a tomar um café com bolo e compartilhar histórias de vida, dividindo experiências. Ao final da conversa, a participante é convidada a posar para uma fotografia no estúdio mambembe montado. O retrato, com a permissão da convidada, irá registrar o momento de troca e servirá de insumo para as ações artísticas das demais etapas da atividade. Local: Mirante do Lago

Dias 26 e 27/03 – Decantar o Que Ficou

Performance que une exposição, panfletagem e contação de histórias, utilizando o material colhido no primeiro encontro “Café com Elas” e produzido juntamente com o público. Local: Mirante do Lago

Dias 02, 03, 09 e 10/04 – A Imagem da Mulher – do Autorretrato ao Selfie

Atelier criativo que visa contextualizar a representação da mulher através da fotografia, dando exemplos de trabalhos de fotógrafas famosas e convidando as participantes a tirarem “selfies com conteúdo”. Conceitos sobre fotografia, captação da imagem (câmara escura), estilos e história da arte servirão de subsídio para a produção artística final. Local: Espaço de Tecnologias e Artes Participação especial do Coletivo “Nós, mulheres da periferia” Sobre o Coletivo Ágata

Formado em julho de 2012 por Camila Martins, Juliana Biscalquin, Juliana Brito, Juliana Farinha, Luciana Dal Ri e Lucila Mantovani, o coletivo parte da pesquisa do processo criativo para criar ferramentas de compreensão e atuação no contexto da arte contemporânea.

Não recomendado para menores de 10.

Grátis

19 a 26/03. Sábado, das 10h às 13h

20 a 27/03. Domingo, das 14h às 17h

[tab:Literatura]

Intervenção

Mulheres em Verso e Prosa – com #KD Mulheres, Blogueiras Negras, Lívia Lima, Tati Matos, Juliana Gaia e Grazi Pizani

Diálogo permeado por música sobre feminismo, literatura e a visibilidade da mulher brasileira nos meios de divulgação, fomento e mediação à escrita literária e à leitura.

Com #KD Mulheres, coletivo feminista que desenvolve ações a fim de promover visibilidade para as mulheres no campo da literatura e seu empoderamento para a escrita; Blogueiras Negras, mulheres reunidas em torno das questões da negritude, do feminismo e da produção de conteúdo; Mediação da ativista Lívia Lima e apresentação musical de Tati Matos no vocal, Juliana Gaia na guitarra e Grazi Pizani no trompete flugel.

Local: Praça de Eventos.

Livre

Grátis

19/03. Sábado, às 15h30

Em busca da própria voz: oficina de escrita e literatura para mulheres – com o coletivo #KD Mulheres

Oficina de escrita com o coletivo #KD Mulheres, com o objetivo de reunir mulheres escritoras ou em processo de construção da escrita, para que descubram e se fortaleçam no processo de construção literária.

Por meio do debate sobre a posição da mulher no campo da literatura, da leitura de textos de escritoras icônicas e de práticas que convidam à experimentação da escrita, a atividade pretende ajudar as participantes a se aproximarem mais de seu estilo e de sua voz literária, conquistando também a confiança necessária para a sua atuação.

O #KDmulheres é um coletivo feminista que desenvolve ações que promovem visibilidade para as mulheres no campo da literatura e seu empoderamento para a escrita. Entre suas atividades, estão debates e rodas de conversa sobre a invisibilidade das mulheres escritoras, oficinas de formação e experimentação da escrita e a publicação de fanzines produzidas exclusivamente por mulheres.

Local: Quiosque da Praça.

Livre

Grátis

12/03. Sábado, das 10h às 13h

Púrpura Círculo de Mulheres: O Resgate do Sagrado Feminino – com Viviane Fernanda Santos

Encontro mensal do projeto “Biblioteca de Inventar” do BiblioSesc, programa de biblioteca volante que atende sete bairros na Zona Leste de São Paulo. Neste encontro, fazemos um convite à participação em um círculo envolvendo arte, danças circulares e estudos dos mitos e arquétipos sobre temas pertinentes ao feminino, como acolhimento, nutrição, cuidado, criatividade, integração, cooperação, transformação, cura, ciclos e presença, despertando e colocando em movimento essa energias.

Com Viviane Fernanda Santos, doula, arteterapeuta, arte-educadora, artista plástica e focalizadora de danças circulares sagradas. Viviane também é pesquisadora do Sagrado Feminino e das medicinas ancestrais, seguidora da Pedagogia Profunda e Guardiã do Púrpura Círculo de Mulheres, trabalhando com mulheres e com o resgate do Feminino.

Local: Figueira.

Livre

Grátis

19/03. Sábado, das 11h às 14h

Livro Conta: Eva, Bruxinhas e Cia – com Lili Flor e Paulo Pixu

A premiada escritora e ilustradora Eva Furnari será a homenageada do projeto “Livro Conta” do mês de março. Eva Furnari nasceu em Roma, Itália, em 1948, e veio para o Brasil aos dois anos de idade. Foi colaboradora de diversas revistas como ilustradora e publicou durante quatro anos histórias da Bruxinha no suplemento infantil do jornal Folha de São Paulo. Iniciou sua carreira de escritora e ilustradora de livros infanto-juvenis em 1980 e é autora de 60 livros como “Truks”, “A Bruxa Zelda e os 80 Docinhos”, “Anjinho”, “Circo da Lua”, “Cacoete” e “Felpo Filva”.

Lili Flor e Paulo Pixu contarão as histórias de Eva Furnari dedicadas às figuras femininas, como a Bruxinha Zuzu, a Marilu, a Mel, a Trudi e a Kiki, personagens tão singulares de nossa literatura. Antes e depois da apresentação haverá mediação de leitura das obras da escritora.

Local: Área de Convivência.

Livre

Grátis

05/03. Sábado, das 12h às 15h

12/03. Sábado, das 12h às 15h

26/03. Sábado, das 12h às 15h

[tab:Cinema]

Tão Longe é Aqui – Dir.: Eliza Capai, 2013, BRA, 76′

No filme dirigido por Eliza Capai, a partir de memórias guardadas de uma longa viagem, uma carta é enviada para o futuro. Sozinha, longe de casa e às vésperas de completar 30 anos, uma brasileira parte em uma jornada pela África. Na carta para sua filha, ela conta dos encontros com mulheres que vivem em suas culturas e tempos.

Local: Sala de Convenções.

Não recomendado para menores de 12.

Grátis

12/03. Sábado, às 14h

Bate-papo

O Universo Feminino no Cinema – com Eliza Capai, Juliana Vicente e Rosana Urbes

Bate-papo sobre o universo feminino no cinema com as cineastas Eliza Capai, Juliana Vicente e Rosana Urbes.

Eliza Capai é jornalista e desde 2001 dirige documentários com temáticas sociais e de gênero. Em 2013, lançou seu primeiro longa, “Tão Longe é Aqui”, no Festival do Rio com prêmio de Melhor Filme na Mostra Novos Rumos. Em 2014, seu curta “Severinas” foi finalista do Premio Garcia Marques de Jornalismo Ibero-americano. O curta “No devagar depressa dos tempos”, de 2015, recebeu o Prêmio do Público do Festival de Vitória e acaba de concluir os vídeos da webserie Linhas do Greenpeace.

Juliana Vicente é produtora, diretora e fundadora da Preta Portê Filmes. Seu trabalho tem sido visto em diversos festivais, como o curta “Avós” no Festival de Berlim em 2010, “Os Sapatos de Aristeu” no Festival de Clermont-Ferrand em 2009 e “Filme Para Poeta Cego” no International Film Festival of Rotterdam em 2013, premiado com mais de 50 prêmios. Dirigiu o curta-metragem “Cores e Botas”, o documentário média-metragem “Leva” e o curta “As Minas do Rap”.

Rosana Urbes é ilustradora de livros infantis, produtora e diretora de filmes de animação. Seu filme “Guida” recebeu cinco prêmios no Anima Mundi 2014, o segundo maior festival de animação do mundo. Rosana foi a primeira animadora brasileira a vencer a mostra competitiva do festival. Rosana também trabalhou nos Estúdio Disney, em filmes como “Mulan”, “Tarzan” e “Lilo & Stitch”.

Local: Sala de Convenções.

Livre

Grátis

12/03. Sábado, às 15h30

Oficina

Cine Cabine: Tecendo Histórias em uma Colcha de Retalhos

Vinculada à programação Múltiplos Femininos do Cine Cabine, a oficina Tecendo Histórias em uma Colcha de Retalhos tem por objetivo compor uma colcha de retalhos a partir das histórias contadas pelos participantes, em que a representação de cada um em um pedaço de tecido está em diálogo com os outros pedaços.

Local: Sede Social.

Livre

Grátis

06/03 a 03/04. Domingos, das 11h às 11h40

Exibição de curtas – Múltiplos Femininos

Exibição de curtas-metragens sobre a multiplicidade do universo feminino com os seguintes filmes:

Vida Maria (Márcio Ramos, 2008, Brasil, 9′)

Dirigido por Márcio Ramos, o filme conta a história de Maria José, uma mulher levada a largar os estudos para trabalhar. Enquanto trabalha, ela cresce, casa, tem filhos, envelhece. Ao final, o início de um novo ciclo que vai reproduzir o seu passado no futuro de sua filha.

As Minas do Rap (Juliana Vicente, 2015, Brasil, 13′)

Documentário dirigido por Juliana Vicente com entrevistas de mulheres ligadas ao hip hop, abordando o histórico feminino dentro do movimento e dando voz a artistas como Negra Li e Karol Conka.

Saliva (Esmir Filho, 2007, Brasil, 15′)

Dirigido por Esmir Filho, o curta viagem na mente de uma menina de 12 anos prestes a dar seu primeiro beijo. Dúvidas e medos mergulhados em saliva.

No Devagar Depressa dos Tempos (Eliza Capai, 2015, Brasil, 25′)

Dirigido por Eliza Capai em 2015, o curta-metragem fala sobre a cidade de Guaribas, ali bem do lado da Serra das Confusões, interior dos interiores do Brasil. Neste lugar, onde o tempo da escravidão ainda é frase no presente, algo começa a mudar.

Marina Não Vai à Praia (Cássio Pereira dos Santos, 2014, Brasil, 17′)

Dirigido por Cássio Pereira dos Santos, o filme conta a história de um grupo de adolescentes do interior de Minas Gerais que se prepara para uma excursão para o litoral. Marina, uma adolescente com Síndrome de Down, deseja conhecer o mar. Impedida de viajar com sua irmã, ela busca outros caminhos para realizar o seu sonho.

Guida (Rosana Urbes, 2014, Brasil, 11′)

Dirigido por Rosana Urbes, o filme apresenta Guida, uma mulher que trabalha como arquivista há 30 anos e tem sua rotina modificada ao se deparar com um anúncio para aulas de modelo vivo.

Local: Sede Social.

Livre

Grátis

02/03 a 03/04. Quarta a sábado, das 11h às 13h

06/03 a 03/04. Domingos, das 12h às 13h

[tab:Meio Ambiente]

Papel de Mulher: Oficina de papel reciclado artesenal – Com Grupo Papel de Mulher

O grupo Papel de Mulher é composto por mulheres do Jardim Ângela, localizado na zona sul de São Paulo, e realizará uma oficina de confecção de papel reciclado artesanal, que pode ser utilizado para a criação de cartões, cartas, capas para agendas e cadernos, dentre outras possibilidades. O grupo trará também para o público um diálogo sobre a experiência de empoderamento feminino através do trabalho empreendedor na periferia. Local: Ateliê da Praça.

Livre

Grátis

06/03. Domingo, das 14h às 17h

20/03. Domingo, das 14h às 17h

Ações para a Cidadania

DE VÉUS E VELAS – CULTURA ÁRABE

Programação de janeiro a março que aborda os mistérios, sutilezas e aromas da cultura árabe.

O feminino na cultura árabe pelas letras e danças.

O primeiro encontro, em 12/03, será com a bailarina Luiza Mello e a arte-educadora Elis Mello de Oliveira, que apresentarão os Contos das Mil e Uma Noites e autoras contemporâneas em prosa e dança, mostrando como a mulher e o feminino estão presentes na Cultura árabe.

No segundo encontro, dia 19/03, receberemos a descendente, estudiosa, atriz e contadora Valéria Arbex, que apresentará textos antigos e contemporâneos que narram o entendimento sobre o feminino em algumas das várias culturas árabes – sedução, poesia, garra e determinação descritas em expressões sutis e provocadoras por autoras oriundas destas culturas.

Local:Praça de eventos.

Livre

Grátis

12/03. Sábado, das 15h às 16h15

19/03. Sábado, das 14h às 15h15

[tab:Especial]

Programação Especial para mães de primeira viagem

PEQUENOS GESTOS

Encontros, vivências, oficinas e intervenções artísticas voltadas para a primeira infância.

bate-papo

Ser mãe e mulher – as descobertas da primeira gravidez   – Com a Dra. Daphne Rattner

Neste encontro, mamães novatas compartilharão experiências sobre a primeira gravidez, contando como reagiram às mudanças em seu corpo, seus anseios, medos, dúvidas e como lidam com essa nova responsabilidade.

Daphne Rattner é presidente da Rede pela Humanização do Parto e Nascimento- REHUNA, Doutora em Epidemiologia – University of North Carolina (2001). Trabalhou como Técnica Especializada na Área Técnica de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde de 2004 a 2009. Atualmente é Professora Adjunta na Disciplina de Epidemiologia, no Departamento de Saúde Coletiva, Faculdade de Ciências da Saúde, na Universidade de Brasília). 

Local: Sala de Convenções.

Livre

Grátis

12/03. Sábado, das 11h às 12h30

[tab:END]

?>