Últimas notícias:

Loading...

Mês da Mulher: curta várias atrações empoderadas sem sair de casa

O que as minas querem é muito evento massa e poderoso! Confira nossa seleção:

Por: Redação

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

Mês da Mulher
Crédito: Letícia Lima | Divulgação | Reprodução | João MariaAproveite a programação empoderada do Mês da Mulher

Todo ano é a mesma coisa: 8 de março, Dia Internacional da Mulher, as mulheres são presenteadas com flores e chocolates, mas na realidade esta é uma data de luta por direitos. E nada é mais empoderador do que a ocupação dos espaços, não é? Por isso, incentivamos você a celebrar o Mês da Mulher com várias atrações bacanas.

E o que não faltam são eventos para as minas curtirem e muito! A seleta lista da Agenda Catraca Livre reúne somente opções gratuitas e que acontecem online.  Vamos juntas?!

Hilda Hilst
Crédito: Juan Esteves“8x Hilda” investiga o teatro completo da escritora paulistana Hilda Hilst

Quem adora teatro e literatura vai se encantar com o projeto de leituras dramáticas “8x Hilda”, com curadoria de Fábio Hilst. O público tem a chance de mergulhar no universo teatral da escritora paulistana Hilda Hilst, a partir de um estudo profundo que desvenda os textos, subtextos e mais de 60 personagens.

As peças traduzem uma atmosfera claustrofóbica de opressão e de questionamento ao sistema, representado por instituições como a Igreja e o Estado. E os personagens – vítimas ou algozes – aparecem quase sempre em situações-limite, presos às estruturas que escravizam e alienam.

Onde: no canal do YouTube @CuradoriaHilst
Quando: todos os domingos, até 28 de março, sempre às 18h
Quanto: grátis

Quem gosta de um show suave e gostosin PRECISA conferir as lives da Lu Horta, uma das fundadoras do Barbatuques. As performances integram o projeto “No Meu Lugar”, que está cheio de convidades especiais.

A série surgiu da necessidade da artista de mostrar suas múltiplas facetas e comemorar seus 20 anos de carreira solo. Afinal, além de cantar, ela toca percussão corporal, violão e ukelele.

Onde: no canal do YouTube da Lu Horta
Quando: dias 6, 13, 20, 27 de março e 10 de abril, sempre às 18h30
Quanto: grátis

  • “Leopoldina, Independência e Morte”
Mês da Mulher, Leopoldina
Crédito: Victor Iemini/ divulgação“Leopoldina, Independência e Morte” faz uma temporada online por conta do Dia Internacional da Mulher

Essa dica é para quem curte história. O espetáculo “Leopoldina, Independência e Morte”, de Marcos Damigo, recria três momentos da vida da arquiduquesa austríaca que viveu no Brasil no século 19, entre 1817 e 1826.

Recém-chegada da Europa, ela relata a uma interlocutora estrangeira suas primeiras impressões sobre o Brasil. Em um segundo momento, Leopoldina, agora imperatriz, e José Bonifácio, seu principal aliado, analisam o complexo processo de independência após um acerto de contas. Por fim, num delírio que consumiu seus últimos dias, ela relaciona sua vida, sua época e os projetos em disputa naquele momento com os dias de hoje.

Onde: no canal do YouTube do espetáculo com legendas e no Facebook da peça com interpretação em Libras
Quando: dia 8, às 20h30; dias 9, 10, 11 e 12, às 10h30, às 15h30 e às 20h30; e dias 13 e 14, às 15h30 e às 20h30
Quanto: grátis

  • Lives da cantora peruana Martha Galdos

Para quem curte uma latinidade, a cantora peruana Martha Galdos realiza uma série de live shows imperdíveis. Na série “Colores” ela faz uma fusão de ritmos sul-americanos, mesclando essas sonoridades ao jazz, à world music e à música brasileira.

A parceria com Dante Ozetti é um dos pontos fortes do show. O compositor e arranjador terá participações especiais nas apresentações, que também incluem faixas do primeiro disco da cantora, “Respiraré” (2016), produzido pelo pianista e arranjador peruano Pepe Céspedes (Susana Baca), e Leonardo “Gigio” Parodi, aclamado pela crítica brasileira e latino-americana.

Onde: no canal do YouTube @MarthaGaldos
Quando: 10, 17, 26 e 31 de março, e 3 de abril, às 20h
Quanto: grátis

  • “Semente”
Semente, Mês da Mulher
Crédito: João Maria/ divulgação“Semente” revela a busca de uma artista por encontrar a própria voz

Para celebrar os 25 anos de carreira, a atriz Stella Tobar estreia o espetáculo virtual “Semente”, com direção de Eucir de Souza. O texto foi criado a partir de uma negativa dos direitos autorais para a adaptação da obra “A ciranda das mulheres sábias”, de Clarissa Pínkola Estés.

Na trama, inspirada em contos da própria Stella, o público acompanha uma série de narrativas que se cruzam e constroem um sentido de vida. São facetas de uma mesma personagem em situações diversas na busca por viver “de verdade”.

Uma mulher vive sozinha com a filha em um apartamento. Uma artista tem o pedido de autorização para adaptação de um texto negado. Uma mulher nega seus desejos íntimos. Uma atriz tenta escrever um texto teatral. Alguém recebe um telefonema comunicando a morte de um parente. Uma mulher sofre um acidente fatal. Alguém tenta encontrar um caminho de evolução espiritual. Uma anciã aconselha sobre a morte e a vida.

Onde: Zoom
Quando: 11 a 18 de março, sempre às 22h
Quanto: grátis | Reserve o ingresso por este link

Está curtindo esse seleção de eventos para o Mês da Mulher? Bora conferir mais dicas!

 

  • Santos Film Fest
Mulher Oceano
Crédito: Reprodução“Mulher Oceano”, de Djin Sganzerla, está na programação do evento

Cinéfilas, entre os dias 16 e 23 de março acontece um festival super empoderado! A nova edição do Santos Film Fest conta com 75 produções dirigidas ou produzidas por mulheres e 20 atividades formativas. São curtas e longas-metragens de vários cantinhos desse mundão!

Foram selecionadas obras dos mais diversos estilos, tanto de jovens cineastas quanto de profissionais mais experientes. Você confere toda a programação neste link.

A homenageada dessa edição online é a cineasta brasileira do Cinema Novo, Adelia Sampaio, primeira negra a dirigir um longa no país. Ela será lembrada em duas sessões duplas com o curta “Denúncia Vazia” (1979) e o longa “Amor Maldito” (1984), primeiro filme lésbico do país.

Onde: no site do Santos Film Fest
Quando: entre 16 e 23 de março
Quanto: grátis

  • “Violeta”
Violeta, Mês da Mulher
Crédito: Leticia Lima/ divulgação“Violeta” é um espetáculo delicado sobre envelhecimento feminino

O envelhecimento feminino é tema da peça “Violeta”, da bonequeira, marionetista e puppeteer Daiane Baumgartner , que mescla música, teatro de objetos e uma boneca hiper-realista. A artista se juntou ao músico João Sobral para produzir um trabalho que refletisse sobre solidão, conflitos geracionais, medos, anseios, opressão, preconceito e fundamentalismo religioso.

Na história, após a morte de seu marido, Violeta vai para a casa de seus filhos levando tudo o que tem. Na estação de trem encontra Antonio Bento, um músico de rua e inventor que passa seus dias ali na estação, entre chegadas e partidas. Nesse encontro somos convidados a assistir e a participar das lembranças, dores e amores da vida dessa senhora, que nos mostra como é importante valorizar o agora!

Onde: no canal do YouTube @DaianeBaumgartner
Quando: 18 a 27 de março, às quintas, sextas e sábados, às 19h
Quanto: grátis

  • “Donzela Guerreira”
Donzela Guerreira, Mês da Mulher
Crédito: @capturame/ Facebook“Donzela Guerreira” ganha três transmissões online no mês de março

Tem mais peça empoderada na nossa listinha para curtir o Mês da Mulher! “Donzela Guerreira”, da Cia. Mundu Rodá, Com direção de Jesser de Souza, é a busca de uma tradução poética (do romance de tradição oral que narra a trajetória da donzela que vai à guerra), atualizada no tempo, no espaço, nos sons, nas palavras e nos corpos dos atores-pesquisadores Juliana Pardo e Alício Amaral.

Em resumo, a travessia de uma jovem que se disfarça de homem para seguir em combate no lugar de seu velho pai. Como soldado, ela se apaixona por seu Capitão e este por ela. Por meio de fragmentos (como é comum na transmissão de tradição oral), o trabalho cênico reflete sobre o gênero e sobre o amor, em uma abordagem ampla e aberta, convidando o espectador a participar ativamente na construção da narrativa, preenchendo as lacunas e criando sua própria interpretação.

Onde: no canal do YouTube das Oficinas Culturais do Estado de SP
Quando: 22 a 24 de março, às 20h
Quanto: grátis

Podcast Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes
Crédito: @roberta.dalva/ Facebook e DivulgaçãoConheça mulheres poderosas no podcast “Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes”

E que tal um podcast para ouvir com toda a família? Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes conta a história de heroínas reais que foram esquecidas pelo tempo. E tudo da voz de grandes mulheres, como Mariana Ferrão, MC Soffia, Roberta Estrela D’Alva e Tassia Reis.

Você vai descobrir detalhes sobre a vida da líder mais popular dos quilombolas jamaicanos do século 18, de uma escritora holandesa que ajudou a salvar a vida de muitos judeus ao escondê-los dos nazistas durante a II Guerra Mundial, e até de uma menina de 13 anos da Mongólia que vence uma tradicional competição masculina de caça com águia, montada num cavalo. Além desses, tem MUITOS outros relatos incríveis!

Onde: em várias plataformas de streaming
Quando: conteúdo fixo
Quanto: grátis

Clarice Lispector
Crédito: Acervo IMSClarice Lispector por Maureen Bisilliat em agosto de 1969

Está no ar um site todo dedicado à incrível escritora Clarice Lispector. A iniciativa do IMS – Instituto Moreira Salles reúne verdadeiras preciosidades, como manuscritos, fotos, áudios, vídeos, cartas, aulas e textos críticos, em grande parte provenientes do acervo da escritora, sob a guarda da instituição desde 2004.

Entre os destaques está um depoimento em vídeo do mestre Antonio Cândido na FLIP 2005 sobre o primeiro livro de Clarice, “Perto do Coração Selvagem”, publicado em 1943.

Onde: acesse o museu virtual
Quando: conteúdo permanente
Quanto: grátis

  • Tour virtual por graffitis empoderados
MAR 360º
Crédito: Site MAR 360º/ reproduçãoPainel da Mag Magrela está em Pinheiros

São Paulo se tornou um importante museu de arte urbana a céu aberto. E para expandir essa experiência para um público do mundo todo, o MAR – Museu de Arte Urbana preparou um tour virtual 360º com 40 desses murais (clique aqui para conferir).

Em meio a tantos painéis, você vai encontrar trabalhos lindíssimos feitos por mulheres. Procure pelas artes de Mag Magrela, Mari Mats, Mari Pavanelli, Rafa Mon, Simone Siss e Lau Guimarães, Tikka, Verena Smit e outras mais.

Onde: no site do MAR – Museu de Arte de Rua
Quando: conteúdo permanente
Quanto: grátis

Gostou dessa programação especial para o Mês Internacional da Mulher? Que tal aproveitar e curtir outras atrações online?