Segunda-feira é dia de Moacyr Luz e Samba do Trabalhador online

Para não quebrar a tradição, apresentações são transmitidas por meio de lives no Instagram

Por: Redação

Segunda

17h

Grátis

Seguindo o hino que diz “Não deixe o samba morrer / Não deixe o samba acabar…”, a tradicional roda de samba Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador não será interrompida por causa de coronavírus nenhum! Durante toda a quarentena, os sambistas se apresentam – cada um do conforto de seu lar – às segundas, a partir das 17h, por meio de lives no Instagram.

Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador
Crédito: Marluci Martins/divulgaçãoMoacyr Luz e o Samba do Trabalhador costumam se apresentar às segundas-feiras, na zona norte do Rio de Janeiro

São trinta minutos de apresentação para cada sambista, intercalando entre Moa  (@moaluz), Alexandre Marmita (@alexandremarmita), Gabriel da Muda (@gabrieldamuda), e Mingo Silva (@mingo_silva). Os shows são transmitidos nas páginas de cada artista.

+Música: SHOWS ONLINE PARA AQUECER O CORAÇÃO

No repertório da live, estão clássicos que costumam embalar a roda de samba, além de canções do disco “Fazendo Samba”, lançado pelo grupo no comecinho de 2020, e outras pérolas musicais.

O quinto álbum dos sambistas tem sucessos como “Loucos de Inspiração”, “Das Bandas de Lá”, “A Cara do Brasil”, “Fora de Moda”, “O Ronco da Cuíca”, “Reza Pra Agradecer”, “Eu Sou Batuqueiro” e muitos outros.

 

Samba no pé do trabalhador

Criado em 2005, o Samba do Trabalhador acontece religiosamente às segundas-feiras, às 17h, no Clube Renascença, na zona norte do Rio de Janeiro. O grupo já ganhou o Prêmio da Música Brasileira (2016) e o Estandarte de Ouro no Carnaval de 2015 pelo samba-enredo composto para a escola Renascer de Jacarepaguá.

A formação completa da roda conta com Moacyr Luz (voz e violão), Gabriel Cavalcante (voz e cavaco), Alexandre Nunes (voz e cavaco), Nego Alvaro (voz e percussão), Luiz Augusto (percussão), Nilson Visual (surdo), Junior Oliveira (percussão), Mingo Silva (voz e percussão) e Daniel Neves (violão de 7 cordas).

Quer mais dicas para sobreviver à quarentena? Então, divirta-se:

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.