Últimas notícias:

Loading...

Mostra ‘Movimento Armorial 50 anos’ ocupa CCBB RJ com muita brasililidade

Você encontra obras de Ariano Suassuna, Francisco Brennand, Antônio Carlos Nóbrega, Gilvan Samico, Aluísio Braga e muitos outros!

Por: Redação

Até 27 de junho de 2022

Segunda - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

Segundas, quartas, quintas, sextas e sábados, das 9h às 21h, e, aos domingos, das 9h às 20h

Com o objetivo de criar uma arte erudita com raízes na cultura popular brasileira, Ariano Suassuna (1927-2014) fundou o Movimento Armorial, em 1970. E, para comemorar os 50 anos dessa iniciativa tão importante para as artes, o CCBB RJ recebe uma exposição fascinante entre os dias 30 de março e 27 de junho.

Crédito: Acervo Universidade Federal de Pernambuco, PE Foto Diego Rocha/ A2 Comunicação Tríptico “Pe. Cícero Romão”, de Gilvan Samico, feito em óleo sobre aglomerado em 1974

O público tem a chance de contemplar obras de artistas como Francisco Brennand (1927-2019), Gilvan Samico (1928-2013), Aluísio Braga, Miguel dos Santos e Romero de Andrade Lima, além de trabalhos do próprio Suassuna. Muitas delas nunca tinham saído de Recife!

A curadora Denise Mattar selecionou 140 produções que ocupam o segundo andar do CCBB RJ. Para dar conta de tanta informação, a exposição está dividida em vários módulos.

Quem visitar a instituição encontra muita magia, humor, alegria, cores e fantasia – características bem marcantes dessa manifestação artística.

Figura com três animais", de Fernando Lopes da Paz, Movimento Armorial
Crédito: Reproducao Daniela Nader/ A2 ComunicaçãoObra “Figura com três animais”, de Fernando Lopes da Paz

O Armorial atingiu múltiplas linguagens. Por isso, o centro cultural também recebe espetáculos com músicos instrumentais de altíssima qualidade – tudo com a curadoria de Antônio Madureira, um dos grandes encarregados de difundir a sonoridade armorial pelo Brasil, que integra o movimento desde o início.

Além disso, o poeta, professor, ficcionista e ensaísta Carlos Newton Júnior coordena um ciclo de encontros teóricos/temáticos sobre a criação Armorial na Literatura, no Teatro, na Música, na Dança e nas Artes Visuais.

  • O que esperar da Mostra Movimento Armorial 50 anos?

No núcleo “Ariano Suassuna, Vida e Obra”, há uma cronologia completa ilustrada, livros e manuscritos do escritor, além de vídeos das suas aulas espetáculos. O público também entra em contato com o alfabeto sertanejo criado pelo artista com base na pesquisa “Ferros do Cariri, uma Heráldica Sertaneja”.

Na seção “Armorial Fase Experimental”, o foco está na cultura e nas tradições. Há um destaque especial para o Quinteto Armorial, grupo que atuou até 1980, com grande sucesso, e fez uma música de câmara erudita com influência popular. Na área da dança, é possível conhecer o o Balé Armorial do Nordeste, retratado em uma bela galeria de fotos.

Ariano e Quinteto Armorial
Crédito: Divulgação/ A2 ComunicaçãoAriano Suassuna e Quinteto Armorial

O núcleo também apresenta trabalhos de Aluísio Braga, Fernando Lopes da Paz, Miguel dos Santos e Lourdes Magalhães, bem como os figurinos assinados por Francisco Brennand (1927-2019) para o filme “A Compadecida” (1969), de George Jonas. Na Sala Especial Samico, ficam expostas as xilogravuras desse grande artista.

litogravura Sofia a Sabedoria, de Zélia Suassuna
Crédito: Reprodução Daniela Nader/ A2 ComunicaçãoLitogravura “Sofia a Sabedoria”, de Zélia Suassuna

O núcleo “Segunda Fase do Movimento Armorial” é formado pelas iluminogravuras de Ariano (termo definido por Suassuna que mescla iluminura e gravura); as litogravuras e cerâmicas de Zélia Suassuna; as fotos, figurinos e projeções do Balé Grial, criado pelo famoso escritor e pela bailarina e coreógrafa Maria Paula Costa Rêgo; e outras tantas preciosidades.

Outras obras interessantes na seção são as produções audiovisuais realizadas a partir das peças teatrais de Suassuna, como “Farsa da Boa Preguiça”, “A Pedra do Reino”, “O Auto da Compadecida” e “Lunário Perpétuo”.

Por fim, o módulo “Armorial – Referências” reúne as xilogravuras assinadas por mestres como J.Borges, Noza e Dila. E, para quem não dispensa aquele clique incrível nas redes sociais, é possível fazer fotos na Cidade de Cordel, criada especialmente para a exposição por Pablo Borges, filho de J.Borges. O espaço permite uma viagem lúdica pela cultura popular.

Nesta seção também ficam expostas máscaras, trajes, estandartes e adereços dos folguedos populares, como Maracatu, Reisado e Cavalo-Marinho.

Demais, não? A Mostra “Movimento Armorial 50 anos” fica em cartaz no CCBB RJ entre os dias 30 de março e 27 de junho. Reserve seu ingresso gratuitamente neste link aqui e lembre-se de que a instituição funciona de segunda, quarta, quinta, sexta e sábado, das 9h às 21h, e, aos domingos, das 9h às 20h.


#VivaACidadeNaResponsa: ao comparecer aos eventos, não se esqueça de levar o seu passaporte de vacinação. Sempre lembre de usar a máscara de proteção, andar com álcool em gel e sair de casa somente se necessário! Caso pertença ao grupo de risco ou conviva com alguém que precise de maiores cuidados, evite passeios presenciais. A situação é séria! Vamos nos cuidar para sair desta pandemia o mais rápido possível. Combinado? 💚


Que tal outras dicas de passeios no RJ?

 

 

?>