Últimas notícias:

Loading...

Mostra Taturana exibe filmes dirigidos por pessoas negras e indígenas

O evento, que acontece no Brasil e em Portugal, tem sessões de cinema, oficinas, debates e bate-papos. Não perca!

Por: Redação

Até 19 de setembro de 2021

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

Os longas-metragens podem ser acessados por 48h (a partir da data inicial de exibição, às 20h, no Brasil). Já os curtas ficam liberados durante os seis dias do festival

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

A 2ª Mostra Taturana de Cinema acontece entre os dias 14 e 19 de setembro com programação híbrida; online e presencial. Foram selecionados 23 filmes dirigidos apenas por pessoas negras e indígenas – e todos abordam o tema democracia e antirracismo. E o melhor: é grátis!

Filme Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé, Mostra Taturana de Cinema
Crédito: Reprodução/ Filme Joãosinho da Goméa - O Rei do CandombléO curta “Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé”, dirigido pela dupla Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra, integra a temática “Experiências do corpo e da fé”

Um dos destaques desta edição é a conexão Brasil/ Portugal. Parte da programação foi pensada para estabelecer diálogos entre os dois países. É possível ainda assistir a filmes do Quênia e de Angola – este último, assim como o Brasil, foi uma colônia portuguesa.

A programação está dividida pelas temáticas “Experiências do corpo e da fé”, “Em defesa da vida”, “Árvore da memória”, “Muros do racismo”, “Vidas negras importam” e “Outras histórias possíveis”. A Mostra promove 11 atividades, entre debates, encontros e oficinas, relacionadas às questões abordadas pelos filmes.

A Sússia, Mostra Taturana de Cinema
Crédito: Reprodução/ Filme A Sússia“A Sússia”, com direção de Lucrécia Dias, conta as tradições da Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra

Em São Paulo, os encontros presenciais acontecem no Centro Cultural SP e no CFC Cidade Tiradentes. Tem ainda a Caminhada São Paulo Negra, que resgata as histórias negras no centro da cidade. O encontro é no dia 19, e é necessário fazer inscrição neste link aqui. Corre porque são apenas 30 vagas!

Em Lisboa, Portugal, a programação também inclui uma caminhada com a temática “Lisboa Negra: memória e possíveis diálogos sobre essa presença na cidade e no presente”. Além da exibição de filmes e um debate no Museu do Aljube. As atividades ocorrem no dia 19 de setembro.

Um dos destaques da Mostra Taturana é o curta “Bastien” (2016), de Welket Bungué, que conta a história de um jovem de 24 anos que cresceu em uma Instituição, mas, aos 18, foi para a casa de sua família de acolhimento. Vivendo à margem, Bastien depende de um mundo ingrato, entre sonhos que se desmoronam e vidas que se salvam.

Além de diretor, Welket Bungué é ator, tendo, inclusive, estudado Performance em sua pós-graduação na UniRio, Rio de Janeiro. Bungué nasceu em Xitole (Guiné-Bissau) e pertence à etnia balanta. É Membro Permanente da Academia Portuguesa de Cinema desde 2015.

O filme “Cavalo” de 2020, é uma das produções mais recentes apresentadas na mostra. Com direção de Rafhael Barbosa e Werner Salles Bagetti, o longa é uma performance artística, em que sete jovens dançarinos são provocados a um mergulho em suas ancestralidades.

Rafhael Barbosa e Werner Salles desenvolvem uma parceria desde o documentário “Interiores ou 400 Anos de Solidão”, dirigido por Werner em 2012. “Cavalo” é o primeiro longa de ambos, que atualmente trabalham em uma nova co-direção, o longa “Utopia”.

Filme Eu pareço suspeito?
Crédito: Reprodução/ Filme Eu Pareço Suspeito?Em “Eu pareço suspeito?” o dir. Thiago Fernandes tenta interder os motivos de abordagens e prisões com base no estereótipo

Atenção! Fiquem atentos aos horários das atividades na programação, já que há eventos no Brasil (BRT – horário de Brasília) e em Portugal (PRT – horário de Lisboa). As atividades online são transmitidas pela TodesPlay e pelo canal do YouTube da mostra.

Todos os filmes exibidos na 2ª Mostra Taturana de Cinema ficam disponíveis na TodesPlay. Os longas-metragens podem ser acessados por 48h (a partir da data inicial de exibição, às 20h, no Brasil). Já os curtas ficam liberados durante os seis dias do festival.

Aproveite e conheça serviços de streaming bem legais para descobrir produções diferentonas: