Imagem do Topo

Museu Afro recebe expo com retratos de grandes artistas brasileiros

Evento de abertura da mostra de Elifas Andreato tem bate-papo com Martinho da Vila, Paulinho da Viola e Ilú Oba de Min

Por: Redação Comunicar erro
Até
05
de outubro 2019
Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo
Das 10h às 19h

Retratos de grandes artistas brasileiros, como Pixinguinha, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Cartola, Gilberto Gil e Clara Nunes ganham as paredes de uma exposição especial no Museu Afro Brasil.

Produzidos pelo artista plástico Elifas Andreato, autor de uma das mais importantes séries de obras iconográficas das principais referências da música brasileira, a seleção de obras inclui originais (alguns deles nunca antes expostos) e algumas reproduções, como o cartaz para os 50 anos da Semana de Arte Moderna.

retrato de gonzagão feito por elifas andreata
Crédito: Fernando Sant'AnaGonzagão está entre os retratos expostos na mostra do Museu Afro Brasil
obra Pixinguinha (1976) de elifas andreato em homenagem ao artista brasileiro
Crédito: Fernando Sant'AnaObra "Pixinguinha" (1976), de Elifas Andreato
capa do disco espiral de ilusões feita por elifas andreato para criolo
Crédito: Fernando Sant'AnaA capa do disco "Espiral de Ilusões", de Criolo, foi produzida por Elifas Andreato

Nesse recorte do seu trabalho que compõe a exposição “A Arte de Elifas Andreato na Música Brasileira“, com curadoria de Emanoel Araujo, trabalhos fundamentais como “Batuque na Cozinha” (1972), imagem marcante de um dos momentos mais gloriosos de Martinho da Vila, e “Nervos de Aço” (1973) inesquecível retrato de Paulinho da Viola, dividem espaço com obras como “Espiral de Ilusão” (2017) e “Canto do Vento” (2019) feitos, respectivamente, para Criolo e Fabiana Cozza, revelando um Elifas muito atual, inquieto, sempre curioso e aberto a novas experimentações.

MAREPE APRESENTA SEU RECÔNCAVO BAIANO EM MOSTRA INÉDITA NA PINA

Outra obra das mais emblemáticas de Elifas, “Clementina” (1979), produzida há 40 anos, tem seu original exibido pela primeira vez ao público. Entre as reproduções expostas, há destaque também para a antológica capa do disco “Clementina e Convidados”, que contou com a participação de Adoniran Barbosa, Carlinhos Vergueiro, Clara Nunes, João Bosco, Martinho da Vila e Roberto Ribeiro, e o cartaz do lendário show Tendinha, de Martinho da Vila com Samba 7, Rui Quaresma e Neoci, dirigido por Fernando Faro.

obra clementina produzida por elifas andreato em 1979
Crédito: Fernando Sant'AnaUma obra das mais emblemáticas de Elifas, Clementina (1979), produzida há 40 anos, terá seu original exibido pela primeira vez ao público
Retrato de Gilberto Gil feito por Elifas Andreato em homenagem ao artista
Crédito: Fernando Sant'AnaRetrato de Gilberto Gil por Elifas Andreato
retrato de martinho da vila feito por elifas em homenagem ao artista brasileiro
Crédito: Fernando Sant'AnaRetrato de Martinho da Vila feito por Elifas

Em um depoimento exposto em um grande painel no Museu Afro Brasil, o poeta e compositor Hermínio Bello de Carvalho declara que Elifas Andreato é “um artista raro, com um universo muito amplo, um artista ao mesmo tempo lírico, mas densamente dramático, um intérprete do cotidiano, mágico manipulador de dialetos dos mais significativos, possuidor de uma gramática das mais ricas que conheço”

Artistas brasileiros na abertura

montagem com fotos dos artistas brasileiros martinho da vila e paulinho da viola
Crédito: reproduçãoMartinho da Vila e Paulinho da Viola se encontram no evento de abertura da mostra “A Arte de Elifas Andreato na Música Brasileira”

A abertura da exposição, na terça, 20 de agosto, às 19h, vai ser marcada por um encontro incomum e empolgante entre os músicos brasileiros Paulinho da Viola e Martinho da Vila.

Os dois participam de um bate-papo com o público, ao lado do próprio artista Elifas Andreato, do diretor do Museu Afro Brasil e curador da exposição Emanoel Araujo, do rapper Rappin Hood, da cantora Anna Setton, do grupo musical Ilú Obá de Min e da escritora Janaína Marquesini, uma das autoras da biografia de Clementina de Jesus, Quelé, A Voz Da Cor.

O encontro tem entrada gratuita, assim como a mostra “A Arte de Elifas Andreato na Música Brasileira”, que fica em cartaz até 5 de outubro, de terça a domingo, das 10h às 17h30.

Mais uma dica de um grande artista brasileiro

Com seu olhar preciso, Sebastião Salgado nos leva para os anos 1980, no maior garimpo a céu aberto do mundo, na exposição “Gold – Mina de Ouro Serra Pelada” .