Museu Nacional/UFRJ apresenta exposição um ano após incêndio

Relíquias arqueológicas, incluindo peças regatadas nos escombros, podem ser vistas até dezembro na Caixa Cultural

Por: Redação

Até 08 de dezembro de 2019

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

Das 10h às 21h

Grátis

O Museu Nacional/UFRJ vive! Um ano depois do incêndio que destruiu sua sede na Quinta da Boa Vista, a instituição apresenta a exposição “Santo Antônio de Sá: Primeira Vila do Recôncavo da Guanabara”.

Em cartaz na Caixa Cultural com entrada gratuita, a mostra reúne mais de 60 relíquias arqueológicas — incluindo peças resgatadas nos escombros —, que revelam como viviam os primeiros habitantes do estado do Rio.

Você pode conferir por lá itens como o Tembetá, pequena joia utilizada pelos índios Tupi no século XVI. Outros destaques são os cachimbos africanos, que revelam traços culturais dos negros que vieram para cá.

Além disso, estão expostas faianças, porcelanas portuguesas e espanholas com os brasões de famílias que deram origem aos sobrenomes de grande parte dos brasileiros, como os Silva.

Mostra revista e ampliada

A exposição é resultado de um dos maiores trabalhos de arqueologia já realizados no Brasil, que identificou 45 sítios arqueológicos no Rio. Apresentada pela primeira vez em 2010, a mostra foi revista e ampliada.

Agora, ela traz uma ligação entre o trabalho dos pesquisadores e o que vem sendo feito pela equipe de resgate no palácio em São Cristóvão.

Publicado por Museu Nacional/UFRJ en Jueves, 28 de febrero de 2019

Além das relíquias arqueológicas e painéis sobre o Museu Nacional/UFRJ, a mostra também apresenta descobertas realizadas por pesquisadores do museu em outras áreas do Rio.

“Santo Antônio de Sá: Primeira Vila do Recôncavo da Guanabara” é realizada em parceria com o Sesc RJ e pode ser vista de terça a domingo, das 10h às 21h. Bora?!

Mas antes, vem cá conferir mais exposições gratuitas para visitar no Rio!