8 rolês para aproveitar e curtir nas periferias de SP

Obras de arte inéditas ocupam Largo da Batata

Largo da Batata
Até
19
de agosto 2018
Domingo - Segunda - Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado
Vários horários

Artista Estela Sokol e os coletivos LiveNoiseTupi e OPAVIVARÁ! fizeram suas criações com o objetivo de estimular a ativação dos espaços públicos

O Largo da Batata se transforma em uma galeria de arte a céu aberto entre os dias 4 e 19 de agosto. É nesse período que acontece a 3ª edição da Mostra de Arte Pública, cujo objetivo é repensar o espaço urbano com práticas artísticas.

Obra
Crédito: Divulgação - Mostra de Arte PúblicaColetivo OPAVIVARÁ! leva ao Largo da Batata a obra “Brasa Ilha” para a 3ª edição da Mostra de Arte Pública
Escultura
Crédito: Divulgação - Mostra de Arte PúblicaObra de Estela Sokol, "Sem Título (Greta Garbo)" fica exposta no Largo da Batata entre 4 e 19 de agosto

Com curadoria de Felipe Brait e Reinaldo Botelho, a mostra reúne obras inéditas de Estela Sokol, LiveNoiseTupi e OPAVIVARÁ!. Cada intervenção explora um tipo de linguagem e tem o objetivo de ativar o espaço público ao criar novas paisagens na cidade.

A paulistana Estela Sokol criou “Sem Título (Greta Garbo)”, uma escultura semiesférica de resina com iluminação difusa composta por dois planos paralelos. A sutil justaposição do volume ao plano mantém a integração com o todo e deixa entrever contrastes nas texturas sonora-visuais, entre ruídos, ausências, silêncios e repouso.

Já o coletivo LiveNoiseTupi foi por outro caminho. Sua instalação interativa “Apanoesh” (Abrigo de Proteção em Ambiente Natural e Observatório de Entorno para a Sobrevivência Humana) parte de uma realidade distópica, em um contexto ficcional pós-nuclear. O público entra em contato com um complexo processo de composição de narrativas transmidiáticas dentro de um universo de conexões entre saberes futurísticos e ancestrais.

Por fim, o coletivo OPAVIVARÁ! leva ao Largo da Batata a obra “Brasa Ilha”, criada a partir da apropriação e da conversão de um automóvel em uma cozinha de uso público, com a qual os artistas buscam ativar processos subjetivos de contato e interação com uma obra de arte pública. O público participante poderá cozinhar alimentos criando uma relação direta com a obra.

Além das obras, também estão previstas atividades paralelas, como a conversa “Arquitetura de Conexões”, com os curadores, Ricardo Palmieri (LiveNoiseTupi), Raphael Franco (A Batata Precisa de Você), Felipe “Juca” Sanches, Afonso Coutinho e Sandro Friedland (Garoa Hacker Clube).

Acompanhe a programação completa no evento do Facebook.

Espetáculo de improviso ‘Haroldo’ inaugura Mostra Espontânea

Compartilhe:

Autor: Por: Redação