‘Frida Kahlo-A Deusa Tehuana’ revela lado mais humano da artista

Monólogo ‘Frida Kahlo – A Deusa Tehuana’ mergulha em aspectos mais íntimos e menos explorados da vida da pintora mexicana
Até
29
de setembro 2018
Quinta - Sexta - Sábado
Às 19h
array(3) { ["address"]=> string(67) "R. Sen. Dantas, 45 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20011-030, Brasil" ["lat"]=> string(11) "-22.9109235" ["lng"]=> string(18) "-43.17726909999999" }

Teatro Eva Herz

R. Sen. Dantas, 45 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20011-030, Brasil

Teatro

Monólogo protagonizado por Rose Germano fica em cartaz no Teatro Eva Herz até setembro

Quem foi Frida Kahlo longe dos holofotes, na vida particular? Desta pergunta partiu a investigação para a montagem do espetáculo “Frida Kahlo – A Deusa Tehuana”, em cartaz até o dia 29 de setembro no Teatro Eva Herz, no centro do Rio.

Com direção de Luiz Antonio Rocha, atuação de Rose Germano e texto escrito pela dupla, o monólogo, livremente inspirado no diário e na obra da pintora mexicana, desconstrói o mito para mostrar uma Frida mais humana, sem estereótipos.

Peça ‘Frida Kahlo – A Deusa Tehuana’
Crédito: Renato Mangolin/DivulgaçãoMonólogo ‘Frida Kahlo – A Deusa Tehuana’ mergulha em aspectos mais íntimos e menos explorados da vida da pintora mexicana

Tudo de mais óbvio sobre a trajetória da artista foi excluído da dramaturgia, que mergulha em aspectos mais íntimos e menos explorados da sua personalidade, no sentimento mais profundo de uma mulher que queria ser mãe e não conseguiu, que era frágil e, ao mesmo tempo, forte e determinada. Em cena, é explorado o inédito, o que as pessoas sequer imaginam, como a sua relação com os médicos e a descoberta da colecionadora de arte Dolores Olmedo.

Peça ‘Frida Kahlo – A Deusa Tehuana’
Crédito: Renato Mangolin/DivulgaçãoMonólogo em cartaz no Teatro Eva Herz é protagonizado por Rose Germano

A preparação para a montagem do espetáculo foi longa e incluiu uma viagem ao México, onde Luiz Antonio Rocha encontrou a Frida que queria montar: a pintora que transformou a dor em arte estava despida para dar vida à deusa tehuana. Na cidade de Oaxaca, o diretor comprou todas as peças autênticas que compõem o figurino do espetáculo, em antiquários e com artesãos indígenas.

“Frida Kahlo – A Deusa Tehuana” pode ser vista de quinta a sábado, às 19h. Os ingressos custam R$ 50 e R$ 25 (meia). Na semana de estreia (dias 2, 3 e 4 de agosto), tem ingresso promocional a R$ 20. Saiba mais!

Peças de teatro 0800 ou baratinhas para curtir no Rio

Compartilhe:

Autor: Por: Redação