Pés gigantes ocupam SP para alertar sobre doença irreversível

Largo da Batata, Estação Cidade Jardim e Ponte Juscelino Kubitschek recebem esculturas que buscam chamar a atenção do paulistano para a importância de uma doença genética

Por: Redação

Quem passar pelo Largo da Batata, pela Estação Cidade Jardim ou pela Ponte Juscelino Kubitschek entre os dias 27 de novembro e 11 de dezembro vai se deparar com pés gigantes.

As esulturas são do artista plástico Eduardo Srur e fazem parte da campanha #PAUSANAPAF, que busca alertar sobre a doença irreversível PAF, sigla de polineuropatia amiloidótica familiar, ou paramiloidose.

Nos três pontos paulistanos, cada uma das três obras está relacionada a um dos sintomas que o paciente com PAF experimenta nos pés: sensação de formigamento, dormência e perda de sensibilidade à temperatura.  Assim, enquanto uma das obras ilustra o pé coberto por formigas, outra o retrata sobre brasas e a terceira traz um pé sobre travesseiros.

O objetivo de chamar a atenção do paulistano para a importância de uma doença genética irreversível e pouco conhecida no Brasil.

CAMPANHA

Para estimular o envolvimento do público com a ação, as três obras estarão acompanhadas por um totem que traz informações sobre a PAF e convida o público a tirar uma foto ao lado da escultura, para depois postar o resultado nas redes sociais com a #PAUSANAPAF.


Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.