CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

Festival ‘É Tudo Verdade’ exibe documentários nacionais online!

Devido à propagação do coronavírus, o festival se adaptou para seguir com sua mostra tradicional! Confira a programação:

Por: Redação

Uma programação com os melhores documentários produzidos no Brasil chega ao “É Tudo Verdade 2020“, festival internacional de documentários que celebra seus 25 anos de existência (e resistência!).

Em um momento de quarentena por conta do coronavírus (COVID-19), o Itaú Cultural vai realizar o festival online, entre os dias 26 de março e 5 de abril, no site oficial do instituto. Dividido em duas mostras, a programação exibe nove filmes premiados!

"O Homem da Cabine"Divulgação
"Cine Mambembe"Divulgação
"Quando as Luzes da Marquise se Apagam"Divulgação

A primeira mostra, intitulada como “A experiência cinematográfica”, reúne cinco filmes que marcaram a história do festival, cujo papel principal é o próprio cinema. São eles “Cinemagia”, “Cine Mambembe – o Cinema Descobre o Brasil”, “Cine São Paulo”, “O Homem da Cabine” e “Quando as Luzes das Marquises se Apagam”.

Os diretores que assinam estas obras também marcam a trajetória do cinema contemporâneo: Alan Oliveira, Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, Ricardo Martensen, Cristiano Burlan e Renato Brandão.

CONHEÇA FAMOSOS MUSEUS BRASILEIROS SEM SAIR DE CASA

A segunda mostra, que  faz uma retrospectiva dos 25 anos do “É Tudo Verdade”, exibe filmes premiados nas primeiras edições do festival. São eles: “A Pessoa É Para o Que Nasce” (direção de Roberto Berliner), “Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos” (direção de Marcelo Masagão), “A Negação do Brasil” (direção de Joel Zito Araújo)  e “Rocha que Voa” (direção de Eryk Rocha).

Você pode curtir todas essas lindezas cinematográficas do Festival É Tudo Verdade online no site oficial da mostra ;)

Confira todos os detalhes e já prepara a pipoca:

  • Uma Experiência Cinematográfica

“Cinemagia”
O documentário Cinemagia, de Alan Oliveira, conta a história do surgimento das principais videolocadoras de São Paulo. A produção ouviu fundadores de mais de 20 lojas, funcionários, clientes, vendedores, críticos de cinema e distribuidores, revela personagens e acontecimentos que desenvolveram a experiência do cinema em casa no Brasil nos últimos 40 anos.

“Cine Mambembe, o Cinema Descobre o Brasil”
Cine Mambembe – o Cinema Descobre o Brasil, foi documentado entre janeiro e agosto de 2017 por Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, e é vencedor de diversos prêmios internacionais de festivais em Nova York, Uruguai e Cuba e nacionais como o Festival de Gramado e CNBB – Brasília, em 1999. Ele mostra a viagem do casal de cineastas que exibiu curtas-metragens brasileiros em praças públicas pelo interior do Brasil. Foram quase 15 mil quilômetros em uma viagem que começou em São Paulo, passou pelo sul da Bahia, Chapada Diamantina, rio São Francisco, sertão de Alagoas e os estados de Pernambuco, Piauí, Maranhão, Tocantins, terminando na Amazônia.

“Cine São Paulo”
O filme Cine São Paulo, de Ricardo Martensen, soma uma longa lista de premiações como a dos festivais de Biarritz e Brasília e o norte-americano AFI-Docs. O longa-metragem mostra aquilo que um dia foi respeitável na sala de cinema, mas agora está praticamente em ruínas. Seu Chico, simpático e desastrado senhor, inicia uma luta obstinada para salvar o prédio centenário na pequena Dois Córregos, no interior paulista. Uma declaração de amor ao cinema e um exemplo de luta pelo acesso à cultura.

“O Homem da Cabine”
Dirigido por Cristiano Burlan, O Homem da Cabine documenta a vida daquele
profissional pouco conhecido da plateia do cinema, entre o claro e o escuro das salas de projeção: o projecionista. A partir do microcosmo de uma destas saletas, o documentário faz um registro da rotina desses trabalhadores, que possuem uma longa e solitária jornada de trabalho.

“Quando as Luzes das Marquises se Apagam”
Quando as Luzes das Marquises se Apagam, de Renato Brandão, é um documentário que mergulha na história das salas de cinemas que se localizavam na região das avenidas São João e Ipiranga, no centro de São Paulo, por meio de vasto material iconográfico, depoimentos de especialistas e antigos espectadores. Conhecida como Cinelândia Paulistana, essa área viveu seu apogeu nas décadas de 1950 e de 1960, até entrar, nos anos seguintes, em um lento declínio que culminou em seu desaparecimento.

  • Retrospectiva: 25 anos É Tudo Verdade

“A Pessoa É Para o Que Nasce”
De Roberto Berliner
Sinopse: Esse documentário, de Roberto Berliner, é considerado um compromisso com a sobrevivência, pois o filme conta a história de três irmãs cegas que cantam em troca de esmola em Campina Grande, na Paraíba.

“Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos”
De Marcelo Masagão
Sinopse: Essa obra, de Marcelo Masagão, se baseia na memória do século XX.

24 de março
“A Negação do Brasil”
De Joel Zito Araújo
Sinopse: Esse filme trata de uma história sobre as lutas dos atores negros pelo reconhecimento nas telenovelas brasileiras. O diretor Joel Zito Araújo, baseado em suas memórias e em pesquisas, analisa as influências deste gênero nos processos de identidade étnica dos afro- brasileiros e nas narrativas oficiais sobre a composição racial brasileira.

31 de março
“Rocha que Voa”
De Eryk Rocha
Sinopse: A partir da passagem do cineasta Glauber Rocha por Cuba, o documentário busca recuperar a ligação entre os principais movimentos cinematográficos latinos das décadas de 1960 e 1970. Entre eles o brasileiro Cinema Novo e o cubano Cine Revolucionário. Por meio de depoimentos de cineastas e da população cubana entrevistada em Havana, é possível reviver o impacto provocado pelo cineasta em ambas as sociedades.

Quer mais dicas para sobreviver à quarentena? Então, divirta-se:

1
5 blocos incríveis para curtir o Carnaval de rua no Rio
Carnaval está aí e é chegada a hora da gente decidir quais blocos nós vamos arrasar as nossas fantasias, confetes, …
2
5 blocos incríveis para curtir o carnaval de rua de SP
O Carnaval está aí! É chegada a hora de escolher os blocos para arrasar na passarela das ruas, ostentando fantasias, …
3
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
4
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
5
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
6
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não?Colaí …
7
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada!Colaí que eu tenho as …
8
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …