Últimas notícias:

Loading...
EM ALTA

26º Festival É Tudo Verdade exibe 69 documentários online

Assista a produções de diversos países de graça! Descubra alguns destaques da programação:

Por: Redação

Até 18 de abril de 2021

Todos os dias

Confira o horário de exibição de cada filme

Atenção, cinéfilos! A 26ª edição do Festival É Tudo Verdade disponibiliza online 69 documentários de 23 países para vocês curtirem de graça e sem sair de casa… São muitas horas de pura diversão para a sua quarentena!

A programação conta com longas, médias e curtas-metragens que participam de mostras competitivas – isso significa que todos os premiados se qualificam à disputa pelo Oscar de 2022. E ainda tem uma série de bate-papos com cineastas e outros profissionais do audiovisual.

Festival É Tudo Verdade
Crédito: DivulgaçãoFestival É Tudo Verdade exibe programa de filmes sobre Caetano Veloso, como “Canções do Exílio: a Labareda que Lambeu Tudo”

Você confere tudo isso entre os dias 8 e 18 de abril, por meio das plataformas Looke, Spcine Play, Em Casa com SescYoutube do Sesc 24 de Maiosite do Itaú Cultural. Lembrando que os filmes podem ter exibições únicas ou ficar disponíveis por até 24 horas – alguns têm até limite de visualizações.

Por isso, fique ligade na programação do Festival É Tudo Verdade e marque na agenda para não perder nadinha.

O que assistir no Festival É Tudo Verdade

Logo na sessão de abertura você assiste ao aclamado “Fuga” (2021), de Jonas Poher Rasmussen, vencedor do prêmio de melhor documentário no Festival de Sundance 2021. O filme acompanha o intelectual sob o pseudônimo de Amin Nawabi, que, aos 36 anos, luta com um segredo escondido ao longo dos últimos 20 anos que ameaça desestabilizar a vida construída ao lado do futuro marido.

É tudo Verdade
Crédito: DivulgaçãoCelebrado documentário “Fuga” abre a 26ª edição do festival É tudo Verdade

O cineasta dinamarquês é amigo de Amin e narra a extraordinária viagem feita na infância pelo refugiado afegão. O documentário cria uma reflexão sobre o verdadeiro significado de se ter um lar.

Um destaque é o programa “Caetano.DOC”, com vários filmes que traçam um panorama da carreira do cantor e compositor baiano Caetano Veloso. Entre esses títulos, está “Canções do Exílio: a Labareda que Lambeu Tudo” (2010), de Geneton Moraes Neto, que reúne testemunhos e imagens sobre histórias pouco conhecidas do exílio londrino de Caetano e Gil, no fim dos anos 1960.

Outra atração é uma homenagem ao cineasta moçambicano Ruy Guerra, que completa 90 anos em agosto e tem um programa todinho dedicado a ele, com dois de seus filmes (“Os Comprometidos – Actas de um processo de descolonização” e “Mueda: Memória e Massacre“) e um documentário sobre sua vida (“O Homem que Matou John Wayne”, de Bruno Laet e Diogo Oliveira). O diretor também ministra uma master class bem bacana.

Já o documentário “Alvorada” (2020), de Anna Muylaert e Lo Politi, acompanha o cotidiano da ex-presidente Dilma Rousseff, a única mulher a governar o Brasil, durante o desenrolar do seu dramático processo de impeachment.

A produção, rodada em 2016, testemunha a tensão e a perplexidade que escalavam no círculo da presidente, em reuniões, telefonemas intermináveis e sussurros ouvidos da cozinha à guarda do palácio de Oscar Niemeyer.

E o holandês “Leonie, Atriz e Espiã” (2020), de Annette Apon, conta a história de Leonie Brandt, que sonhava em ser atriz e acabou se tornando espiã do serviço holandês de inteligência na Alemanha nazista.

Crédito: DivulgaçãoO holandês “Leonie, Atriz e Espiã” (2020), de Annette Apon, é outros destaque do festival

Depois da guerra, os holandeses passaram a temê-la por conta de tudo o que ela presenciou na época. O título usa imagens de filmes antigos para recompor a cronologia dessa personagem fabulosa. O real e a ficção nem sempre estão evidentes na vida dela.

"A Última Floresta"
Crédito: DivulgaçãoBrasileiro “A Última Floresta” encerra a programação do É tudo Verdade

Já no encerramento do Festival É Tudo Verdade, você confere o brasileiro “A Última Floresta” (2021), de Luiz Bolognesi, vencedor do Prêmio ABRACCINE. Em uma tribo Yanomami isolada na Amazônia, o xamã Davi Kopenawa Yanomami tenta manter vivos os espíritos da floresta e as tradições, enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade.

A programação ainda tem um montão de bate-papos no Youtube do Sesc 24 de Maio e a 18ª Conferência Internacional do Documentário no site do Itaú Cultural.

Quer mais dicas de eventos online?