MASP fecha temporada feminista com retrospectiva de Gego

Artista veio para Venezuela refugiada do nazismo e tornou-se uma das mais importantes da América Latina no pós-guerra

Por: Redação

Até 01 de março de 2020

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

Terça, das 10h às 20h | Quarta a domingo, das 10h às 18h

Para fechar o ano sob o tema “Histórias das Mulheres, Histórias Feministas“, o MASP recebe a retrospectiva de Gego (1912 – 1994), uma das artistas mais significativas do pós-guerra a emergir na segunda metade do século 20, na América Latina.

Formada em engenharia e arquitetura pela Technische Hochschule, em Stuttgart, Gego enfrentou a perseguição nazista em 1939, o que a levou a uma imigração forçada para a Venezuela
Crédito: Peter Hönig, Archivo Fundación GegoGego en montaje de Reticulárea Alte Oper, Salon Liszt, Alte Oper, Frankfurt

Sua produção artística interdisciplinar variou entre a arquitetura, o design, a escultura, o desenho, a impressão, o tecido, as instalações site-specific, as intervenções nos espaços, a arte pública e a pedagogia.

Por isso, a mostra vai abranger uma variedade de mídias, desde a metade dos anos 1940 ao começo dos anos 1990, de modo a dar conta da extensa produção da artista.

LEONARDO DA VINCI E MONET GANHAM EXPOSIÇÕES INTERATIVAS EM SP

Formada em engenharia e arquitetura pela Technische Hochschule, em Stuttgart, Gego enfrentou a perseguição nazista em 1939, o que a levou a uma imigração forçada para a Venezuela, onde se tornou pioneira na abstração geométrica e na arte cinética, nas décadas de 1950 e 1960.

foto de gego em sua retrospectiva
Crédito: Gerd Leufert (digitalização: Abel Naim)Gego é uma das artistas mais importantes do pós-guerra, na América Latina

A artista explorou as relações entre linha, espaço e volume em um ousado e sistemático arranjo tridimensional de esculturas de fios.

Posteriormente, suas formas orgânicas, estruturas lineares e abstrações modulares tratavam, metodicamente, de noções de transparência, energia, tensão, relação espacial e movimentação óptica.

A retrospectiva de Gego é fruto de uma parceria entre instituições de três países diferentes: a Fundação Jumex, do México, o Museu de Arte Contemporâneo de Barcelona (MACBA) e a Tate Londres, além do MASP.

Gego en montaje de Reticulárea Alte Oper, Salon Liszt, Alte Oper, Frankfurt por Peter Hönig, Archivo Fundación Gego
Crédito: Peter Hönig, Archivo Fundación GegoGego en montaje de Reticulárea Alte Oper, Salon Liszt, Alte Oper, Frankfurt

A mostra fica em cartaz no Museu de Arte de São Paulo entre 13 de dezembro de 2019 e 1º de março de 2020, sempre de terça, das 10h às 20h; e de quarta a domingo, das 10h às 18h.

Os ingressos custam até R$ 40 (compre online aqui) exceto às terças, em que o museu tem entrada gratuita.

Mais uma dica legal para você:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.