Últimas notícias:

Loading...

Sesc Bom Retiro recebe exposição com artistas que atuam na Cracolândia

Mostra gratuita apresenta 158 obras, entre lambe-lambes, fotografias e peças sonoras, gráficas e muito mais

Por: Redação

Até 27 de fevereiro de 2022

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado

Terça a sexta, das 14h às 20h, e, aos sábados, das 10h às 16h | Não esqueça de reservar seu ingresso online

Está em cartaz no Sesc Bom Retiro até 27 de fevereiro a exposição coletiva “Birico – Poéticas autônomas em fluxo”. A mostra é composta por 158 obras de 40 artistas que realizam ações solidárias na Cracolândia. Trata-se de um mergulho nas histórias e trajetórias sociais das pessoas que convivem nessa região.

Exposição no Sesc Bom Retiro com artistas que atuam na Cracolândia
Crédito: Divulgação / Assessoria de Imprensa a4&holofote comunicaçãoObra do artista Chip Thomas, “Procession to 2nd site” (2020)

Com criações em diversas linguagens artísticas, como instalações, lambe-lambes, fotografias e peças sonoras e gráficas, os trabalhos destacam os olhares plurais sobre a paisagem urbana. Além de retratar a resistência das pessoas e coletivos que atuam no local. Para conferir, não esqueça de agendar o horário da visita neste link.

Birico é um coletivo criado em 2020 para gerar renda a artistas e pessoas em situação de vulnerabilidade social em meio à crise sanitária de Covid-19. A curadoria da mostra é assinada por integrantes do grupo em parceria com a equipe do Sesc.

Lambe-lambe do artista e carroceiro Índio Badaross, Sesc Bom Retiro
Crédito: Divulgação / Assessoria de Imprensa a4&holofote comunicaçãoLambe-lambe do artista e carroceiro Índio Badaross, atuante na região da Boca do Lixo

A exposição “Birico – Poéticas autônomas em fluxo” conta com colaborações dos coletivos Tem Sentimento, É de Lei e Craco Resiste. Apresenta ainda obras dos artistas Mundano, Mag Magrela, Paulestinos, Renata Felinto, Monica Ventura, Yori Ken, Índio Badaross, a poetisa Joh Bittencourt, entre outros(as).

Uma das principais linguagens artísticas presentes na mostra é o lambe-lambe, forma de expressão típica dos grandes centros urbanos. Coloridos e expressivos, esses cartazes carregam pensamentos, poesias, desenhos, fotografias e informações.

Lambe-lambe “Nos braços da mãe Nanã o amanhã está seguro”, de Renata Felinto
Crédito: Divulgação / Assessoria de Imprensa a4&holofote comunicaçãoLambe-lambe “Nos braços da mãe Nanã o amanhã está seguro” (2020), de Renata Felinto

As obras inéditas propõem uma reflexão sobre as tentativas de invisibilização da subjetividade da Cracolândia, seus frequentadores e os preconceitos locais. Lembrando que a região, localizada no bairro da Luz, concentra um dos maiores desafios de saúde pública da cidade de São Paulo.

A mostra vai além do espaço expositivo, ocupando as ruas e as casas com obras nos gradis do Sesc Bom Retiro, no Teatro de Contêiner Mungunzá ou online, nos conteúdos audiovisuais do YouTube, criados exclusivamente para a exposição.

Lambe-Lambe “Virada” (2017), de Daniel Mello
Crédito: Divulgação / Assessoria de Imprensa a4&holofote comunicaçãoLambe-Lambe “Virada” (2017), de Daniel Mello

#DicaCatraca: sempre lembre de usar a máscara de proteção, andar com álcool em gel e sair de casa somente se necessário! Caso pertença ao grupo de risco ou conviva com alguém que precise de maiores cuidados, evite passeios presenciais. A situação é séria! Vamos nos cuidar para sair desta pandemia o mais rápido possível. Combinado? ❤


Gostou? Descubra também outras atrações legais pela cidade: