The Maze: o passeio mais bonito, jazzístico e saboroso do Rio

No momento, o local está fechado e corre o risco de ser demolido

Por: Publi

Todos os dias

De segunda a sexta, das 12h às 17h; sábado, das 12h às 18h; domingo, das 12h às 17h30

Grátis

ATUALIZAÇÃO: O fundador e proprietário do The Maze, o artista britânico de 76 anos Bob Nadkarni, foi despejado da propriedade junto à sua família no fim do mês de outubro. O momento atual é de tensão e há rumores de que o espaço – que além de ser a casa do artista há quase 40 anos, é um dos pontos turísticos mais emblemáticos do Rio de Janeiro – corra o risco de ser demolido, caso a Prefeitura não permita obras de restauro. De acordo com a Defesa Civil, a segurança estrutural do local, que funciona como espaço cultural há cerca de 20 anos, está comprometida. Bob nega e afirma ter outros laudos de análise dos últimos 10 anos, assinados inclusive pela própria Defesa Civil. Os próximos passos são incertos, e a população tem se mobilizado nas redes sociais pedindo a reabertura do The Maze.

Abaixo, você pode ler a matéria escrita antes do fechamento da casa:

O Rio de Janeiro é cheio de cantinhos escondidos, e o The Maze Rio é um deles! Um espaço incrível, que é uma verdadeira obra de arte a céu aberto, além de ser casa de jazz e restaurante indiano, tudo ao mesmo tempo!

mirante de mosaicos do the maze rio com vista para baia de guanabara e pão de açucar
Crédito: DivulgaçãoA vista do mirante de mosaicos do The Maze dá de cara para a Baía de Guanabara e para o Pão de Açúcar

O The Maze Rio fica dentro da comunidade Tavares Bastos, ali no Catete, e foi construído em 1981 pelo artista britânico Bob Nadkarni.

Ao longo dos anos, se transformou em um centro cultural multifacetado com eventos de jazz, shows de música brasileira de vanguarda, além de apresentar a original gastronomia indiana para os visitantes.

E o que chama mesmo a atenção por lá é o mirante com paredes de mosaicos construídas por pessoas do mundo todo. Tem arte feita por chineses, colombianos, por crianças e adultos, tudo de forma 100% colaborativa.

  • ILHA FISCAL: SÍMBOLO DOS ÚLTIMOS DIAS DO IMPÉRIO NO RIO
paredes de mosaico do the maze rio
Crédito: DivulgaçãoAs paredes de mosaico do mirante foram feitas de forma colaborativa por visitantes de vários países

O mirante de mosaico forma a vista perfeita com o Pão de Açúcar ao fundo. Dá pra caprichar bastante nas fotos para o Insta! Aproveita e marca a tag #catracario.

Você ainda pode fazer uma visita guiada por todo o espaço, por R$ 10.

O The Maze fica aberto de segunda a sexta, das 12h às 17h; sábado, das 12h às 18h; e domingo, das 12h às 17h30. É bom ficar de olho na programação da casa pelo Facebook por conta dos eventos especiais.

Gastronomia indiana

Nem só de ladrilhos e arte visual é feito o The Maze! O espaço oferece duas experiências distintas: almoço indiano, para quem curte rolés de dia; e jazz sessions, para quem gosta de sair à noite.

prato de comida indiana do the maze
Crédito: DivulgaçãoNo The Maze você pode encontrar curry ao estilo original indiano

Aos domingos, rola o Hoje Tem Curry, o almoço indiano da casa. Se você curte a gastronomia indiana, vale a pena experimentar os pratos de lá porque há boatos de que o Maze é o único lugar no Rio onde você pode encontrar curry ao estilo original.

A cozinha é comandada pelo chef Bruno Nadkarmi, neto de indianos.

O buffet servido das 12h30 às 16h é farto e já ganha você pela apresentação colorida e cheia de texturas – fora os sabores, né? O almoço aos domingos custa R$ 59 antecipado e R$ 69 na hora.

The Maze Jazz!

Há sete anos, o The Maze é citado na lista das 150 melhores casas de jazz do mundo da revista americana Downbeat! No mínimo, os shows são bons, não é?

homem tocando saxofone em noite de jazz
Crédito: DivulgaçãoShows de jazz são uma das marcas do espaço

As festas regadas a muito jazz ao vivo acontecem toda primeira sexta do mês, a partir das 22h. Os ingressos custam R$ 40 antecipado e R$ 50 na hora.

Para conferir a programação dos shows, vale ficar de olho na página do The Maze Rio no Facebook.

Como chegar

Algumas pessoas ficam com receio de ir ao The Maze pelo fato do espaço ficar dentro de uma comunidade. Mas não há com o que se preocupar, a Tavares Bastos é bem segura.

Como o espaço fica num beco, não passa carro. O ideal é ir com seu 99 até a Rua Tavares Bastos e seguir até o The Maze a pé – bem pertinho!

Quer mais dicas como essa? Seus problemas acabaram: fica de olho aqui na Catraca Livre, que a gente tem roteiros incríveis para você colar com o seu 99, que garante a dupla imbatível preço e qualidade!

Rolé imperdível no Rio:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.