Imagem do Topo

Brincante promove sua tradicional Sambada aos domingos

As festas acontecem entre março e novembro na sede do Instituto na Vila Madalena

Por: Redação Comunicar erro
Até
24
de novembro 2019
Domingo
17h30

O Instituto Brincante divulga a programação da Sambada 2019, que este ano conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo através do Edital de Apoio aos Espaços Independentes.

Crédito: Divulgação 

“A sambada é uma festa onde professores, alunos e amigos do Instituto Brincante podem dançar, tocar, cantar, tirar versos, contar histórias, enfim brincar com arte”, pontua Rosane Almeida, diretora do Brincante.

As edições acontecem entre os meses de março e novembro, sempre um domingo do mês, das 17h30 às 20h, na sede do Instituto, localizada na Rua Purpurina, nº 412, na Vila Madalena.

Os ingressos para o dia 28 de abril já estão disponíveis no site (http://www.institutobrincante.org.br/eventos/193) ou na secretaria do Brincante de segunda a quinta, das 14h às 21h, e sexta, das 14h às 18h com os valores de 20,00 (inteira) e 10,00 (meia). Em parceria com a Chave VilaMundo, as primeiras 3 pessoas que escreverem para o e-mail chavevilamundo@gmail.com com o assunto: SAMBADAS, ganham 1 ingresso grátis cada. Aguarde a resposta da produção.

Ao longo das mais de duas décadas de atuação, o Brincante tornou-se referência na formação de arte-educadores. Com tradição em cursos que têm como base a pesquisa aprofundada, é muito procurado por profissionais que enxergam na cultura popular uma nova forma de abordar o processo educativo. Focado também na evolução dessa cultura e na mistura de influências marcadas pela diversidade, o Instituto se transforma em um celeiro de trocas e novas ideias.

Além de atrair profissionais da educação, o espaço é procurado também por interessados em conhecer mais sobre a formação de manifestações brasileiras da dança, da música, da literatura, entre outros. A ampliação da consciência cultural e social define a missão do Brincante e coloca os participantes frente a uma nova forma de interpretação do cotidiano.