Cássia Kis atua em peça de Manoel de Barros de graça no Sesi


Até
17
de fevereiro 2019
Sexta - Sábado
Sextas e sábados, às 20h
Domingos, às 19h

site: www.sesisp.org.br

telefone: (11) 3322-0050

facebook: www.facebook.com

Por: Redação | Comunicar erro

De 31 de janeiro a 17 de fevereiro no Teatro Sesi-SP, a peça Meu Quintal é Maior do que o Mundo entra em cartaz de 31 de janeiro a 17 de fevereiro, sextas e sábados, às 20 horas, e domingos, às 19 horas.  A produção está a cargo de Gustavo Nunes, diretor da Turbilhão de Ideias Entretenimento, que possui relação de anos de amizade com Cássia Kis e Ulysses Cruz, o que motivou a união para criar este projeto. A Turbilhão de Ideias, apesar de estar sediada no Rio de Janeiro, circula com seus espetáculos por todos os Estados do país. Dentre suas produções, destacam-se Perfume de Mulher, a mais recente, e Cássia Eller, o Musical.

Crédito: Gal OppidoCom concepção geral de Ulysses Cruz, peça faz curta temporada no Teatro Sesi-SP de 31 de janeiro a 17 de fevereiro e depois circula pelo País

Conhecedora da obra de Manoel de Barros (1916-2014), a atriz Cássia Kis se considera uma excelente leitora do poeta e escritor mato-grossense.Tem uma relação não só com a obra, mas com o próprio, com quem passou anos se correspondendo e chegou a conviver proximamente, tornando-se amiga. Tudo começou no início dos anos 1980, quando descobriu sua poesia.

É parte da obra do autor de Livro sobre Nada que Cássia Kis escolheu para marcar sua volta aos palcos depois de 10 anos, ao lado do diretor Ulysses Cruz, parceiro de 40 anos e com quem divide, ainda, a criação do texto. Para executar a música ao vivo em cena também está Gilberto Rodrigues, responsável pela direção e criação musical. A peça Meu Quintal é Maior do que o Mundo estreia em São Paulo e tem expectativa de circular pelas principais capitais do País.

Projeto pessoal, idealizado por Cássia Kis e concebido a partir do livro Memórias Inventadas, não se trata de um sarau ou declamação de poemas e sim uma encenação dramatúrgica. Não se configura como um espetáculo na estrita concepção do termo, mas de uma peça de teatro, por sua característica mais intimista. A relevância da montagem se dá tanto pela ligação da atriz com Manoel de Barros como pela década longe do teatro (sua última peça foi O Zoológico de Vidro, de 2009).

Compartilhe:

Tags: #Av Paulista #Avenida Paulista #peça de teatro
Autor: Por: Redação