História do João Carlos Martins vira peça de teatro

'Concerto para João' fica em cartaz no Teatro Faap, em SP
Até
02
de dezembro 2018
Sextas e sábados, às 21h. Domingo, às 18h

Teatro Faap

Publicidade

No dia 9 de agosto, às 20h, o espetáculo será exibido gratuitamente e, em seguida, o maestro fará um concerto. São 250 pares de ingressos.

O emocionante exemplo de talento, genialidade e superação de João Carlos Martins inspira o espetáculo teatral ‘Concerto para João’, com direção de Cassio Scapin e texto de Sérgio Roveri, que estreia no dia 10 de agosto no Teatro FAAP, onde fica em cartaz até 02 de dezembro de 2018. A trajetória do maestro mais amado do país já foi contada no cinema pelo filme “João, O Maestro” (2017), de Mauro Lima, que, assim como a peça, traz como protagonista o ator Rodrigo Pandolfo.

E atenção: no dia 9 de agosto, às 20h, o espetáculo será exibido gratuitamente e, em seguida, o maestro fará um concerto.  Para participar, é necessário apresentar o cupom de entrada na bilheteria do teatro. Entrada sujeita a limite de espaço. Pegue aqui o seu cupom

Crédito: Actural/ Divulgação‘Concerto para João’ fica em cartaz no Teatro Faap, em SP

A encenação se passa durante uma das várias cirurgias às quais o pianista foi submetido para tentar continuar tocando. Dividido entre o sono da anestesia e a vigília, ele revive alguns de seus grandes concertos, narra os inúmeros episódios de superação e recebe a visita de um homem misterioso, com quem estabelece uma relação humana e musical.

A trama transita entre fantasia e a realidade para narrar as glórias e os desafios enfrentados por um dos maiores músicos brasileiros ao longo de seus 60 anos de carreira.

Crédito: Actural/ DivulgaçãoProtagonista é vivido por Rodrigo Pandolfo, que também interpretou o homenageado no cinema

Sobre João Carlos Martins

Em 2004, aos 64 anos, João Carlos iniciou os seus estudos de regência. Seis meses depois, apresentou-se com sucesso em Londres, Paris e Bruxelas, como regente convidado, imprimindo em suas interpretações a mesma dinâmica que fazia quando pianista.

Em 2006, idealizou a Fundação Bachiana, com a missão de levar a música clássica às pessoas que pouco, ou nunca, ouviram falar dela. Construiu uma sólida carreira com a sua Bachiana Filarmônica SESI-SP, a primeira orquestra brasileira a se apresentar no Carnegie Hall (2007).

Atualmente, a Fundação Bachiana mantém oito núcleos de musicalização para crianças e jovens pelo Brasil e tem realizado cerca de 80 apresentações por ano. Mesmo com todas as limitações físicas, no final dos concertos João Carlos costuma deixar a regência e sentar-se ao piano para rápidas e emocionantes apresentações.

Publicidade

Compartilhe:

Autor: Por: Redação
Publicidade

Você sabe o que é feminicídio?

O restaurante de comida havaiana do ex-masterchef Ravi

Conheça o lavandário de Cunha

ASMR: O fenômeno do "orgasmo mental"

Publicidade