Últimas notícias:

Loading...

Em ato contra poluição sonora, São Paulo terá manifesto do silêncio na Casa das Rosas

Poluição sonora pode afetar a capacidade de aprendizado de crianças, jovens e adultos ao reduzir o desempenho educacional

Por: Redação

Buzinas, obras, sirenes, motores em combustão: assim como em qualquer grande cidade do mundo, São Paulo também sofre as consequências da poluição sonora. E sob a perspectiva da saúde, a falta de vigilância sonora pode afetar, por exemplo, a capacidade de aprendizado de crianças, jovens e adultos ao reduzir o seu desempenho educacional.

E para celebrar o Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído, que acontece nesta quarta-feira, 27, uma programação repleta de atividades discutirá o tema na capital paulista, com medição de ruído na cidade, projeção do Mapa Sonoro na Avenida Paulista e lançamento do “Manifesto do Silêncio”

Estudantes lançam “Manifesto do Silêncio” 

Para apresentar o manifesto, alunos da EMEF Escola Municipal Desembargador Amorim Lima, da Vila Indiana, se reunirão no jardim da Casa das Rosas, para fazer um minuto de silêncio – entre 14h25 e 14h26. Lá, eles vestirão camisetas brancas e portarão cartazes brancos em protesto à poluição sonora.

Reprodução
Poluição sonora pode afetar desempenho educacional de crianças

A intervenção será realizada simultaneamente em diversos lugares do mundo e faz parte da campanha organizada, há 21, anos pelo Center For Hearing e Comunication, em Nova York.

O manifesto foi criado seguindo a temática da ação educativa de conscientização para a problemática do ruído por meio da campanha “Ruído: a solução está na educação!”, promovida pelo INAD Brasil (www.inadbrasil.org), com apoio nacional da ProAcústica.

Lei de redução de barulho na cidade 

As discussões para enfrentar a poluição sonora bem como medidas possíveis de solução e mitigação, acontecem no contexto dos impactos da nova Lei de Uso e Ocupação do Solo; da expectativa de aprovação, em segunda e última votação, do PL 75/2013 Mapa do Ruído Urbano, para fixar metas e prazos para redução de barulho na cidade e do início da tramitação do novo Código de Obras, na Câmara Municipal de São Paulo.

Compartilhe: