Livro infantil sobre floresta vira árvore de verdade

Por: qsocial Comunicar erro
Reprodução/Anne Decis
Crédito: PicasaIlustração do livro Meu Pai Esteve na Selva

Se para fabricar um livro é preciso derrubar árvores, que tal devolvê-lo a sua origem após algumas leituras? Essa é a proposta do “Mi Papá Estuvo en la Selva” (em português, Meu Pai Esteve na Selva), publicação infantil do ilustrador argentino Gusti e da francesa Anne Decis confeccionada com papel reciclado, sementes de jacarandá e tintas biodegradáveis.

O “livro-árvore” conta a própria experiência do autor na selva amazônica equatoriana, narrada com a inocência e o humor de uma criança _ as primeiras páginas podem ser lidas aqui.  “Um ótimo pretexto para falar sobre a destruição do meio ambiente, a diversidade cultural e o respeito para com todos os seres vivos”, afirma a editora Pequeno Editor.

Divulgação/Pequeno Editor
Processo de germinação do “livro-árvore” 

Após as leituras, recomenda-se umedecer as 36 páginas do “livro-árvore”, colocá-lo em um local fresco e mantê-lo úmido até que germine. Depois, deve ser plantado na terra, em um local que possa crescer como uma árvore nativa. Na Argentina, 45 milhões de folhas são usadas por dia na produção dos 1.550 títulos lançados anualmente.

Compartilhe: