Nos anos 1980, cineastas, pesquisadores, estudiosos e artistas tiveram a ideia de criar uma instituição pública que preservasse a memória de Belo Horizonte e de sua produção audiovisual. No fim da década, nasceu a Fundação Museu da Imagem e Som, que mais tarde serviu de base para o Centro de Referência Audiovisual.

Já em 2014, o CRAV se tornou o Museu da Imagem e do Som, reconhecido como um dos principais acervos audiovisuais do país, com mais de 90 mil itens que guardam registros da história da capital mineira a partir do início do século passado, exibidos na mostra "Imagem e Som: Memória, Registro e Movimento", com entrada Catraca Livre.

1/5

Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

2/5

Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

3/5

Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

4/5

Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

5/5

Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

  • Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

    1/5

    Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

  • Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

    2/5

    Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

  • Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

    3/5

    Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

  • Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

    4/5

    Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

  • Crédito da imagem: Ricardo Laf | Divulgacao SMC

    5/5

    Já imaginou ver imagens da construção do obelisco da Praça Sete, na década de 1920? Ou saber como era a capital em seus primeiros anos de existência? Que tal entender como era o trânsito e a moda mineira da época?

O acervo fílmico do MIS apresenta uma rica diversidade de temas, espalhados por diversos formatos, como fotografias, documentários, cartazes de filmes, equipamentos de filmagem e até discos de vinil, além de materiais jornalísticos de telejornais e reportagens, que convidam o público a uma viagem no tempo pela antiga Belo Horizonte.

Entre os filmes preservados pelo Museu da Imagem e do Som, destacam-se algumas das mais antigas imagens da história cinematográfica mineira, feitas no período de 1909 a 1924 e documentadas em "Reminiscências", filme de Aristides Junqueira.

Para quem não puder dar uma passadinha da instituição, o MIS disponibiliza um canal no Youtube, que reúne pequenos trechos de vídeos do cotidiano belo-horizontino, com temas políticos, sociais e culturais, que mostram desde um dia comum na Praça Raul Soares nos anos 1960 até partidas de futebol realizadas há 55 anos.


  • Saiba mais sobre a história de Belo Horizonte:

Edifício Maletta guarda um pedacinho da história cultural de BH

Imagem e Som: Memória, Registro e Movimento

A partir de
04 Set

 Segundas,  Terças,  Quartas,  Quintas e  Sextas das 09:00 às 17:00

Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte
Avenida Álvares Cabral, 560 Centro - Centro Belo Horizonte - MG (31) 3277-4773/ (31) 3277-6330
Catraca Livre