Trata-se de um prédio estilo eclético construído entre os anos de 1905 e 1938, formado de dois pavimentos e apresentando três seções. Projetado com a finalidade de abrigar a Chefatura da Polícia, o que não procedeu, pois, o Palácio Rio Branco teve sua conclusão na Administração do Álvaro Botêlho Maia em 7 de setembro, ficando, o Prédio para a Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas. Sendo a sede da Assembléia, vir a ser fixa após 34 anos de inauguração do Palácio Rio Brancos.

Patrimônio Cultural da Humanidade, um reconhecimento incomparável, uma herança cultural, com arquitetura e memórias políticas, que nos remete as riquezas do auge do ciclo da borracha.

Aberto ao público como Centro Cultural, interagindo com o mesmo, na forma de viagem no tempo, divulgando sua história, com exposições de obras de artes de artistas amazonenses