Grátis: MIS tem debates sobre Björk e sessão de ‘Dançando no escuro’

VilaMundo é uma iniciativa do Instituto Acqua com a Catraca Livre

Por: Redação Comunicar erro
Até
03
de agosto 2019
Quarta - Quinta - Sexta - Sábado
19h (31/07, 01 e 02/08) e 18h (03/08)

O MIS tem uma programação completa em paralelo à exposição Björk Digital: o Björk Talks. Os encontros reúnem profissionais renomados entre os dias 31 de julho e 3 de agosto. A cada dia, eles discutem pontos importantes da carreira da artista islandesa como música, moda e tecnologia.

Além dos bate-papos, a exibição de “Dançando no escuro” integra a programação. O filme é protagonizado por Björk e vencedor dos prêmios de melhor filme e de melhor atriz (Björk) no Festival de Cannes de 2000.

Crédito: ReproduçãoPara fechar a programação, Björk Talks exibe Dançando no escuro (2000), uma das obras-primas do polêmico cineasta Lars von Trier (Dogville)

O Björk Talks integra a programação da exposição, em cartaz no MIS até 18 de agosto. A curadoria dos encontros é do produtor cultural Victor Valery e a entrada é gratuita, para participar basta retirar ingresso com uma hora de antecedência na recepção do MIS.

Confira abaixo a programação completa:

  • 31.07 | Quarta-feira |19h
    Björk + Música, com Zeca Camargo, Alice Caymmi e Victor Valery

O jornalista e apresentador Zeca Camargo e a cantora Alice Caymmi participam do encontro que tem como objetivo analisar o desdobramento musical de Björk do final da década de 1980 até a atualidade. A conversa, mediada pelo produtor cultural e pesquisador Victor Valery, explora como sua trajetória influenciou o universo musical internacional e brasileiro.

Victor Valery é produtor cultural, fotógrafo e marchand de arte. Formado em Produção Cultural (2017) na Universidade Federal Fluminense, desenvolveu sua pesquisa em música, território e subjetividade especificamente na obra da cantora Björk. É curador independente de exposições de arte e programações culturais.

Alice Caymmi é cantora, compositora, musicista e performer. Começou a cantar e compor aos 10 anos de idade. Em 2012 lançou seu primeiro álbum autoral, Alice Caymmi, regravando a canção Unravel, de Björk, e recebendo elogios públicos da cantora. Entre seus troféus tem o Prêmio Multishow de Versão do Ano (2014), com a canção Homem (Caetano Veloso), e o Prêmio da Música Brasileira de Melhor DVD, com Rainha dos Raios (2016). Alice lançou seu quarto e novo álbum ELECTRA e sempre identificou Björk como uma de suas inspirações.

Zeca Camargo é jornalista e apresentador. Formou-se em Administração de Empresas pela FGV e Publicidade pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Trabalhou na Folha de S.Paulo, MTV e TV Cultura. Integrou a equipe do Fantástico, da TV Globo, por 17 anos. Admirador de Björk, Zeca assina o texto do folder da exposição Björk Digital e entrevistou a artista em 1998 para o Fantástico.

  • 01.08 | Quinta-feira | 19h
    Björk + Moda, com Lilian Pacce, Carollina Lauriano e Raphael Jacques (Alma Negrot)  

O encontro discute a importância da indumentária no percurso da cantora Björk. Com mediação de Lilian Pacce, Carollina Lauriano e Raphael Jacques (Alma Negrot) analisam das capas de álbuns às parcerias com grandes fotógrafos e estúdios de moda pelo mundo e discorrem sobre como as parcerias escolhidas a dedo, de estilistas a maquiadores, desenharam a artista que conhecemos hoje.

Carollina Lauriano é formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo. Tem extensão em Pesquisa e Análise de Tendências (em arte, design e moda) pela Central Saint Martins e atua como curadora independente desde 2017. Em 2018 passa a integrar o time de curadoria e gestão do Ateliê397, um dos principais espaços independentes de arte, com 15 anos de atuação em São Paulo.

Raphael Jacques (Alma Negrot) é um artista visual multimídia que desdobra seu trabalho em pintura, fotografia, vídeo, performance e maquiagem. Estudou artes visuais na UFRGS, mas foi em inferninhos e coletivos de arte de rua que desenvolveu a maior parte de seu trabalho voltado para as artes do corpo. Suas poéticas permeiam as infinitas possibilidades de existência do corpo e suas potências através da manufatura do corpo e ressignificação de símbolos. Atualmente assina beleza de desfiles como Diego Gama da Casa de Criadores, ministra oficinas de maquiagem criativa em todo País, é performer residente da festa de música eletrônica Mamba Negra em São Paulo e assina direção de arte para projetos de artistas da nova cena musical como Karol Conka, Johnny Hoocker e Letrux.

Lilian Pacce, autoridade em moda e estilo, tem um olhar de lince para todo tipo de comportamento relacionado ao assunto. Jornalista, editora de moda, apresentadora de TV, escritora e curadora, é publisher da plataforma Lilian Pacce – presente em todas as mídias digitais. Seu trabalho tem foco na moda sustentável, fazendo curadoria de eventos sobre o tema desde 2007, como na campanha “Eu Não Sou de Plástico”. Começou a cobrir os desfiles do eixo Paris-Milão-Londres-Nova York em 1987. Em 1992 estudou no London College of Fashion e na Saint Martin’s School of Fashion. Com o GNT Fashion, programa comandado por ela ao longo de 18 anos, inovou a cobertura de moda na televisão brasileira.

  • 02.08 | Sexta-feira | 19h
    Björk + Tecnologia, com Lia Vissotto, Victor Valery e Ali Prando

O terceiro encontro desvenda a filosofia de Björk em mixar natureza e tecnologia na produção de videoclipes, músicas, concertos ao vivo e da exposição Björk Digital. O bate-papo é mediado por Victor Valery, produtor cultural e pesquisador da cantora, além da participação da produtora cultural e diretora da Cinnamon Comunicação, Lia Vissotto, responsável pela vinda da primeira VR de Björk (Stonemilker (2015) ao Brasil, e do filósofo e pesquisador Ali Prando.

Lia Vissotto é formada em Comunicação Social pela Universidade de São Paulo, sócia-fundadora da Cinnamon Comunicação e diretora fundadora do Instituto URBE. Antes de empreender no segmento cultural, trabalhou nas empresas Sony Pictures, Cartão Unibanco, Super 11.net e America Online. Já foi responsável pela criação, produção e comunicação de projetos culturais em variadas linguagens, incluindo o Music Video Festival, que celebra a arte do videoclipe no Brasil e no mundo, em sua 7ª edição neste ano. Pelo Instituto URBE, realiza projetos de arte pública.

Ali Prando é filósofo e pesquisador com as temáticas de gênero, sexualidade e feminismo, através de perspectivas butlerianas. Fundou a plataforma DiscoPunisher, contando com mais de 2 milhões de visitas, o portal possui entrevistas com artistas do mundo todo, como Charli XCX, Caetano Veloso, Pabllo Vittar e muitos outros. No Brasil, criou os cursos Politizando Beyoncé: Raça, Gênero e Sexualidade e Björk: Paradigmas do Pós-humanismo.exe que versam sobre filosofia contemporânea e feminista, através da estética dessas artistas.

Victor Valery é produtor cultural, fotógrafo e marchand de arte. Formado em Produção Cultural (2017) na Universidade Federal Fluminense, desenvolveu sua pesquisa em música, território e subjetividade especificamente na obra da cantora Björk. É curador independente de exposições de arte e programações culturais.

  • 03.08 | Sábado | 18h | Dançando no escuro
    Exibição do filme + bate-papo com Sarah Oliveira e Victor Valery

Para fechar a programação, Björk Talks exibe Dançando no escuro (2000), uma das obras-primas do polêmico cineasta Lars von Trier (Dogville) e vencedor dos prêmios de melhor filme e de melhor atriz (Björk) no Festival de Cannes de 2000. A sessão será seguida de bate-papo com a jornalista e apresentadora Sarah Oliveira e Victor Valery. O objetivo é destacar o importante trabalho de composição de trilha sonora e atuação de Björk na película, dissertando sobre os prêmios recebidos à época até as recentes declarações da cantora sobre os assédios cometidos pelo diretor nos sets de filmagem.

Em “Dançando no escuro” (Dancer in the Dark | Dir. Lars von Trier, 2000, Estados Unidos/Dinamarca, 141 min, digital, 16 anos), Selma Jezkova (Björk) é uma mãe-solteira tcheca que trabalha numa fábrica no interior dos Estados Unidos. Vítima de uma doença hereditária, que a faz perder a visão e, para evitar que o filho tenha o mesmo destino, economiza todo o seu dinheiro para operá-lo. Apaixonada pelos musicais de Hollywood, Selma mistura realidade e fantasia. Porém, a sua vida muda radicalmente quando é acusada injustamente de um crime. Além da excelente trilha sonora e grande atuação de Björk, Dançando no escuro conta com as participações de Catherine Deneuve e de Joel Grey (Cabaré).

Sarah Oliveira é apresentadora de TV e de rádio. Foi na rádio 89 FM que Sarah Oliveira apresentou seu primeiro programa. Na MTV comandou o Disk MTV, o Jornal da MTV e o Luau MTV. Contratada pela Globo para revelar os bastidores da TV no Vídeo Show, fez matérias em diversos lugares do Brasil e do mundo. Em 2011, estreou no canal GNT apresentando o Viva Voz, primeiro formato em que assinou a criação. Em 2017, estreou seu primeiro projeto na internet, a série comportamental O Nosso Amor A Gente Inventa. A apresentadora também está no ar toda sexta-feira e domingo, às 17h, na Rádio Eldorado, com seu programa Minha Canção.