Músicos brasileiros e senegaleses fazem show no Ibirapuera

Por: Redação Comunicar erro

O grupo instrumental Höröyá fará show de lançamento de seu terceiro disco, “Pan Bras’Afree’Ke Vol.2.”, no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, no dia 30 de março, sábado, às 21h. Pesquisa profunda de ritmos e linguagens afro-brasileiras, o álbum é marcado por groove, samba, candomblé, afrobeat, funk e jazz. Gravado em São Paulo (Brasil), Bamako (Mali) e Bobo-Dioulasso (Burkina Faso), seu resultado é um panorama da musicalidade das matrizes africanas e da diáspora negra.

Crédito: Antonio BrasilianoGrupo Höröyá, formado por músicos brasileiros e senegaleses

Os ingressos estão a venda na bilheteria e online, com valores entre R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada), mas leitores do VilaMundo têm uma vantagem. A primeira pessoa a mandar um email para chavevilamundo@vila-mundo.com com o título INGRESSO AUDITÓRIO ganha um par de VIPs para curtir o show. Corra e garanta o seu!

O Höröyá é composto por 13 integrantes, entre brasileiros e senegaleses, que têm como influências as culturas tradicionais de países do oeste africano como Guiné, Mali, Senegal e Burkina Fasso, e diversas vertentes afro-brasileiras, pensando o tradicional no moderno. O show contará com a participação do músico baiano Gabi Guedes, percussionista da Orkestra Rumpilezz, que gravou em três faixas do disco. Além das oito faixas de “Pan Bras’Afree’Ke Vol.2.”, o repertório do show contará com faixas do disco anterior, “Pan Bras’Afree’Ke Vol.1.”, lançado em 2017.

A música brasileira é filha da polirritmia africana. assim como o Brasil tem a África em seu DNA, o grupo Höröyá consegue musicar essa genética em seu terceiro disco Pan Bras’Afree’Ke Vol.2. O disco traz ancestralidade e diversidade destrinchadas em oito faixas instrumentais que contam com a participação de grandes nomes como Famoudou Konaté (Guiné), Cheick Tidiane Seck (Mali), Jaques Morelembaum (Brasil), Gabi Guedes (Brasil) e o xamã amazônico Davi Kopenawa Yanomami. Destaque para a participação de Famoudou Konaté, mestre de percussão da Guiné, um dos mais importantes mestres do continente africano. Famoudou é o convidado de honra do disco tocando djembe e dununs aos 78 anos de idade.