Geraldo Azevedo celebra 100 anos de Jackson do Pandeiro em show

Garanta 50% de desconto nos ingressos com nosso código

Por: Redação Comunicar erro

O centenário do compositor e cantor paraibano Jackson do Pandeiro, celebrado em 31 de agosto, ganha uma linda homenagem. O artista foi um dos grandes mestres de toda uma geração de forrózeiros, entre eles Geraldo Azevedo. Um dia antes da data oficial dos 100 anos de Jackson, no dia 30 de agosto, Geraldo faz uma homenagem ao amigo e ídolo no seu Arraiá na Casa Natura Musical, trazendo alguns xotes compostos pelo Rei do Ritmo.

Centenário de Jackson do Pandeiro é celebrado com show de Geraldo Azevedo

Os ingressos estão à venda por valores até R$ 220, mas leitores VilaMundo e Catraca Livre têm desconto especial de 50%. Basta acessar o site de compras, selecionar a opção desejada e usar o código CatracaLivre50 para garantir a promoção.

Considerado um dos maiores ritmistas do Brasil, Jackson flutuava com facilidade entre gêneros como forró, baião, samba-coco e marchinhas de carnaval. Fez muito sucesso nos anos 1950 com músicas como “Um a Um”, “Canto da Ema” e “Chiclete com Banana” e “Sebastiana” — tendo sido as três últimas resgatadas pela Tropicália nos anos 1970 e regravadas por Gilberto Gil no disco Expresso 2222 (1972) e por Gal Costa no seu primeiro disco solo, de 1969.

No repertório, ritmos vibrantes da obra de Geraldo Azevedo, representados por canções como “Sabor Colorido” (Geraldo Azevedo e Capinan), “Tempero do Forró” (Geraldo Azevedo e Geraldo Amaral) e “Moça Bonita”. Outras músicas ganham novos arranjos, para animar a plateia – como é o caso de “Chorando e Cantando” (Geraldo Azevedo e Fausto Nilo). O cantor ainda vai interpretar releituras de clássicos de Jackson, além de outros artistas que costumam embalar os arraiás.

Reproduçaõ
Músico faz grande ensaio aberto

A noite terá abertura de Enok Virgulino. O sanfoneiro é referência no forró, com um incrível carisma e um legado de mais de 40 anos. Fez parte por mais de 38 anos do Trio Virgulino, um dos grupos responsáveis pelo resgate do ritmo forró pé-de-serra. Agora, Enok segue carreira solo com o disco ‘Forró Bom É Aqui’ (2018), que tem participação de Elba Ramalho e Flávio José.