Carnaval da Diversidade SP 2017
Carnaval da Diversidade SP 2017
Carnaval da Diversidade SP 2017
Carnaval da Diversidade SP 2017

Carnaval da Diversidade SP 2017

Festival com blocos LGBT’s deixa a folia mais diversa em SP

Por: Publi

Celebrar a diversidade nunca é demais, por isso, os blocos Meu Santo é Pop, MinhoQueens, Viemos do Egyto, Domingo Ela Não Vai, Desculpa Qualquer Coisa, BregsNice, BregaBloco e Chegar CheGAY sambam na cara da sociedade neste carnaval durante o festi-bloco Love Fest. No dia 27, a partir do 12h, na Praça da República, a união dos blocos LGBT´s faz a festa ficar purpurinada. O evento é Catraca Livre e recebe também as cantoras Mc Linn da Quebrada e Pepê & Neném.

Com a intenção de ocupar as ruas de São Paulo e deixar a folia ainda mais divertida, e sem LGBTfobia, a Rua Livre, organizadora da festa engrossou o caldo e colocou o “Z” na sigla. A intenção é que a letra represente as infinitas possibilidades de ser. “É uma brincadeira, mas é séria. Não se trata de pedir respeito nem aceitação ao diferente, isto é o mínimo. Se trata de mostrar que a beleza é a diversidade”, diz Estêvão Romane, um dos idealizadores do projeto, diretor executivo da Rua Livre.

Quem dá início ao arraso dos bloquinhos é a Revolta da Lâmpada, que carrega consigo o slogan: “Fervo também é luta”. A organização é fruto de uma manifestação após o ataque a um grupo de pessoas LGBTs e heterossexuais em 2010.  “Começou como uma manifestação pelo corpo livre, em novembro de 2014: descentralizada, desinstitucionalizada, coletiva, criativa, independente e com equilíbrio de protagonismo entre corpos. O ponto de partida: Paulista 777, o local dos ataques de lâmpada”, mostra a descrição do grupo na página do Facebook.

O intuito é unir a comunidade LGBT em um espaço público e promover a diversão.
O intuito do grupo é unir a comunidade LGBT em um espaço público e promover a diversão.

No começo da tarde acontecem outras atividades para conscientizar a causa, como a exibição de curtas, ações diversas e a Gaymada, um jogo de queimada para os LGBT´s e quem quiser chegar. As primeiras edições feitas pelo coletivo foram inspiradas no evento de Belo Horizonte, em São Paulo, a brincadeira completa um ano em março e acontece mensalmente no Largo da Batata. “Ocupar a rua durante o dia com LGBTs tem uma força política maior ainda porque somos sempre associados a locais privados e que funcionam à noite – a famigerada marginalização. Se pra gente ocupar o Largo da Batata mensalmente durante o dia, com LGBTs dançando, montados, namorando, “dando close”, por exemplo, é de uma força simbólica enorme, com o LoveFest isso se potencializa”.

Em 2016, segundo a Prefeitura de São Paulo, cerca de 1 milhão de pessoas estavam nas ruas. A previsão é que neste ano 2 milhões de foliões aproveitem os bloquinhos. Um dos participantes do Love Fest, o bloco “Meu Santo é pop”, organizado por Jorge Minoru, Lia Castelli e Rapha Malaquias sai nas ruas pra dar um banho de glitter ao som das divas do pop e outros gêneros musicais, além de levar a representatividade para o carnaval. “A maior importância é a visibilidade. Conseguir unir os gays, lésbicas, bissexuais e trans, para celebrar a diversidade. Mostrar que estamos unidos, tanto na luta por direitos, quanto nos momentos de festejar”.

Além de participar da folia, o grupo também realizada diversas festas ao longo do ano.
Além de participar da folia, o grupo também realiza diversas festas ao longo do ano.

Pra quem acha pouco, no fim do festi-bloco ainda rola uma cerimônia surpresa para os foliões. A marca de sorvetes Ben & Jerry’s envolvidas com a causa LGBT, patrocina o evento. O Carnaval da Diversidade também conta com o apoio da cerveja Skol e da 99.

O Love Fest promete lacrar na avenida, se você é desses que não perde uma boa festinha, coloque o máximo de purpurina na bolsa e corre pra dar esse close certo!

Compartilhe: