Empresas lançam manifesto #NãoDemita para preservar empregos

Proposta é manter o quadro de funcionários, pelo menos, até o fim de maio

Por: Redação

Quarenta das maiores empresas do Brasil lançaram, neste mês, o manifesto #NãoDemita. Por ele, se comprometem a manter o emprego dos funcionários até, pelo menos, o fim de maio.

Campanha #NãoDemita
Crédito: Reprodução/TwitterEmpresários lançam o manifesto #NãoDemita, pela manutenção de empregos

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

Juntas, elas fazem um apelo: “A primeira responsabilidade social de uma companhia é retribuir à sociedade o que ela proporciona a você – começando pelas pessoas que dedicam suas vidas, todo dia, ao sucesso do seu negócio. É por isso que nossa maior responsabilidade, agora, é manter nosso quadro de funcionários”.

Segundo o manifesto, tempos extraordinários, como o da pandemia do novo coronavírus, exigem medidas extraordinárias. As equipes de saúde têm feito isso. Os setores de abastecimento e transporte também.

“Já o nosso ato de coragem é outro: cuidar dos funcionários que dependem de seus salários e de nossas empresas”, afirmam, em texto, as 40 companhias. “Por isso, fazemos este chamamento e assumimos, nós mesmos, este compromisso: empresários, mantenham seus quadros pelo menos nos próximos dois meses.”

A manutenção dos empregos ajudaria a evitar ou minimizar um possível colapso econômico e social. O FMI (Fundo Monetário Internacional) estima que a Covid-19 venha acompanhada de crise financeira global e de recessão.

Manifesto #NãoDemita
Crédito: Reprodução/TwitterManifesto foi lançado por 40 empresas no Brasil

Segurança dos trabalhadores

As empresas idealizadoras do #NãoDemita pedem ainda que quem tem fábricas e instalações siga as instruções da OMS e do Ministério da Saúde. A orientação é de criar um ambiente de trabalho seguro para os funcionários.

E, se o empresário tiver força financeira, elas estimulam o auxílio às comunidades, para que tenham condições de sobrevivência.

Por fim, convocam até mesmo quem já foi fortemente afetado pela crise ou está passando por dificuldades financeiras na empresa e “realmente não tem caixa para evitar demissões”: “Ainda assim, pare uns minutos e reflita”.

O manifesto #NãoDemita é assinado por Accenture, Alpargatas, Anima Educação, Atmo Educação, Banco Inter, BR Distribuidora, BR Partners, Bradesco, BRF, BTG Pactual, Camil, C&A, CI&T, Cosan, Cyrela, Dasa, Grupo Boticário, Grupo Pão de Açúcar, Itaú Unibanco, J. Macêdo, JBS, Log Commercial Properties, Lojas Renner, Magazine Luiza, Microsoft, MRV Engenharia, Natura, Porto Seguro, PwC, Rede D´Or, Rodobens, Salesforce, Santander, Sapore, SEB, Stefanini, Suzano, UNIPAR, Vivo, WEG e XP Investimentos.

Adesão ao #NãoDemita

Diversas companhias de segmentos variados já assinaram o manifesto.

Para aderir ao movimento, basta acessar a página do movimento. Após o preenchimento do formulário, serão enviadas as instruções.

É possível acompanhar a evolução da mobilização dos empresários pelas redes sociais, no Instagram e no Twitter.

Compartilhe: