Alckmin é indiciado por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção

O indiciamento é pelo inquérito que investiga as doações eleitorais da empreiteira Odebrecht

Por: Redação

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) foi indiciado pela Polícia Federal nesta quinta-feira,16, por lavagem de dinheiro, caixa dois eleitoral e corrupção passiva.

O indiciamento ocorre no inquérito da Lava Jato a partir de delações do grupo Odebrecht. As informações são do Estadão.

Alckmin
Crédito: Reprodução/TV GazetaGeraldo Alckmin foi indiciado por suspeita de lavagem de dinheiro, caixa 2 e corrupção

O inquérito já está no Ministério Público de São Paulo que pode decidir pelo arquivamento da denúncia contra o ex-governador ou também pedir novas diligências para que a polícia aprofunde algum ponto da investigação.

Em depoimento aos procuradores da Lava Jato na época da investigação em 2017, Carlos Armando Paschoal, então diretor da Odebrecht, disse que, durante um encontro, recebeu das mãos do ex-governador de SP um cartão de visita do cunhado dele, Adhemar Ribeiro.

Paschoal disse ter repassado R$ 2 milhões, via Caixa 2, para a campanha de Alckmin ao governo de São Paulo, em 2010, e quem controlava os pagamentos era Ribeiro.

Segundo o Estadão, a PF obteve documentos que indicariam a prática de cartel no Metrô de São Paulo e no Rodoanel.

O ex-secretário de Planejamento na gestão Alckmin, Sebastião Eduardo Alves de Castro, e o ex-tesoureiro de campanha Marco Monteiro também foram denunciados pelo PF.

Geraldo Alckmin é o segundo ex-governador tucano indiciado em menos de um mês. No início de julho, o MP-SP denunciou o senador José Serra por lavagem de dinheiro.

A filha de Serra, Verônica, também foi denunciada pela Lava Jato de São Paulo.

Compartilhe: