Após propor união, Bolsonaro volta a atacar governadores e prefeitos no Twitter

"Não é um desentendimento entre o presidente e alguns governadores e alguns prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas", escreveu presidente

Por: Redação

Isolado politicamente e alvo de críticas pela postura negacionista frente à crise do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro contrariou o próprio discurso feito em rede nacional na noite da última terça-feira, 31.

Após propor um pacto a governadores e prefeitos para lidar com as consequências da pandemia, na manhã desta quarta-feira, 1, voltou a criticar as medidas de isolamento.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro publicou um vídeo em que um homem denuncia o desabastecimento de frutas, legumes e verduras em um centro de abastecimento em Belo Horizonte (MG). “Para você que falou, depois do discurso do presidente, que economia não tinha importância, que importante eram vidas, dá uma olhada nisso aí. Pois é, fome, desespero, caos também matam.”

Ainda de acordo com homem os “governadores estão querendo ganhar nome e projeção política a custa do sofrimento da população”.

Na postagem, Bolsonaro voltou a subir o tom contra governadores e prefeitos ao escrever:”Não é um desentendimento entre o presidente e alguns governadores e alguns prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados.”

Fake news

O vídeo, no entanto, era falso. Horas após a publicação, o presidente foi desmentido por uma série de outras postagens que registravam normalidade na rotina do centro de abastecimento da capital mineira. Em meio às acusações de fake news, a publicação foi apagada pela conta.

Após polêmica, Jair Bolsonaro apagou publicação – Twitter/reprodução

Menos de doze horas antes, no entanto, em novo pronunciamento, Bolsonaro pediu união entre a classe política e agradeceu pelo comprometimento de todas as esferas. “Agradeço e reafirmo a importância da colaboração e a necessária união de todos num grande pacto pela preservação da vida e dos empregos: Parlamento, Judiciário, governadores, prefeitos e sociedade”, declarou.

Há chance de desabastecimento ?

Apesar das suposições sobre a falta de alimentos, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, rejeitou a possibilidade em ocasiões anteriores. Na terça, 31, o ministro Sergio Moro (Justiça) reafirmou o discurso e disse não haver motivo para “receios infundados”.

Compartilhe: