Últimas notícias:

Loading...

Bolsonaristas cantam ‘Cloroquina lá do SUS’ com hit de Tiririca

Paródia exalta o uso do medicamento no tratamento de pacientes da covid-19, mesmo sem ter eficiência comprovada por estudos científicos

Por: Redação

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cantaram uma paródia da música “Florentina de Jesus” do palhaço Tiririca em frente ao Palácio da Alvorada no sábado, 16. A nova versão exalta o uso da Cloroquina, medicamento sem eficiência comprovada por estudos científicos para o tratamento de pacientes da covid-19.

“Cloroquina, Cloroquina. Cloroquina lá do SUS. Eu sei que tu me curas, em nome de Jesus”, cantou o grupo para o presidente. O vídeo viralizou nas redes sociais.

Bolsonaro defende de forma incisiva o uso do medicamento no tratamento da covid-19 no SUS (Sistema Único de Saúde), mas a classe médica alerta que não há nenhuma conclusão sólida sobre a eficácia da droga neste caso. A Cloroquina é recomendada para pacientes diagnosticados com malária ou doenças auto-imunes e quando usado de forma indiscriminada pode provocar sérios efeitos colaterais.

A falta de alinhamento quanto a aplicação de um protocolo que obrigue o uso do medicamento no SUS foi um dos motivos que determinaram o pedido de demissão do médico Nelson Teich do cargo de ministro da Saúde. Teich, assim como Luiz Henrique Mandetta, ministro anterior,  têm opiniões divergentes as do presidente da República.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


Coronavírus no país

No sábado, o Brasil se tornou no 4° país do mundo em número de casos de covid-19. Ao todo, foram mais de 233,1 mil confirmados e mais de 15,6 mil mortes pela doença,  superando a Itália e a Espanha.

O Ministério da Saúde divulgou ainda que, ao todo, 9.672 pacientes se recuperaram, enquanto 127.837 estão em acompanhamento e 2.304 óbitos estão em investigação. A taxa de letalidade da doença no país é de 6,9%.

No mesmo dia, São Paulo, epicentro da pandemia no país, superou a China em número de mortos, chegando ao total de 4.688 vidas perdidas.