Bolsonaro comete assédio moral contra jornalista da Folha nos EUA

Em entrevista em Dallas, nos EUA, Bolsonaro afirma que a repórter deveria "voltar para a faculdade" e a chama de "qualquer uma"

Por: Redação

Bolsonaro comete assédio moral contra jornalista da Folha de S.Paulo nos Estados Unidos, nesta quinta-feira, 16, quando a repórter o questiona sobre os cortes no orçamento do Ministério da Educação.

Crédito: Agência BrasilBolsonaro comete assédio moral contra jornalista da Folha nos EUA

Como se não bastasse o assédio, Bolsonaro achou interessante divulgar sua má conduta nas redes sociais e publicou um vídeo no twitter mostrando todo o embate e sua irritação com os protestos gigantestos que tomaram conta do país, na quarta-feira, 15.

“Pela falta de recursos se faz contingenciamento. Todos os governos já fizeram isso, inclusive na Educação. Aqui nos Estados Unidos uma repórter da Folha desconhecia a diferença entre corte e contingenciamento. Nós explicamos. Assista”, tuitou.

Bolsonaro disse que a jornalista tinha que entrar de novo “numa faculdade que presta e fazer bom jornalismo”. Bolsonaro disse ainda que esta Folha não pode contratar “qualquer uma para ser jornalista, ficar semeando a discórdia e perguntando besteira e publicando coisas nojentas por aí. É isso que vocês da Folha têm que fazer”, disse.​

Segundo a matéria do jornal, “enquanto respondia a pergunta, o presidente foi orientado pelo secretário de comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, a usar a palavra ‘contingenciamento’ e não ‘corte’ — expressão que o próprio Bolsonaro já havia utilizado em outros momentos durante a mesma entrevista”.

Compartilhe: